31 de jan de 2010

EXCLUSIVO: Programação do PIRAMBEACH - O Melhor Carnaval de Sergipe


Claudomir,

Pedimos desculpas aos caros internautas quanto a demora devido a divulgação do carnaval 2010. Existe um fundo de patrocínio do Governo para realização deste evento, e o valor desta ajuda é justamente o tamanho do evento, até onde poderemos chegar, a data para divulgação do apoio ficou marcada para esta sexta feira, dia 29. A programação já foi elaborada, e a mídia está toda pronta para que seja divulgado o carnaval através de rádio, TV e outdoors. Agradecemos de coração o seu intuito de divulgar este evento que pertence a todos os Pirambuenses.

PROGRAMAÇÃO:

:: 12 de Fevereiro - Sexta-feira:

Arrastão
15h – Jeito de Ser
Bloco Pet
Bloco da Melhor Idade

Praça de Eventos
22h – Cia do Axé
24h – Axé Bacana
02h – Energia Musical

:: 13 de Fevereiro - Sábado:

Arrastões
11h – Swing Black
15h – Seeway

Praça de Eventos
22h – Badalaxê
24h – Dois Ciganos
02h – Leva Gueto

:: 14 de Fevereiro - Domingo:

Arrastões:
11h – Girabamba (Bloco “As Marisqueiras”)
15h – Jam Bahia

Praça de Eventos

22h – Pichula
24h – Dekolla
02h – Asas Novas

:: Dia 15 de Fevereiro - Segunda-feira:

Arrastões
11h – Axé Bacana
15h – Danielzinho Elétrico

Praça de Eventos:
22h – Chikenana
24h – O Troco
02h – Pintura Íntima

:: Dia 16 de Fevereiro - Terça-feira:

Arrastões:
11h – Inspiração do Gueto
15h – Cid Natureza

Praça de Eventos:
22h – Solamento
24h – Asas Morenas
02h – Toma Lá da cá

Atenciosamente,

José Nilton de Souza
Prefeito de Pirambu

Nota: A Tribuna da Praia fará a maior cobertura do evento, disponibilizando diariamente notícias, entrevistas, flagrantes e até 120 fotos. Imperdível!!!

Procissão fluvial encerra Festa do Bom Jesus dos Navegantes em Propriá

Dezenas de embarcações percorreram o leito do rio São Francisco entre os estados de Sergipe e Alagoas

Dezenas de embarcações, entre catamarã, to-tó-tós, lanchas, barcos, jet-ski’s, entre outras compuseram o conjunto de mais de 50 embarcações na procissão do Bom Jesus dos Navegantes, ocorrida agora há pouco nas águas do Rio São Francisco, e que constitui-se no ponto alto festa religiosa mais aguardada do ano na região. A procissão teve início às 16 horas, saindo da Catedral Diocesana de Propriá, daí, migrando para as embarcações que se concentravam no atracadouro entre o que um dia foram o Mangaba e o Beira Rio, onde está hoje o Mirante do São Francisco.

O cortejo percorreu o rio São Francisco, do ponto que vai de Propriá, passando pelo município de Telha, próximo da Praia da Adutora. Pelo lado de Alagoas, a procissão fluvial aproximou-se da margem da cidade de Porto Real do Colégio, indo até as proximidades do povoado Sampaio, já no município de São Brás. Um dos momentos mais emocionantes e que pelo seu significado marca anualmente a procissão do Bom Jesus, é a saudação através de fogos feito pela comunidade de Porto Real do Colégio. É a maior prova de união entre duas cidades irmãs, de dois estados que são unidos pelo Rio da Integração Nacional.

A festa do Bom Jesus dos Navegantes é singular e plural. Singular pelo fato que encerra o Ciclo Natalino em Sergipe, e plural pelo seu caráter marcadamente particular entre um ano e outro. São renovações de fé, de esperança, de agradecimento ao padroeiro das águas. Do cais, da ponte, as margens dos quatro mastros (Quintino Bocaiúva, Banca do Peixe, Nelson Melo e Poeira), as pessoas se apinham para saudar o cortejo fluvial. Milhares de pessoas que integram o turismo religioso afluíram de cidades alagoanas (Porto Real do Colégio, São Brás, Igreja Nova, Girau do Ponciano, entre outras) e sergipanas (vamos evitar citá-las para não incorrer no pecado de omitir uma delas) para Propriá para a maior manifestação de fé e religiosidade popular do Baixo São Francisco.

Não perca a partir de amanhã a cobertura completa da festa, nos seus aspectos social e religioso, inclusive com mais fotos que serão adicionadas aquelas já disponibilizadas no espaço ‘Festas e Eventos’ que você pode inclusive dá uma ‘ispiadinha’ naquelas já postadas. A festa é realizada em parceria da Prefeitura de Mropriá com a Diocese de Propriá, tendo as parcerias do Governo de Sergipe, do Banese e da distribuidora local da cervejaria Nova Shin.

30 de jan de 2010

CONVITE: Festa de Nª Sª de Lourdes

“Com Maria, queremos servir somente a Deus”.
De 02 a 11 de fevereiro de 2010

A Paróquia de Nossa Senhora de Lourdes, em comunhão com o Pároco Pe. Natal e com o apoio do Conselho Pastoral Paroquial, vem convidar-lhe para participar da festa anual de sua Padroeira N. Sra. de Lourdes.

Por meio desta festa queremos nos preparar para a Campanha da Fraternidade de 2010 cujo lema é: “Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro” (Mt 6,24c).

Na Bíblia, os pobres e todos os necessitados estão no centro da justiça que Deus exige das relações humanas e econômicas. A pobreza é fruto de decisões e de políticas humanas. Queremos que a Festa da nossa Padroeira seja uma oportunidade para refletir sobre nossa atitude e mudar as situações de extrema necessidade presentes na nossa comunidade.

Mãezinha carinhosa e Rainha deste lugar, ajudai-nos a fazer da nossa vida um sinal do amor e da justiça de Deus.

Pe. Natal Brambilla

NOVENA DA FESTA DE N. Sra. DE LOURDES
De 02 a 11 de fevereiro de 2010

PROGRAMAÇÃO:

Dia 02/02 (terça feira) – 1º Dia
Sub-tema: “Nossa Senhora de Lourdes, ensinai-nos a sermos justos!”
Às 19h30 Missa. Celebrante: Mário César (Poço Redondo)
Patrocinadores: Terço dos Homens.
Organizadores: José Maria, Edmilson, Sr. Manoel
Noite dos Homens.

Dia 03/02 (quarta feira) – 2º Dia
Sub-tema: “Nossa Senhora de Lourdes, ensinai-nos a ajudar os necessitados!”
Às 19h30 Missa. Celebrante: Pe. Givaldo Santos Filho (Igreja Sagrado Coração de Jesus)
Patrocinadores: LAB-VIDA, Condepi, Colônia de Pescadores, Associação dos Pescadores, Associações, Marisqueiras, Donos de Barcos, Gelo Tim, Comerciantes, Projeto TAMAR e BANESE.
Organizadores: Nadja Calheiros, Irmã Maria, Pedro Marcelo, José Augusto Almeida, Joselita Santiago, Evandro Góis, Carlos Rocha, Josiane Santos, Lucio Biriba, Luis Cláudio.
Noite dos dizimistas, pescadores e comerciantes.

Dia 04/02 (quinta feira) – 3º Dia
Às 15h00 Confissões na Igreja Matriz.
Sub-tema: “Nossa Senhora de Lourdes, ensinai-nos a servir somente a Deus!”
Às 19h30 Missa. Celebrante: Pe. Jadilson (Barra dos Coqueiros)
Patrocinadores: Aposentados.
Organizadores: D’fausta, D’nerita, D’aurea.
Noite dos Idosos.

Dia 05/02 (sexta feira) – 4º Dia
Às 09h00 Missa dos Enfermos. Celebrante: Pe. Natal
Sub-tema: “Nossa Senhora de Lourdes, ensinai-nos o desapego aos bens materiais!”
Às 19h30 Missa. Celebrante: Pe. Natal.
Patrocinadores: Apostolado da Oração.
Organizadores: D. Selma, Joana de Deus, Sônia, Fátima, Marleide, Selda, Lucia Santos Ferreira.
Noite das Mulheres.

Dia 06/02 (sábado) – 5º Dia
Sub-tema: “Nossa Senhora de Lourdes, ensinai-nos a sermos sinceros!”
Celebrante: Pe. Edinaldo de Oliveira (Graccho Cardoso)
Patrocinador: Veranistas.
Organizadores: D. Izabel, Cândida, Lucio, Mercedes, Marielze, Aliete.
Noite das Famílias. Às 19h30 Missa.
“Logo após a Santa Missa Leilão Beneficente”.

Dia 07/02 (domingo) – 6º Dia
Às 09:00hs da manha, Missa das crianças com batizados
Sub-tema: “Nossa Senhora de Lourdes, ensinai-nos a sermos caridosos!”
Às 19h30 Missa. Celebrante: Pe. João Giomo
Patrocinadores: Renovação Carismática Católica.
Organizadores: Lindo, Bruna, Suíla, Wanderson,Tiago
Noite da Juventude.

Dia 08/02 (segunda feira) – 7º Dia
Sub-tema: “Nossa Senhora de Lourdes, ensinai-nos a querer o bem de todos!”
Às 19h30 Missa. Celebrante: Pe. João Giomo
Patrocinadores: Catequese, Coroinhas, Infância Missionária e Pastoral da Criança
Organizadores: Eliene, Jean, Luiz Henrique, Marilia, Carlos Miguel, Cleverton, Osvaldina, Josenilsa, Miliane, Mirele, Dr. Silvia, D’jaci.
Noite das Crianças.

Dia 09/02 (terça feira) – 8º Dia
Sub-tema: “Nossa Senhora de Lourdes, ensinai-nos a viver como irmãos e irmãs!”
Às 19h30 Missa. Celebrante: Pe. Aélio
Patrocinadores: Escola Municipal Mario Trindade Cruz, Escola Estadual José Amaral Lemos, Escola Leonor Barreto Franco, Secretaria da Educação, Escola Mundo da Fantasia, Escola Estrelinha do Saber.
Organizadores: Sônia Mª dos Santos, Tânia Teles da Costa, Tereza Neuma Muniz Cariri, Mª Juraci F.dos Santos, Mª de Lourdes Cardoso Gouveia, Inês Batista da Conceição Ângelo, Maria do Carmo de Carvalho Bispo.
Noite dos alunos, dos professores, dos funcionários da educação.

Dia 10/02 (quarta feira) – 9º Dia
Sub-tema “Nossa Senhora de Lourdes, ensinai-nos o desapego ao poder!”
Às 19h30 Missa. Celebrante: Pe. Natal
Patrocinadores: Prefeitura Municipal e Câmara de Vereadores.
Organizadores: Prefeito Dr. Nilton e D. Dolores, Vice-prefeito Dr. Marcos e Dra. Sílvia, Vereador Juarez de Deus e demais vereadores, Sem. Clênisson e Jean.
Noite dos Funcionários Públicos.

DIA DA FESTA 11/02 (quinta feira)

Às 06h00 – Alvorada Festiva e Oficio da Imaculada Conceição.
Às 09h00 – Missa Solene e Primeira Eucaristia das Crianças.
Celebrante: Pe. Natal.
Às 16h00 – Procissão e Celebração Eucarística com a participação de todas as comunidades rurais com seus respectivos padroeiros.
Celebrante:

Oração a Nossa Senhora de Lourdes

Ó Virgem puríssima, Nossa Senhora de Lourdes, que vos dignastes aparecer a Bernadete, no lugar solitário de uma gruta, para nos lembrar que é no silêncio e recolhimento que Deus nos fala e nós falamos com ele, ajudai-nos a encontrar o sossego e a paz de espírito para nos conservarmos sempre mais unidos a Deus. Nossa Senhora, intercedei perante seu Filho Jesus para que nos dê a graça que vos pedimos e tanto precisamos (pedir a graça).
Nossa Senhora de Lourdes, rogai por nós. Amém.

11 de fevereiro dia de NOSSA SENHORA DE LOURDES

Hoje toda a Igreja celebra a Festa de Nossa Senhora de Lourdes. Por 18 vezes, Nossa Senhora apareceu a Bernadete Soubirous, na gruta de Massabielle, perto de Lourdes, na França. As aparições tiveram início no dia 11 de fevereiro e se repetiram até 16 de julho de 1858.

A Virgem Maria manifestou-se à vidente com o título de Imaculada Conceição. É a Virgem, concebida sem pecado, que nos traz o apelo à conversão, através da penitência e da oração.

Desde 1858 o Santuário de Nossa Senhora de Lourdes é visitado por numerosas romarias. Muitos doentes são curados de seus males físicos e espirituais. Os milagres e as curas são rigorosamente estudados por um comitê de médicos e especialistas. Bernadete Soubirous foi submetida a vários interrogatórios por parte de autoridades civis e eclesiásticas; as pessoas miraculadas foram e são rigorosamente examinadas até hoje. As conclusões a que se chegou revelam a veracidade das aparições de Nossa Senhora a Bernadete Soubirous, na gruta de Massabielle, assim como dos numerosos milagres realizados por Jesus, por intercessão dela.

Realização: Paróquia N. Sra. de Lourdes – Pirambu.
Apoio: Prefeitura Municipal de Pirambu.

Comissão Organizadora da Festa:
CPP e Organizadores.

“Agradecemos a todos pela participação e colaboração.
Que N. Sra. de Lourdes proteja e guarde a cada um”.

Crônica: “A Festa de Bom Jesus dos Navegantes de Propriá”

Texto: José Alberto Amorim * | Foto: Acervo de Washington Prata

Através de pesquisas e da oralidade com pessoas idosas, a Festa de Bom Jesus dos Navegantes de Propriá, consta dos primórdios do século XX, após o fato de três pescadores na enchente da Januária, em 1906. Os pescadores encontravam-se em uma canoa de pescaria defronte à cidade de Propriá, quando foram atingidos por uma grande tempestade. Aflitos, clamaram por socorro ao Bom Jesus, sendo imediatamente atendidos.

Anos mais tarde, a Igreja teve conhecimento do ocorrido e, através da Confraria de São Vicente de Paula, tomou a iniciativa em festejar o Bom Jesus no último domingo de Janeiro de 1914, estendendo-se até os dias de hoje.

A solenidade em ação de graças aos agricultores e rizicultores ribeirinhos cujas produções dependiam do ciclo das águas, graças alcançadas também pelos canoeiros e pescadores, onde canoas e lanchas tinham grande importância como meio de transportes do Baixo São Francisco.

A procissão fluvial percorre as margens direita e esquerda do rio, entre as cidades de Propriá e porto Real do Colégio(Alagoas) .

O cortejo com a imagem do Bom Jesus era composto por canoas; a canoa de tolda “Marialva” era puxada pelo “Vapor”, que vinha da cidade de Penedo. Na sua chegada a Propriá, o paquete era saudado com fogos e pelos sons de sirenes das mais de doze beneficiadoras de arroz da cidade, o que se repetia no seu retorno.

Atualmente o séquito é acompanhado por canoas, lanchas, catamarãs, Jet –sky e balsa que transporta a imagem do Bom Jesus.

Num passado recente, havia corridas de pequenas canoas a vela e atividades náuticas, tendo como destaque a competição a nado, partindo da cidade de Colégio até Propriá.

Tínhamos exímios nadadores, Zé peixe e Rita Peixe (atualmente morando em Aracaju), João bate-asa (falecido) e Pedro “bulachão”, dentre outros que faziam a travessia do “Velho Chico” com a maior naturalidade.

O precursor dos “mastros”, que simbolizavam as canoas foi José Maurício, o” Zeca Pelado”, do Bairro de “cima”, como era conhecida a parte oeste da cidade, mais precisamente na hoje, Rua Quintino Bacaiuva. Zeca Pelado, além de tratar da organização dos festejos, era também responsável pelos disparos de uma grande ronqueira.

“Após o advento do mastro do “Bairro de Baixo”, (Poeira), se dá início a uma eterna disputa pela maior queima de fogos de artifícios.

Além da reunião de familiares, de pessoas das diversas cidades próximas e de outros Estados, a Festa do Bom Jesus dos Navegantes de Propriá é o maior acontecimento popular do Baixo São Francisco.
_____________________________________
* José Alberto Amorim é secretário municipal de Administração e Desenvolvimento Institucional de Propriá, ex-presidente municipal do PT e licenciado em História pela Universidade Vale do Acaraú (UVA/SE), defendendo a Monografia “A Ditadura Militar em Propriá” (2009).

26 de jan de 2010

Veja como ajudar as vítimas do terremoto no Haiti

Tragédia pode ter afetado 3 milhões de pessoas, diz Cruz Vermelha
Do G1 e Ascom Exército Brasileiro

O terremoto no Haiti causou destruição e pode ser afetado cerca de 3 milhões de pessoas, segundo o Comitê Internacional da Cruz Vermelha, que alerta, porém, que o número ainda pode mudar porque ainda falta verificar muita coisa sobre a situação no país.

Quem quiser ajudar as vítimas do terremoto tem algumas opções. Como costuma acontecer depois de tragédias, podem aparecer sites falsos pedindo doações, então procure doar para instituições reconhecidas por meio do site delas.

A embaixada do Haiti no Brasil recebe doações em dinheiro por meio da conta corrente abaixo. Os recursos serão recebidos diretamente pela embaixada e administrados por ela, segundo o Banco do Brasil. Podem ser feitos depósitos ou transferências de qualquer banco e até mesmo de fora do Brasil para a conta corrente.

Nome: Embaixada da República do Haiti

Banco: Banco do Brasil

Agência: 1606-3

CC: 91000-7

CNPJ: 04170237/0001-71

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) também recebe doações só em dinheiro. Segundo Silvia Backes, coordenadora do CICV no Brasil, a entidade não recebe outros tipos de doações, como roupas, devido à dificuldade de enviá-las ao país. Ela diz que há uma equipe de ajuda emergencial da Cruz Vermelha saindo de Genebra com toneladas de doações e com equipes de médicos.

Para doar ao CICV, use a conta corrente abaixo:

Nome: Comitê Internacional da Cruz Vermelha

Banco: HSBC

Agência: 1276

CC: 14526-84

CNPJ: 04359688/0001-51

No caso de doações por meio de transferências bancárias, é preciso acrescentar o código 00200 no campo finalidade.

O Movimento Viva Rio informou que abriu uma conta para receber doações que serão usadas para compra de alimentos, água e medicamentos.

Presente desde 2004 no Haiti, o Viva Rio mantém uma equipe de mais de 400 pessoas trabalhando nos projetos, sendo nove brasileiros. Doações podem ser feitas na conta:

Nome: Movimento Viva Rio

Banco: Banco do Brasil
Agência: 1769-8
CC: 5113-6

CNPJ: 00343941/0001-28

O músico haitiano Wyclef Jean recebe doações para ajudar as vítimas do terremoto por meio de sua ONG, a Yelé Haiti. Para doar, acesse o site do Yelé Haiti, clique em "Donate", escolha o valor da doação e forneça os dados do seu cartão de crédito.

A ActionAid, organização internacional sem fins lucrativos, também está recebendo doações. Para ajudar as vítimas do terremoto no Haiti, o interessado pode fazer uma doação pelo telefone 0300 789 8525, das 10h até as 18h, de segunda a sexta-feira, ou pelo site da entidade (www.ajudeohaiti.org.br). A doação mínima é de R$ 10.

A Caixa Econômica Federal lançou nesta sexta-feira (15) uma campanha de ajuda às vítimas do terremoto. Os depósitos serão encaminhadas para o Programa Mundial de Alimentação (PMA) da Organização das Nações Unidas (ONU) e para o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assistência Humanitária (OCHA, sigla em inglês).

Doações podem ser realizados em toda a rede da Caixa e não há valor mínimo. Os dados para fazer depósito são os seguintes:

Nome: PNUD - Haiti

Banco: Caixa Econômica Federal
Agência: 0647
Operação: 003
Conta: 600-1

O Exército Brasileiro disponibilizou contatos para enviar ajuda:

1. Medicamentos e ofertas de serviços médicos
- Órgão responsável: Ministério da Saúde
- Contato: missaodeajudahaiti@saude.gov.br

2. Água engarrafada e alimentos para consumo imediato, a exemplo de leite tipo longa vida, sucos em caixa ou lata, achocolatados, biscoitos, barras de cereais, frutas desidratadas e enlatados de pronto consumo.
- Órgão responsável: Secretaria Nacional de Defesa Civil
- Contato: www.defesacivil.gov.br (unidades da defesa civil do País, com base nos estados e municípios)

3. Outras ofertas de serviços
- Órgão responsável: Gabinete de Segurança Institucional da Pres Rep (GSI/PR)
- Contatos: saei@planalto.gov.br ou FAX: (61) 3411-1297.

4. Doações em valores:
- Banco do Brasil Conta SOS HAITI- Embaixada do Haiti
Agência 1606-3
Conta Corrente 91000-7
- Caixa Econômica Federal Conta PNUD HAITI
Agência 0647 Op 003
Conta Corrente 600-1

Assessoria de Comunicação Social do GSI
Brasília, DF, 18 de janeiro de 2010
Fax: (61) 3411-1479
asscomgsi@planalto.gov.br

Informações sobre cidadãos brasileiros no Haiti podem ser obtidas no Núcleo de Assistência a Brasileiros do Itamaraty, nos telefones abaixo:

(61) 3411-8803
(61) 3411-8805
(61) 3411-8808
(61) 3411-8817
(61) 3411-9718
(61) 8197-2284

PAULO BRITTO esclarece por que não realizou o 25º Encontro Cultural em 2009

Meu caro Caludomir,

Todos já sabem o porquê de não termos realizado o 25o. Encontro Cultural
o ano passado: A ABSOLUTA FALTA DE RECURSOS FINANCEIROS.
Por temperamento e responsabilidade só autorizo as despesas que o
municípo possa absorver.

Este ano, se a Justiça Eleitoral permitir faremos o nosso Encontro
Cultural em Setembro - DATA EM QUE ACHO APROPRIADA PARA QUE POSSAMOS
INCLUÍ-LA NO CALENDÁRIO DE EVENTOS DO ESTADO. PROPRIÁ FICARIA ENTÃO, COM
TRÊS GRANDES EVENTOS BEM DISTRIBUÍDOS: FESTA DE BOM JESUS (JANEIRO),
TREZENÁRIO DE SANTO ANTÔNIO/FORRÓ DO COMÉRCIO (JUNHO) E ENCONTRO
CULTURAL (SETEMBRO). PERFEITO PARA A FÉ E RELIOGIZIDADE, PERFEITO PARA O
LAZER DE NOSSO POVO E PERFEITO PARA A GERAÇÃO DE RENDA.
No entanto, caso a Justiça Eleitoral não permitir no mês de setembro,
sem que antes a festa tenha sido incluída no calendário oficial do
Estado de Sergipe, a faremos realizar junto com o Forró do Comércio. Nos
anos futuros ela passará a ser, DEFINITIVAMENTE, em setembro. QUE TAL
ABRINDO A PRIMAVERA?

Jamais abandonaria evento de tal importância para a cultura de nosso
povo, principalmente este próximo Encontro Cultural que terá como tema
os 100 anos dde nascimento do poeta João Fernandes de Britto, o Dr.
Britinho, meu querido e inesquecível pai.

Esperando ter esclarecido o assunto, um grande, afetuoso e respeitoso
abraço.

Paulo Britto
PREFEITO MUNICIPAL

Era uma vez o Encontro Cultural de Propriá

População reage indignada com programação da Festa do Bom Jesus dos Navegantes, em que exclui o XXV Encontro Cultural
Por Claudomir Tavares * | claudomir@tribunadapraia.net

Há uns quinze dias atrás, quando buscávamos junto a prefeitura de Propriá e secretaria Paroquial as respectivas programações cultural, social e religiosa, anunciávamos que faríamos anunciar com total exclusividade neste portal aos nossos leitores, como temos feito desde 2005. Chegamos a anunciar que nos próximos dias divulgaríamos a programação da Festa do Bom Jesus dos Navegantes e XXV Encontro Cultural de Propriá. E afirmávamos com tanta certeza pois em uma reunião da ONG Karranka, realizada no mês de agosto de 2009 na Diretoria Regional de Educação (DRE’ 06), o secretário municipal de Cultura e Meio Ambiente, professor Martinho José da Silva, afirmava peremptoriamente que o Encontro Municipal, previsto para ser realizado em setembro daquele ano, seria realizado junto com a Festa do Bom Jesus dos Navegantes em janeiro de 2010.

O secretário afirmava que aquela era uma decisão do prefeito Paulo Britto (PT), que remanejou o encontro desde 2008 para uma outra data, para garantir os recursos necessários a sua realização. A reação de artistas e intelectuais naquele momento foi de mais completa indignação, pois esta garantia do prefeito de que o Encontro seria realizado junto com a Festa de Santo Antônio, padroeiro da cidade, como ocorreu em 2008, também seria feito em 2009. Adiou para setembro e depois frustrou a todos com a informação que os pegou de surpresa.

Integrantes da Karrankas chegaram a ventilar a idéia de chamar para a comunidade artista a responsabilidade de não deixar passar em branco um ano, o primeiro desde 1994, sem realizar o Encontro. Depois, em função do exímio tempo que restava, declinaram para a proposta de realizar o I Circuito Cultural da Karrankas. Infelizmente a idéia não pode ser concretizada, pois o grupo não viabilizou as condicionantes necessárias a sua realização. Nos ‘rendemos’ e aguardávamos, então, que pelo menos desta vez a administração municipal realizasse o XXV Encontro Cultural de Propriá, novamente concomitantemente com a Festa do Bom Jesus dos Navegantes, o que parece ser uma unanimidade na cidade de que nunca deveriam ter promovido o desmembramento, que no imaginário popular, é o fim do evento.

Na cidade a população que até o dia 16 aguardava com ansiedade a programação da Festa e Encontro, foi surpreendida quando a Tribuna da Praia divulgou com absoluta exclusividade, depois de conseguir junto ao secretário Charles Francisco de Souza (Desenvolvimento Econômico, Geração de Emprego e Renda e do Turismo), a Programação Artística (ou social). Naquele dia informávamos que o prefeito Paulo Britto havia decidido, pelo terceiro ano consecutivo, não realizar o Encontro Cultural paralelo a Festa do Bom Jesus dos Navegantes. No dia 19, divulgamos a programação completa (Religiosa – Cívica, Ecológica e Esportiva – Artística), a partir de um contato com o professor Martinho José da Silva, secretário municipal de Cultura e Meio Ambiente.

Os demais meios de comunicação, inclusive o Portal da Prefeitura, só veio divulgar a programação a partir de 20 de janeiro, os da capital, a partir do dia 21. Estava aí a prova inequívoca do nosso compromisso com as manifestações culturais de nossa gente. Mas voltaremos no final da Coluna ‘Fique de Olho’ de hoje a falar da importância do Encontro Cultural de Propriá e dos prejuízos que a sua não realização acarretam a Princesinha do São Francisco.

:: PATRIMÔNIO DA HUMANIDADE

A cidade de São Cristóvão, distante 17 km de Aracaju, está em campanha para transformar a Praça São Francisco, um dos mais belos conjuntos coloniais brasileiros, em Patrimônio da Humanidade, reconhecimento que depende da chancela da UNESCO, organismo das Nações Unidas para proteção do patrimônio cultural. A campanha envolve importantes segmentos da sociedade sergipana, aos quais nos incluímos. Mas o próprio poder público de São Cristóvão poderia ter feito sua parte, ao não manter a regularidade do Festival de Arte de São Cristóvão (FASC), criado em 1972 (como parte das comemorações pela passagem dos 150 anos da independência do Brasil) pela Universidade Federal de Sergipe (UFS), e hoje corre atrás do prejuízo. Não se exemplou e novamente em 2009 deixou de realizar o Encontro. Os motivos, alegam, são as constantes ondas de instabilidades que tem vitimado o município. O último foi realizado em 2005, pelo ex-prefeito José Correia, o Zezinho da Everest (PTB), afastado do cargo em 2007 e falecido em circunstâncias nunca totalmente esclarecidas em 2008.

:: PATRIMÔNIO CULTURAL COMO PILAR PARA O DESENVOLVIMENTO

Recentemente (07 a 10/01) a cidade de Laranjeiras realizou com grande efervescência seu XXXV Encontro Cultural de Laranjeiras, ocasião em que discutiu a importância do Patrimônio Cultural como pilar para o desenvolvimento. O Encontro surgiu em 1976, numa parceria entre o Ministério da Cultura e o Governo de Sergipe, como forma de fortalecer as manifestações da cultura popular, com forte apelo cultural para o folclore, do qual a cidade é uma das mais representativas expressões. Laranjeiras realiza o evento de forma ininterrupta sempre concomitante com a Festa de Santos Reis, tradição no município.

:: CULTURA E MEIO AMBIENTE

Em 1991, o Projeto Tamar e a comunidade de Pirambu criaram o Culturarte (Encontro de Cultura e Arte de Pirambu). É umas das principais atividades de preservação e valorização cultural apoiadas pelo Tamar em Sergipe. Trata-se de uma grande mostra anual de eventos que alia tradições culturais ao programa de conservação das tartarugas marinhas. Foi criado com o objetivo de fomentar a educação ambiental através da arte, reunindo a comunidade, turistas e visitantes das cidades vizinhas. Em 2009 (18 a 20/12) aconteceu a 19ª edição, homenageando um dos mestres do folclore local, o Grande Constantino (Lariô da Tartaruga), falecido em abril de 2009. Isso aconteceu nos anos anteriores, sempre homenageando no cortejo folclórico um dos mestres que foi se juntar ao Grande Pai, deixando lições inapagáveis.

:: UM ENCONTRO PARA O SENHOR DOS LABIRINTOS

Arthur Bispo do Rosário (1909-1989), o ‘Senhor dos Labirintos’, é considerado pela crítica como um dos principais artistas brasileiros do século XX, saudado nacional e internacionalmente, mas apreciado por um público ainda restrito a artistas e intelectuais. A prefeitura municipal de Japaratuba, em um reconhecimento ainda que tardio, criou em 2002 um Festival de Artes que leva o nome do gênio universal das artes plásticas. Em 2009 o município dedicou as atividades culturais e artistas desenvolvidas pelo poder público ao Centenário do Bispo, depois de 20 anos de sua passagem para o outro plano. Chegou em 2010 a sua nona edição, crescendo e consolidando-se a cada ano. É realizado dentro e ao concomitante com a Festa de Santos Reis (07 a 10/01), iniciando no dia em que esta encerra-se com a coroação dos reis e rainhas do Cacumbi e do Maracatu, prosseguindo até o dia 14, véspera da Festa das Cabadinhas (15 a 17/01).

:: A IMPORTÂNCIA DOS ENCONTROS CULTURAIS

Outras cidades sergipanas realizam anualmente seus encontros, festivais e mostras culturais, sempre com a motivação de promover e resgatar as manifestações artistas e culturais endêmicas daquelas comunidades ou presentes entre eles, fruto de heranças, tradições que se pretendem perpetuarem-se entre as gerações presentes e futuras. É o caso de Japoatã, Neópolis, Gararu, Graccho Cardoso, Itaporanga, Santo Amaro das Brotas e mais recentemente Santana do São Francisco. Esta última descobriu no período da Festa de Bom Jesus dos Navegantes (13 a 17/01) um período importante e estratégico do ponto de vista cultural, turístico e econômico para aliar a tradicional festa dos santos das águas, ao potencial artístico da cidade, que vai do artesanato/fator econômico ao samba-de-coco/fator cultural, entre outros elementos visíveis naquela manifestação da cultura sergipana.

:: O FANTÁSTICO PROJETO CHAMADO ENCONTRO CULTURAL

Surgido em 1984, das entranhas do desativado CSU (Centro Social Urbano), a época sob a responsabilidade da senhora Maria das Graças Nascimento (Dona Menininha), nos anos seguintes o Encontro Cultural foi encampado não só pelo poder público, como e principalmente pela sociedade, que se apropriou de um produto que ela se identificava. Uma de suas idealizadoras, a professora Tereza Cariri disse em postagem no Mural de Recados da Tribuna da Praia que “realmente não dá pra continuar calada (...) Caros conterrâneos sinto muito... Confesso saudades!!!”, desabava a professora e uma das principais personagens do universo cultural nos anos 80 em Propriá.

:: NÃO SE JUSTIFICA

Enquanto aos demais municípios sergipanos têm encontrado nos encontros e festivais culturais uma alavanca para o desenvolvimento sócio-cultural, como fomento para a economia da cultura e o turismo cultural, o município de própria alega que o desmembramento tem como objetivo proporcionar uma nova data no calendário cultural do município. Assim, defendemos que esta proposta seja dialogada com a sociedade, em um Simpósio ou Seminário, mas um fórum dentro do próprio Encontro Cultural. Este debate, a construção do Encontro Cultural, deveria ter integrado a pauta do 1º Seminário Municipal de Cultura (22/08) ou 1ª Conferência Municipal de Cultura (29/09), mas estes temas foram minimizados pela necessidade de discutir ‘os grandes temas nacionais’. De positivo, a criação do Conselho Municipal de Cultura, que deve se apropriar deste debate, para salvar o Encontro Municipal, realizando este, impreterivelmente, no primeiro semestre (e não junto com a Festa de Santo Antônio), fazendo-o retornar para sua data sagrada em 2011.

:: FALTA UMA POLÍTICA CULTURAL

Com todo o respeito que temos pelos que fazem a administração municipal, e eles sabem que estas críticas são fraternas, o que falta em Propriá é uma política cultural, construída a partir de um processo amplo de debate que envolva o conjunto dos artistas, dos atores sociais do universo cultural (e Propriá tem um forte repertório, aqui dentro e fora desta cidade). Não é por falta de recursos que se deixa re realizar uma festa que é referência nacional, pois os recursos que serão deslocados para pagar a banda Calcinha Preta (que segundo eco geral toca e canta em aniversário de boneca, despedida de solteiro, e festas em tudo que é cidade, povoados, festas de times de futebol), daria para garantir a realização do XXV Encontro Cultural. “O que falta é vontade política e identidade cultural”, indignou-se uma ativista cultural que preferiu preservar seu nome.

:: MURAL DE RECADOS:

“Realmente não dá pra continuar calada. Festival de Cultura de Propriá? Cadê? Agora: Carnaval antecipado... Um Pré CAJU A LÁ PROPRIÁ...ou outro título!!! Caberia bem ao que vem acontecendo com este Projeto de Festival de Cultura. Sinto-me a vontade em falar por ter sido uma das mentoras desse fantástico projeto quando da sua criação. Infelizmente os gestores municipais se perderam na História e nos conceitos de festivais ou mostras culturais. Caros conterrâneos sinto muito...Confesso saudades!!! Acompanho de longe as diversas ações realizadas neste município de tamanha grandeza cultural ... Axê pra todos! Como dizem alguns amigos faço parte da geração dos DINOSSAUROS LUTADORES CULTURAIS DE PROPRIÁ E DO ESTADO...Sou Cariri, sou de Propriá” (Tereza Cariri)

:: 17.805 ACESSOS 2004

Conforme temos registrado nas últimas publicações da Coluna ‘Fique de Olho’, hoje informamos que a Tribuna da Praia foi acessada por 3911 internautas no mês de dezembro de 2004, oito meses depois de colocá-la no ar, uma média de 126,1/dia, contra os 124,2/dia do mês anterior. Somados os 13.894 de abril, maio, junho, julho, agosto, setembro, outubro e novembro de 2004, atingimos um total de 17.805 no primeiro ano de operação. Atualmente a nossa freqüência diária é de 3741 acessos/dia, dados atualizados após a informação da média mensal de outubro, novembro e dezembro de 2009. Nas próximas edições, informaremos a freqüência dos meses de 2005, nosso segundo ano de operação.

:: FRASE DO DIA:

“Quando todos pensam igual é por que ninguém está pensando”. (Walter Lippmam)

:: ANTERIORES ¹:

24/01/2010 – Sindicato cobra diálogo com Paulo Britto
17/01/2010 – Povoado Alagamar: Cultura e Tradição
16/01/2010 – 150 anos da visita de D. Pedro II a Pirambu e ao Canal do Pomonga

¹ Nota: As postagens anteriores, incluindo esta, estão em nosso Site Oficial: http://www.claudomir.com.br.
___________________________________
* Claudomir Tavares (41) é professor de Sociedade e Cultura da Escola Municipal Mário Trindade Cruz (Pirambu), de História, Filosofia, Cultura Sergipana no Colégio Estadual Joana de Freitas Barbosa (Propriá). Licenciado em História pela UFS (2002), com Pós Graduação em Gestão de Recursos Hídricos (Aperfeiçoamento – Concluído - 2007/2008 / Cursando Especialização – 2009/2010) pela UFS e Didática e Metodologia do Ensino Superior pela Faculdade São Luís de França (2006). Foi secretário geral (2007/2008) e presidente (2008/2010) do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Japaratuba, membro fundador da Sociedade Sócio-Ambiental do Vale do Japaratuba - SOS Rio Japaratuba (desde 1998), presidente municipal (desde 2008) e secretário estadual de Assuntos Parlamentares do Partido Verde (da Executiva Estadual desde 2005) e Diretor-Fundador do Jornal Tribuna da Praia (Impresso desde 1983 e Online desde 2004). Mantém site, blog, twitter, perfil e comunidade no Orkut.

PSIU: A utilização deste e outros artigos deve respeitar a Lei dos Direitos Autorais. Sua veiculação deve ser previamente autorizada e as informações autorais devem ser mantidas.

Praças de esporte agonizam em Propriá (Parte I)

Estádio do Propriá é um símbolo de abandono em que se encontra o quase centenário clube da ribeirinha
Por Claudomir Tavares | claudomir@tribunadapraia.net

Atendendo sugestões de vários leitores e populares, entre os quais o radialista Tony Moreno, da equipe de esportes da Rádio Propriá FM 104,9, a Tribuna da Praia inicia na data de hoje uma série de reportagens sobre as praças de esportes da Princesinha do São Francisco, visitando os principais espaços esportivos ou o que restou deles. A gritaria geral é que a população está carente de espaços para a prática de esportes, e isto tem levado muitos jovens ao vício da embriaguês, só para ficar no exemplo das drogas lícitas.

De nossa parte até achamos que não é a falta de espaços para a prática de esportes, mas o estado de conservação em que os mesmos se encontram. Talvez o maior exemplo seja o Estádio Constantino Tavares, de propriedade do Esporte Clube Propriá, esquadrão azul, o ‘Avoengo’ da ribeirnha, fundado em 12 de Outubro de 1913 e que está prestes a comemorar (o que???) seu centenário daqui a pouco mais de três anos.

Já remonta de muitos anos que o clube de grandes alegrias (e tristeza), de risos (e lágrimas) resume-se a formar times (ou timecos) para disputar os malfadados Campeonato Sergipano da Série A2, apenas marcando posição (sempre as últimas), não almejando qualquer possibilidade de ascender a série principal do nosso futebol.

O Propriá só disputa o campeonato graças a gentileza de seu maior rival, que empresta o Estádio José Neto (ou Durval Feitosa) para que nele possa disputar suas partidas. A população de Propriá até que tem atendido os apelos dos dirigentes do clube, que une as torcidas dos dois clubes para torcer, incentivar as pretensões do ‘Avoengo’, que nada, nada e morre na praia.

A maior prova de descaso, de abandono e de visão amadorística da atual gestão (ou falta dela) do Propriá, é simbolizada pelas condições em que se encontram o seu estádio, maior patrimônio do clube, cuja situação de abandono, de falta de política de gerenciamento tem levado o clube a se comparar aos piores exemplos de futebol de várzea, aqueles que praticam o futebol como uma forma de extravagar as angústias da semana em algumas horas de lazer nos dias de sábado e domingo.

O clube não tem sido aberto para a inserção de novos sócios, não promove a inclusão de novos quadros em sua direção, faltando assim a necessária oxigenação, que possa um dia voltar a ser classificado como um clube profissional e quem, sabe, possa disputar a Série A1 e não o faça apenas como um passageiro de única temporada, que possa se manter, assim como tem feito o América, inclusive, vencendo um campeonato depois de 40 anos, graças a empenho e abnegação de cidadãos como Isaías Silva Aragão (que nos deixou em 04/12/2007) e Joaquim Feitosa (que este viva dezenas de anos).

Nos próximos dias abordaremos os estados em que se encontram outras praças de esportes, tais como Estádio João Alves Filho, Ginásio de Esportes Governador Antônio Carlos Valadares, só para citar os mais visíveis, além da falta de espaços alternativos, como quadras de esportes, campos de futebol society, entre outros. Você pode enviar suas contribuições. Críticas e sugestões são sempre bem vindas: claudomir@tribunadapraia.net

25 de jan de 2010

Candelária: nunca é tarde para fazer um novo começo

Por Mariana Vieira

Na Rua Curitiba, Bairro industrial, eu fui recebida por uma senhora franzina de camisola rosa claro, feição melancólica e olhos verdes. Esta senhora atende pelo apelido de Candelária, uma figura mítica de Aracaju.

Entretanto esta mesma senhora,na década de 60,foi a prostituta mais famosa e requisitada da capital. Ela foi uma exceção entre as prostitutas, pois conseguiu desfrutar de certo glamour, tal qual assistimos nos filmes. Hoje, reclusa das badalações, ela é presidente Associação Sergipana de Prostitutas (ASP) onde luta pela cidadania das profissionais da área.

Antes de ser Candelária, Maria Niziana Castelino, ainda muito pequena, vivia só com a mãe que logo foi vítima de tuberculose, fato que ela relata sob lágrimas. Desse tempo em diante passou por um orfanato e de lá foi adotada por uma família. A mulher que a adotou agredia-lhe bastante. “Ela não me batia, ela me espancava e depois me dava banho de água de sal. Me colocava pra dormir no quintal com os cachorros”. Não agüentando tal condição de vida, foi morar nas ruas onde passou por muitas privações. “Na igreja tinha um lugarzinho onde eu me protegia de sol, de chuva, mas as beatas me expulsavam. Dormir debaixo dos bancos das praças era muito frio”.

Ela saiu das ruas para trabalhar numa casa como doméstica e num teatro, onde aprendeu a dançar. “Dançava mambo, strip-tease, e a dança dos sete véus, mas não é o strip-tease de hoje não”, afirma candelária demonstrando que rosas cobriam seus seios e partes íntimas (um pouco mais comportado do que hoje se vê). Foi no teatro que recebeu o apelido, na verdade seu nome artístico, Candelária, por ser bonita e imponente como a igreja da Candelária.

Aos 16 anos começou a trabalhar na casa de prostituição mais elegante da capital, Miramar. Candelária relata que o começo de sua vida na prostituição foi de forma ingênua, pois como era muito nova, tinha medo dos homens que recebia no quarto. Irenilde Santos, sua amiga e parceira na ASP, explica “Ela era tão linda, tão linda que nem precisa fazer nada, que o homem só de olhar, conseguia o que queria.”

Em relação aos casos e amores da época, ela afirma que não teve nenhum de grande importância, apenas um que quando ainda muito jovem prometeu-lhe casamento. Mas foram muitos os apaixonados pela jovem de corpo esguio e olhos verdes. “Teve um que se apaixonou por ela, mas ele teve que viajar para estudar fora, pois aqui em Aracaju não tinha muito recurso para ele se formar. Ele voltou faz cinco anos, mas disse que não quer ver a Candelária hoje, porque quer ficar com a última lembrança que ele tem dela, com um vestido azul que ele mais gostava. Ele não quer ver a Candelária de hoje, quer manter aquela imagem.” Irenilde comprova a visão que Candelária causou no imaginário masculino.

Durante toda a sua vida na prostituição Candelária afirma que teve todos os seus sonhos de consumo supridos, pois tudo que queria seus clientes lhe davam, desde jóias até viagens. Alega que seu maior sonho mesmo era ter uma grande família, como ela assistia no filme “A noviça rebelde”, para preencher seus vazios na época, que até hoje não foram preenchidos, segundo a própria.

Quando o assunto é família e filhos, Candelária se emociona muito, pois seu primeiro filho ficou com ela só o período de amamentação, logo após foi retirado, pelo fato de ser prostituta. Esse fato foi determinante para gerar revolta e uma certa anarquia em Candelária que afrontou a sociedade (ainda mais) moralista da época. Foi presa diversas vezes, e deportada pra seu estado de origem (PE). Por duas vezes, ainda na estrada, fugiu de volta para Aracaju. Num tempo onde a sociedade cobrava da policia que as prostitutas andassem nas ruas depois das 10 da noite para não se misturarem com mulheres de família, Candelária, à luz do dia, ousava freqüentar casas de chás e sorveterias, mas ao não ser atendida, virava as mesas. Ia presa mais uma vez, no entanto os seus clientes a soltavam.

Aos 23 anos Candelária larga a prostituição e dá um novo rumo à sua vida. “È uma lutadora. Ela realmente procura lutar pelos direitos das prostitutas. Eu vibro muito quando vejo candelária atuando nessa luta.” Essa frase foi como o médico e porta-voz do que se diz respeito a AIDS no Estado, Almir Santana, definiu Candelária. Pelo fato dela servir de intermediaria entre a secretaria de saúde e as prostitutas, por facilitar o acesso e compreender a linguagem e o cotidiano das profissionais do sexo. Essa parceria entre Almir e Candelária, visa distribuir preservativos e fazer campanhas de prevenção entre as profissionais, para que assim sejam melhor atendidas.

O trabalho da ASP não se restringe apenas a prevenção. Também oferece cursos de artesanato, culinária, informática entre outros. Planejamento familiar e apoio psicológico também estão inclusos no projeto. Não apenas as prostitutas são beneficiadas pela ASP, mas seus filhos também, acolhendo de forma ampla toda a família, o que auxilia na construção de uma base.

Através do seu trabalho, a associação foi premiada pela revista Claúdia e pela UNDP (sigla em inglês para o Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas) pelo trabalho de redução de danos em drogas. Esses foram alguns dos reconhecimentos que obteve ao longo do seu trajeto.

Vale ressaltar que nem a ASP nem Candelária fazem apologia à prostituição, apenas querem garantir o direito à cidadania, saindo em defesa destas mulheres marginalizadas pela sociedade.

Ao perguntar se Candelária se considerava a ‘fada madrinha’ das prostitutas, antes mesmo da própria responder, Irenilde interrompe e dá a resposta emocionada “Mãe! Eu to dizendo isso porque é o que eu sinto por ela. Ela é a minha mãe porque o que ela faz por mim é coisa de mãe. É o que eu sempre digo: eu perdi uma mãe, mas ganhei outra.”

Candelária tem o espírito materno aflorado, e coloca esse sentimento em tudo que faz. Ela é alma da ASP e vice-versa. É de onde esta mulher de saúde debilitada tira as suas forças para viver. Com uma grande trajetória de vida, Candelária é prova viva de que nunca é tarde para fazer um novo começo.

Lagoa Redonda: Travessura da Natureza

O melhor modo de entender a lógica da vida é saber definir e entender o significado das coisas. No entanto, a grande dificuldade é entender coisas muito complexas e abrangentes. Por exemplo: Pergunte a seus amigos o que é o amor. Fatalmente teremos respostas tão diferentes que não conseguiremos extrair em poucas palavras o significado do que é o amor. Isso acontece com a natureza. Podemos definir como: “‘Alguma coisa que não teve a intervenção do homem”. Muito simplista não é?? Pois é.

Quando tentamos entender como a natureza é grandiosa e como ela age, mais temos dificuldades de encontrarmos uma definição que seja simples e que cubra toda a influência que ela exerce em nossas vidas. Um exemplo de como a natureza é traquina e muda os ambientes e a vida dos que vivem neles é LAGOA REDONDA.

Mas porque lagoa redonda é tão interessante assim? Para entendermos o significado deste local e o que a natureza fez com ele vamos falar um pouco sobre as dunas.

:: O que é uma duna?

Segundo a enciclopédia livre (Wikipédia), duna é uma montanha de areia criada a partir de processos eólicos (relacionados ao vento). Dunas descobertas são sujeitas à movimentação e mudanças de tamanho, pela ação do vento. O vale entre as dunas é chamado slack, ou seja, dunas são montes de areia formadas pelo vento e pelo mar. Quando o vento sopra, leva a areia e com o tempo viram dunas. Dunas não precisam ser necessariamente grandes, muitas delas são bem pequenas.

Com isso, vemos como a natureza tem a capacidade de mudar a estrutura das dunas através do vento e formar lagos e lagoas com o passar dos anos. Lagoa redonda é simplesmente um local como esse.. Trata-se de dunas que se formaram com a ação do vendo vindo da praia… e formando uma lagoa de água límpida porém de aspecto avermemelhado e uma temperatura agradável, haja visto que no verão a temperatura da areia das dunas é muito alta.

Mas onde fica lagoa redonda? Será que fica em algum deserto nos Estados Unidos? ou na África? Não mesmo, fica bem mais perto. Fica aqui mesmo em Sergipe. Mais precisamente no município de Pirambu. Por sinal, fica a poucos quilômetros de Aracaju. Com a construção da ponte que liga Aracaju-Barra dos Coqueiros o percurso ficou menor do que ir pela BR. Em menos de 1 hora você já estará em Lagoa redonda. É só seguir pela SE 204, passar pela entrada da cidade de Pirambu, seguir em frente por mais cerca de 5 km para chegar ao acesso de Lagoa Redonda à direita da estrada. Sobe uma pequena ladeira e entra à direita de novo em um pedaço de asfalto (não se iluda é apenas um pedaço – mas a estrada de barro chega a ser melhor do que o asfalto). Seguindo em frente, vai passar pelo povoado até chegar no riacho da Lagoa Redonda.

Chegando lá, temos uma boa surpresa: Como de costume, nesses locais paradisíacos temos um bar muito simples porém muito bom. Neste caso, o bar se chama ”Dunas Bar e Restaurante”, onde se servem pratos típicos da região. Se colocam até mesas no riacho onde você pode comer a vontade com a água em seus pés.

O passeio pode ser a pé pelo riacho. Quer malhar um pouco a perna? Suba a duna correndo. Além da duna ser grande a areia faz com que você gaste muita força pra subir rápido. Porém a vista lá de cima compensa o esforço. O azul do alto mar, o pequeno riacho serpenteando a paisagem, o branco das dunas e o verde da vegetação nativa… é de tirar o fôlego… e ficar na memória para o resto da vida. Se o horário do passeio for ao final da tarde ou de manhã cedinho, nos dias sem muito movimento, é possível ver sagüis e algumas aves nativas.

Vamos as dicas: Qualquer época do ano é boa para ir. Nos meses mais chuvosos (de abril a julho) o riacho fica maior. Seria interessante um horário mais cedo até antes das 9h ou depois das 15h. Com o sol mais fraco e a possibilidade de admirar mais a beleza local. E se você for daqueles que levam toda a família para a famosa “farofa com areia e carne” , pode levar tranqüilamente seu churrasco e se deliciar com o local e toda a traquinagem que a natureza fez. Ainda bem.

23 de jan de 2010

Professor da UFAL contesta teoria do aquecimento global

Luiz Carlos Molion afirma que emissão de gás carbônico pelo homem não influencia na temperatura do planeta
Victor Avner | victoravner@yahoo.com.br

Com mais de 40 anos de estudos sobre o clima, Luiz Carlos Molion garante que a humanidade não está viveciando um período de aquecimento global. Ele é professor de Climatologia e Mudanças Climáticas da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), possui pós-doutorado em Meteorologia e é o representante da América Latina na Organização Meteorológica Mundial.

Para Molion, um homem pelo Emissão de gás carbônico (CO2) não influencia nas mudanças climáticas. O professor afirma que uma interferência do homem só se dá localmente, não afetando o clima terrestre. A humanidade não teria atividade suficiente para causar mudanças no clima global e está muito longe de conseguir tal feito.

"A mudança no clima é natural, o homem não tem nada a ver. Não é o CO2 que o homem libera por meio da queima de combustíveis fósseis que controla o clima" Molion, afirma. De acordo com seus estudos, a 200 bilhões de toneladas de carbono por ano são emitidas para uma atmosfera naturalmente, enquanto o homem só seis bilhões EMITE. "Há ainda uma variável de 40 bilhões, quer dizer, uma Emitir pode Natureza 160 bilhões de toneladas em um ano e 240 bi-lhões de toneladas ano no outro. Seis bilhões Emitidos pelo homem não influencia em nada", explica. "O que o CO2 está aí, a gente nem sabe se Molion diz parte das atividades humanas".

Com dados do clima no mundo em anos passados, Molion afirma que na década de 1940 já maiores temperaturas do que hoje. "No final da Segunda Guerra Mundial emitia o homem 10% do que hoje EMITE [de gás carbônico]. Até agora, a temperatura não Ártico não chegou ao mesmo nível do final da Segunda Guerra", comenta,. Ele também afirma que em 1934 houve uma maior temperatura já registrada nos Estados Unidos. Mesmo com maior emissão de gás carbônico, não foi registrada qualquer temperatura superior.

O professor destaca ainda A importância do gás carbônico para a humanidade. "O CO2 não é poluente, é um gás da vida. Nem os homens nem os animais produzem alimentos. A gente precisa das plantas, que transformam em CO2 o seu alimento", lembra. Para o professor, quanto mais gás carbônico, melhor para a humanidade, porque o gás "aumenta a produtividade das plantas".

METANO - Outro polêmico é o gás metano, Expelido por animais ruminantes, como boi ou carneiro, e também por restos de arrozais. Este gás também seria um dos Responsáveis pelo aquecimento global e as fazendas de rebanhos de bovinos e caprinos e as grandes produções de Poluentes seriam arroz em potencial. Molion também contesta a tese de que esses gases estariam influenciando no clima terrestre.

"Os arrozais continuam aumentando porque nós precisamos comer. Estatísticas mostram que os ruminantes estão crescendo 17 milhões de Cabeços por ano, só o Brasil atingiu já 200 milhões de cabeças. Mas o metano nos últimos 20 anos está estacionado, sua concentração parou de crescer. Ao contrário, nos últimos 10 anos ela tem mostrado crescimento negativo ", comenta.

Molion é incisivo quando diz que o homem não pode intervenir no clima mundial. "De nada adianta você querer Controlar uma situação, nada adianta esses protocolos de Reduzir as Emissões de CO2, porque o CO2 não controla o clima glo-finaliza", bal.
OUTROS FATORES - Um dos fatores DEFINEM que o clima global seria uma atividade do Sol, em queda que ultimamente está. Com o menor atividade no Sol, menos raios solares chegam à Terra e um há queda na temperatura do planeta. Segundo o professor, 2007 foi o último ano em que houve Aumento na temperatura. De lá pra cá uma temperatura terrestre e caiu Deverá conti-nuar caindo nos próximos 30 anos.

"Sob o ponto de vista global, o nosso clima é controlado pela sua fonte de energia, que é o Sol, e que tem uma variabilidade sua. Ciclos Tem de 11 anos, de 90 anos, ciclos de 170 anos. E também é controlado pelos oceanos, COBREM que 71% da superfície terrestre, e são o grande reservatório de calor que controla o nosso clima. Muda a temperatura do oceano, o clima muda ", comenta o cientista.

Molion explica também que muitas pesquisas mostram altas temperaturas não pla-neta porque São Baseadas terrestres em termômetros. Essas pesquisas estariam tendão seus dados influenciados pela urbanização na área, um fenômeno conhecido como "ilhas de calor urbano". "A lizada em maioría dos termômetros está loca-áreas com grande concentração urbana. Aumentar faz isso em uma temperatura um três cinco graus centígrados", argumenta. Em suas pesquisas, Molion utiliza dados provenientes de satélites da Agência Espacial Norte Americana (Nasa) e de Países da Europa. "Por satélite, nós conseguimos uma temperatura do globo e não apenas dos continentes. É a temperatura dos oceanos e dos continentes", explica o professor.

CICLOS DO CLIMA - Explicando os ciclos do clima, Molion diz que já houve aquecimento entre 1925 e 1946, depois houve um período de resfriamento de 1947 a 1979. Novamente houve um aquecimento de 1979 e 2007 um novo período de resfriamento começou em 2008. "O pico da temperatura sem aquecimento último foi em 1998, com o El Niño. Esse fenômeno natural aumenta a temperatura da água, causando aquecimento, mas é normal. Desde então a temperatura só tem caído", explica.

DESASTRES - Luiz Carlos Molion também não Atribui ao aquecimento ou resfriamento os recentes desastres naturais que tem ocorrido. Situações "Essas ocorreram sempre de tempo. O problema é que agora a população está mais vulnerável", afirma.

Para exemplificar, o cientista diz que nas décadas de 1940 e 1950 houve as maiores chuvas dos últimos 120 anos em São Paulo. Naquele momento não havia problemas porque a água poderia escoar para uma terra. Agora tal escoamento não é Possível porque essas foram áreas impermeabilizadas com uma cidade da urbanização.

Molion também cita como grandes cheias de Manaus em 1922, 1953 e 1976 ea maior onde de calor dos Estados Unidos, em 1896, que matou mais de três mil pessoas. "Como esses eventos levam de 25 a 30 refriando anos, 25 a 30 anos aquecendo, nós estamos falando de um período de 50 a 60 anos que é suficiente para as pessoas perderem a memória do que aconteceu", argumenta.

Para o professor, a ocupação desenfreada das áreas urbanas também é um fator importante para o acontecimento de desastres. "Com o abandono do campo pelo governo, a população passou uma ocupar áreas de risco em cidades. Essa ocupação desordenada é que causa esses desastres", comenta,.

Molion explica que apesar de não intervenir no clima, o homem é responsável pelos desastres que vem acontecendo a partir do momento em que não conserva o meio ambiente. "Esfrie ou aqueça, que tem haver conservação ambiental", conclui. Ele é contra a continuação do desmatamento de florestas e acredita há área suficiente para um bom desenvolvimento.

Escolas públicas comemoram aprovação no vestibular 2010 da UFS

Elas foram beneficiadas pela política de cotas, que corrige uma das maiores INJUSTIÇAS sociais na educação brasileira

Centenas de escolas públicas estaduais, em maior número e municipais, em menor número, comemoram um Aprovação de seus Centenas de estudantes e ex-estudantes no vestibular 2010 da Universidade Federal de Sergipe (UFS) e outras universidades brasileiras, a exemplo das federais UFBA ( Salvador) e UFAL (Maceió). Elas foram beneficiadas pela política de cotas, que corrige uma das maiores INJUSTIÇAS sociais na educação brasileira e que agora Permite que Sejam metade das vagas reservadas aos estudantes das escolas públicas (federais, estaduais e municipais), incluindo entre eles estudantes remanescentes de escolas indígenas, quilombolas E aqueles Portadores de Necessidades Especiais.

Os defensores das escolas particulares mercantilistas, que formam verdadeiras maquininhas, na contra-mão da História das escolas públicas Cuja meta tem Sido ou Pretende ser uma preparação para a vida, para o Exercício da cidadania, tem levantado suas vozes contra este instrumento de promoção da justiça social, benefi vem alegando que esta Aqueles que não só apresentam deficiência física, mas também ASSUMEM-SE, confessam-se também deficiência não ensino público. Aí vai uma reflexão: porque os estudantes que freqüentam as escolas particulares Desde a Educação infantil, passando pelo ensino médio e fundamental, ao Submeter-se ao vestibular priorizam não a continuidade dos estudos em uma Instituição particular?

Não estamos passando a mão na cabeça na defesa da escola pública, entendendo que elas padecem da falta de investimento (em todas as vertentes), de uma política educacional que promova uma inversão de prioridades, com uma inclusão social, definitiva. Mas é inegável os valores da Rede Pública, cujos profissionais são escolhidos Através do instrumento democrático de Concurso Público, com provas e títulos, Valorizando o talento humano.

Da mesma forma que é notório o ambiente democrático que, mesmo na ausência da tão sonhada gestão democrática, permanece a liberdade de ensino-aprendizagem, o que leva a formação de Cidadãos, redes em capengas mesmo, como é o caso da maioría dos municípios de Sergipe e em boa parte da rede estadual, demonstrados Através das notas atribuidas pelos profissionais da educação Falidos aos sistemas de ensino, como o de Pirambu, Cuja foi dada nota 0,0 (ZERO) eo Estado de Sergipe, que foi reprovado com nota de 4,6 (QUATRO VIRCULA SEIS).

Em Propriá, onde estão localizadas cinco escolas públicas estaduais (Joana de Freitas Barbosa, João Fernandes de Britto, Cesário Siqueira, Dom Antônio Cabral e Maria do Carmo), totalizamos mais de 100 estudantes aprovados, superando todos os recordes desde que o vestibular da UFS foi implantado pela primeira vez em 1968, quando esta foi criada. O Joana de Freitas Barbosa (ex-PREMEM Polivalente atual), a maior e mais representativa escola pública do Baixo São Francisco ainda não finalizou uma sua lista, mas esta já ultrapassa duas dezenas, que incluídos ao Serem os ex-estudantes e Aqueles que freqüentaram O Pré-Universitário (PRE-UNI) será bastante significativa.

Aqui em Pirambu, o Colégio Estadual José Amaral Lemos, única da rede estadual, comemora um Aprovação de cinco estudantes e três ex-estudantes, que freqüentar Irão como Universidades Federal e Tiradentes, número recorde que supera todas as estatísticas desde 1992, quando foram aprovados seus primeiros estudantes e ex-estudantes, a exemplo de Claudomir Tavares (História), João Batista Almeida (Geografia) e Edjânio Vasconcelos (Matemática), os primeiros desta cidade um Calendari na UFS até aquela data. Durante muito tempo, o povoado São José, em Japaratuba, era uma expressão Grande do Vestibular, que proporcionalmente mais estudantes não aprovava vestibular da UFS que dezenas de cidades sergipanas, entre as Quais, Pirambu

Realizou Festas - O Amaral Lemos (Pirambu) na noite de ontem, no tradicional ponto de encontro sócio-cultural, o Bar Beira Rio, uma festa para homenagear seus estudantes e ex-estudantes, jubilando-se pelos êxitos alcançados. A Joana de Freitas Barbosa (Propriá) Promover Deverá agora nenhum retorno do ano letivo uma solenidade para homenagear seu universo de alunos aprovados, que só não é maior na UFS Diante da dificuldade de deslocamento de estudantes que apresentam dificuldades em ESTABELECER-se em Aracaju, preferindo os vestibulares de Instituições como uma UNIT, que tem um campus na cidade desde 2005. Outros preferem um UFAL, no vizinho Estado de Alagoas, Devido A possibilidade de alojar-se em residências de parentes.

Para aqueles que não conseguiram êxitos, não cabe aqui táxons-los de incompetentes. O vestibular é apenas um rito de passagem, e como tal, depende de circunstâncias em que os mesmos foram Submetidos. Aqui vale uma alerta: uma preparação que vai além da Instituição de Ensino, pois depende muito da atitude e opção do aluno que (não o que é aquele latim não tem luz) que decidem assumir-se como estudante (aquele que sempre estar buscando) . Parabéns aos estudantes das escolas públicas de Sergipe, em especial Aqueles de Pirambu, Japaratuba e Propriá, muitos Quais dos, leitores deste portal.

22 de jan de 2010

Nasceu Fernando, filho de Dayse e GGK, irmão de Carol

Dayse recebeu um presente iluminado no dia de seu aniversário
Por Claudomir, Izabel e João Victor

O dia 19 de janeiro fica duplamente marcado definitivamente na vida da brilhante Dayse Rocha, a bióloga do Parque Estadual Itapuã (localizado na rodovia Dona Leopoldina, no município de Viamão (RS), distante 57 km da capital, Porto Alegre). É que neste dia há pouco mais de trinta anos (indispensável dizer que não vamos revelar sua idade) ela nasceu e, quando comemorava mais uma data natalícia é que nasce Fernando Rocha Santos, fruto do seu amor construído com o nosso querido Givaldo dos Santos, GGK, orgulho de Pirambu e que hoje junto a Dayse, Carol e Fernando, unem definitivamente Sergipe ao Rio Grande do Sul, o Nordeste e o Sul do país.

Seja bem vindo Fernando, e que as luzes do mundo foquem sobre sua vida que desejamos seja a mais brilhante, inspirado nos exemplos de seus pais, sua irmão e da legião de tios, tias e primos que vão além daqueles construídos biologicamente. Recebe aqui o carinho, o abraço e as flores do povo de Pirambu e de Sergipe, a quem pedimos autorização para fazê-lo! Ficam aqui as saudades de todos a todos e cuidado para não dilatar a boca diante do sorriso proporcionado com a irradiante felicidade.

Festa de Bom Jesus agita Propriá a partir deste domingo

Por Diego Goes

Uma semana de muita festa, práticas esportivas, civismo e fé. Esta é a marca de mais uma edição da tradicional festa de Bom Jesus dos Navegantes em Propriá, município localizado no baixo São Francisco a 99 km da capital. A cidade já está preparada para receber os milhares de sergipanos e turistas de outros estados que aproveitam a data para visitar a cidade ribeirinha. É nesta época do ano que a população aproveita para faturar uma renda extra com a venda de bebidas, comidas e produtos religiosos. A economia aquece de forma considerável. Esta sem dúvida, é a festa mais importante do município.

Na avaliação do prefeito Paulo Britto, a Prefeitura proporciona todo o apoio necessário para o sucesso da festa de Bom Jesus dos Navegantes. “Damos o apoio logístico, melhoramos a infraestrutura da cidade e, por ser uma data de muita concentração de pessoas, disponibilizamos equipes de saúde, guarda municipal, reforço no policiamento, entre outras coisas. O mais importante neste momento é garantir o sucesso da festa, como acontece todos os anos”, ressaltou Paulo Britto.

Confira a programação completa da festa de Bom Jesus dos Navegantes:

Programação Religiosa

24/01/2010 – DOMINGO – 19h, Capela de Bom Jesus: abertura oficial, com procissão até a Catedral, com o tema, “Com o Bom Jesus Caminhemos Rumo ao Jubileu Diocesano.

25/01/2010 – SEGUNDA-FEIRA – 19h, Catedral Diocesana: missa.

26/01/2010 – TERÇA-FEIRA – 18h30min, procissão com missa, saindo da Catedral Diocesana até o Mastro da Q. Bocaiúva.

27/01/2010 – QUARTA-FEIRA, 18h30min, procissão com missa, saindo da Catedral até o Mastro da Banca do Peixe.

28/01/2010 – QUINTA-FEIRA, 18h30min, procissão com missa, saindo da Catedral até o Mastro da Poeira.

29/01/2010 – SEXTA-FEIRA, 18h30min, procissão com missa, saindo da Catedral até o Mastro da Av. Nelson Melo.

30/01/2010 – SÁBADO, 16h, realização de Batizados na Catedral Diocesana. 19h, missa e às 20h apresentação da Filarmônica Santo Antônio.

31/01/2010 – DOMINGO – 10h, missa solene na Catedral Diocesana. 16h, Procissão Fluvial pelas águas do Rio São Francisco. 18h, missa campal (pátio da catedral), com procissão até a capela de Bom Jesus dos Navegantes.

Programação Cívica, Ecológica e Esportiva

30/01/2010 – SÁBADO – 15h, apresentação de Kitesurf, no Rio São Francisco.

31/01/2010 – DOMINGO – 06h, hasteamento das bandeiras do Brasil e dos Mastros da Quintino Bocaiúva, Banca do peixe, Av. Nelson Melo e Poeira. 8h, peixamento do Rio São Francisco (rampa das balsas), parceria com a Codevasf. 9h, corrida de canoas, no Rio São Francisco.

Programação Artística

24/01/2010 – DOMINGO - 10h, ruas da cidade – Frevo Folia, saída da Praça do Colégio das Freiras.

28/01/2010 – QUINTA-FEIRA - Circuito da Folia.

21h – Bloco da Prevenção – Julinho Porradão/ Banda Sítio Mania/Megatrio OSPAL (saída do CSU até a Orla Ribeirinha.
23h – Baile com Orquestra Old Times e o cantor Rosevaldo, no 12 Tênis Clube.

29/01/2010 – SEXTA-FEIRA.

21h – Praça da Estrela – Show Musical com Sertonejo (Megatrio Ospal).
23h – Show Musical com Calcinha Preta – Praça da Estrela).
01h – Show Musical com Anjos Inocentes – Praça da Estrela (Megatrio Ospal).
03h – Show Musical com SEEWAY – Praça da Estrela (Palco Totozão).

30/01/2010 – SÁBADO.

16h – Ruas da Cidade – Fanfarra dos K’nibais.
20h – Bloco Só Tesão – Flavinho (ex-Pagodart) e os Barões (Trio Gula) – saída do CSU até a Orla Ribeirinha.
21h – Show Musical com JOILSON (o fenômeno do Arrocha) – Praça da Estrela (Megatrio OSPAL).
23h – Show Musical com Trem de Pouso – Praça da Estrela (Palco Totozão).
01h – Show Musical com os Playboys – Praça da Estrela (Megatrio OSPAL).
03h – Show Musical com Edu & Marial – Praça da Estrela (Palco Totozão).
05h – Show Musical com Só Balanço – Praça da Estrela (Megatrio OSPAL).

31/01/2010 – DOMINGO

11h – Show Musical com SEGURAÊ – Manhã de Sol – Orla Ribeirinha.
19h – Bloco da Onça – Ruas da Cidade.
21h – Bloco Só Tesão - Cajubana (Trio Gula) – Circuito da Folia – saída do CSU até a Orla Ribeirinha.

OPINIÃO: “Precisamos urgente de jovens na política de Propriá”

Por Tony Moreno * | morenosergipetony@hotmail.com


Já estamos às vésperas da de mais uma campanha eleitoral em Sergipe para Governo. Dai vem o pensamento para mais dois anos que antecedem campanhas para prefeito, e mim vem no pensamento: quais nomes na política de Propriá que agradam a população?

(...) Ficamos pobres de representantes e não agüentamos mais os que passaram! Queremos mais jovens na política de nossa cidade, sei que é possível. Novas caras, novas idéias e novos pensamentos. Precisamos urgente de jovens na política de Propriá
_______________________________
* Tony Moreno é radialista, locutor e integrante da equipe esportiva da Rádio Propriá FM 104,9 – sua rádio comunitária

Artigo: "Os pecados do Haiti" (Eduardo Galeano) ¹

Tradução livre de livre de Antonio Folquito Verona


A democracia haitiana nasceu há muito pouco. No seu breve tempo de vida, esta criatura faminta e enferma não recebeu nada, além de bofetadas. Estava ainda recém nascida, nos dias de festa de 1991, quando foi assassinada pela quartelada do general Raul Cedras. Três anos mais tarde, ressuscitou. Depois de terem colocado e retirado tantos ditadores militares, os Estados Unidos pegaram e impuseram o presidente Jean-Bertrand Aristide, que havia sido o primeiro governante eleito por voto popular em toda a história do Haiti e que havia tido a louca aspiração de querer um país menos injusto.

O voto e o veto

Para apagar as nódoas da participação norte-americana na ditadura carniceira do general Cedras, os infantes de marinha levaram 160 mil páginas dos arquivos secretos. Aristide regressou acorrentado. Deram-lhe permissão para retomar o governo, mas o proibiram exercer o poder. Seu sucessor, René Préval, obteve quase 90 por cento dos votos, porém mais poder que Préval tem qualquer burocrata de quarta categoria do Fundo Monetário ou do Banco Mundial, ainda que o povo haitiano não o tenha sequer eleito com um voto apenas.

Mais que o voto, pode o veto. Veto às reformas: cada vez que Préval, ou algum de seus ministros, pede créditos internacionais para dar pão aos famintos, instrução aos analfabetos o terra aos camponeses, não recebe resposta, ou o contradizem ordenando-lhe: - Faça a lição! E como o governo haitiano nunca aprende que deve desmantelar os poucos serviços públicos que ainda permanecem, últimos pobres amparos para um dos povos mais desamparados do mundo, os professores acabam sempre por reprová-lo.

O álibi demográfico

No final do ano passado quatro deputados alemães visitaram o Haiti. Assim que chegaram, a miséria do povo os atingiu frontalmente. Então o embaixador de Alemanha lhes explicou, em Porto Príncipe, qual é o problema: - Este é um país demasiadamente povoado - disse-. A mulher haitiana sempre quer e o homem haitiano sempre pode.

E riu. Os deputados se calaram. Essa noite, um deles, Winfried Wolf, consultou as cifras. E comprovou que o Haiti é, com El Salvador, o país mais superpovoado das Américas, tanto quanto a Alemanha: tem quase a mesma quantidade de habitantes por quilometro quadrado. Em sua passagem pelo Haiti, o deputado Wolf não apenas foi atingido pela miséria: também ficou deslumbrado pela capacidade de expressar a beleza dos pintores populares. E chegou à conclusão de que o Haiti está superpovoado… de artistas.

Na realidade, o álibi demográfico é mais o menos recente. Até a alguns anos, as potências ocidentais falaram bem mais claro.

A tradição racista

Os Estados Unidos invadiram o Haiti em 1915 e governaram o país até 1934. Retiraram-se quando alcançaram seus dois objetivos: cobrar as dívidas do City Bank e revogar o artigo constitucional que proibia a venda de terras aos estrangeiros. Robert Lansing, então secretário de Estado, justificou a prolongada e feroz ocupação militar explicando que a raça negra é incapaz de se governar por si mesma, que possui “uma tendência inerente à vida selvagem e uma incapacidade física de civilização”. Uno dos responsáveis pela invasão, William Philips, havia elaborado anteriormente a sagaz idéia: “Esse é um povo inferior, incapaz de conservar a civilização que tinham deixado os franceses”.

O Haiti havia sido a pérola da corona, a colônia mais rica da França: uma grande plantação de açúcar, com força de trabalho escrava. No espírito das leis, Montesquieu o havia explicado sem travas na língua: “O açúcar seria demasiado caro se não trabalhassem os escravos para sua produção. Esses escravos são negros desde os pés até a cabeça e têm o nariz tão esmagado que é quase impossível ter deles alguma pena. Resulta impensável que Deus, que é um ser muito sábio, tenha posto uma alma e sobretudo uma alma boa num corpo inteiramente negro”.

Em troca, Deus havia colocado um chicote na mão do feitor. Os escravos não se distinguiam por sua vontade de trabalho. Os negros eram escravos por natureza e vadios também por natureza; e a natureza, cúmplice da ordem social, era obra de Deus: o escravo devia servir ao amo e o amo devia castigar o escravo, que não mostrasse o menor entusiasmo na hora de cumprir com o desígnio divino. Karl von Linneo, contemporâneo de Montesquieu, havia retratado o negro com precisão científica: “Vagabundo, desocupado, negligente, indolente e de costumes dissolutos”. Mais generosamente, outro contemporâneo, David Hume, havia comprovado que o negro “pode desenvolver certas habilidades humanas, como o papagaio que fala algumas palavras”.

A humilhação imperdoável

Em 1803, os negros do Haiti ocasionaram uma tremenda derrota às tropas de Napoleão Bonaparte e Europa não perdoou jamais essa humilhação infligida à raça branca. O Haiti foi o primeiro país livre das Américas. Os Estados Unidos haviam conquistado antes sua própria independência, porém conservava ainda meio milhão de escravos trabalhando nas plantações de algodão e de tabaco. Jefferson, que era senhor de escravos, dizia que todos os homens são iguais, mas também dizia que os negros foram, são e serão inferiores.

A bandeira dos livres se içou sobre as ruínas. A terra haitiana havia sido devastada pele monocultura do açúcar e arrasada pelas calamidades da guerra contra a França. Uma terça parte da população havia caído em combate. Então, começou o bloqueio. A nação recém nascida foi condenada à solidão. Ninguém comprava dela, ninguém lhe vendia, ninguém a reconhecia.

O delito da dignidade

Nem mesmo Simão Bolívar, que soube ser tão valente, teve a coragem de assinar o reconhecimento diplomático do país negro. Bolívar poderia ter reiniciado sua luta pela independência americana, quando já havia derrotado a Espanha, graças ao apoio do Haiti. O governo haitiano lhe havia entregado sete navios, muitas armas e soldados, com a única condição que Bolívar libertasse os escravos, uma idéia que ao Libertador não lhe passava pela cabeça. Bolívar cumpriu com esse compromisso, porém depois de sua vitória, quando já governava a Grande Colômbia, deu as costas ao país que o havia salvado. E quando convocou as nações americanas para a reunião do Panamá, não convidou o Haiti, mas sim a Inglaterra.

Os Estados Unidos reconheceram o Haiti depois de sessenta anos do final da guerra de independência, enquanto Etienne Serres, um gênio francês da anatomia, descobria em Paris que os negros são primitivos porque possuem pouca distância entre o umbigo e o pênis. Naquele instante, o Haiti já estava nas mãos de carniceiras ditaduras militares, que destinavam os famélicos recursos do país para pagar a dívida com ex-metrópole: a Europa havia imposto ao Haiti a obrigação de pagar à Francia una indenização gigantesca, como modo de ver-se perdoado por ter cometido o delito da dignidade.

A história do assédio contra o Haiti, que em nossos dias tem dimensões de tragédia, é também una história do racismo na civilização ocidental.
______________________________________
¹ Eduardo Galeano éautor de "As veias abertas da América Latina" (A linha do horizonte não é para ser alcançada, mas para nos ensinar a caminhar)

A saúde em Sergipe: um caso de UTI

A saúde em Sergipe está em coma, o problema é que está faltando até oxigênio para reanimá-la. Seria cômico se não fosse trágico.



Esta semana assistimos de camarote duas epopéias , dessa linda poesia, que exemplificam bem a situação da saúde em Sergipe .

1º estrofe: suspensão do serviço de oncologia no estado, em virtude da quebra do equipamento de radiologia nos dois hospitais públicos em Sergipe, o HUSE e o Cirurgia.

Como se fosse um cano estourado, ou uma janela enguiçada, a Secretaria de Saúde protelou o concerto dos equipamentos de radioterapia, e, enquanto isso, mais de 100 famílias ficaram sem receber o devido tratamento por parte do estado.

Em uma atitude honrosa, o sindicatos dos médicos de Sergipe, colocou a situação no lugar onde deveria estar: passível de uma investigação policial, porque isso nada mais é do que um crime!

2º estrofe: servidores da saúde se manifestando, na frente da Secretaria Estadual da Saúde/ por conta das famigeradas fundações.

Sem atender as reivindicações das diversas categorias de servidores da saúde, as fundações públicas de direito privado se instalaram como endemias na gestão pública do nosso estado.

Diversos servidores, encurralados pela falta de escolha, se vêm perdidos num mar de ilusões e amargam a inglória de terem anos de profissão, traduzidos em belas palavras que escondem uma triste verdade: a privatização da saúde.

Cadê o oxigênio....

Compreender é um ato solidário

Por Ronaldo Pereira de Lima * | ronperlim@bol.com.br


Conviver com a compreensão não é nada fácil. É uma tarefa difícil que exige reflexão, sensibilidade. Ela não é para pessoas pálidas, mas para pessoas fortes e que possuem os ouvidos abertos e o coração.

Aqueles que buscam clareza ou explicação sobre ela, não deve se prender ao Aurélio, mas ao amor. A sua significação é vasta, extensa; assim como é extensa a vida. Não é em algumas páginas ou palavras que iremos encontrá-la, mas nos atos bons da vida.

A falta dela tem causado grandes males. A solidão é um deles. A falta da compreensão é motivo para a fuga, muitas vezes de forma dramática. Compreender não é simplesmente ouvir, olhar o problema alheio com dó ou piedade, mas penetrar na dimensão humana, sentir os conflitos e tomá-los como se fossem seus.

Prega-se o amor todos os dias e de várias formas. Prega-se pessoas e ciência, máquinas e tecnologias. Todas essas coisas para nada servem sem a compreensão, a não ser atiçar, atirar os homens nas paixões, afogá-los nas armas, nas drogas, na escuridão de cada eu.

É preciso e urgente que se pregue a compreensão para resgatar o homem. Tirá-lo do estado de máquina e dinheiro. É preciso pensar em um mundo melhor.
_________________________________
* Ronaldo (Pereira de) Lima nasceu em Porto Real do Colégio, Alagoas, em 1974. Foi chefe do Departamento de Tributação e Receitas do município do qual nasceu desde os anos de 2002 a 2008. Licenciado em Matemática em 2005. Escritor, editor do Porto Literáriio na versão impressa e on-line (Acessar). É colunista do jornal on-line Tribuna da Praia, Pirambu, SE. É autor dos livros Ás margens do rio rei (aspectos gerais do município); Agonia Urbana (poesias); co-autor e organizador de A minicoletânea de escritores colegienses (prosa e poesia), co-autor do livro Ritmo Vital (antologia). Possui obras publicadas em alguns jornais literários, literários on-line e regionais.

21 de jan de 2010

Orkut: do lado direito da tela

Por Gilson Caroni Filho *


“Navegar é preciso, conviver quase impossível. Em tempos de capital desterritorializado e novas mídias criando subjetividades requeridas pela acumulação contemporânea, é preciso atualizar o poeta. Mais que isso, é necessário revisitar o significado de termos como comunidade e amizade. A primeira, independentemente do prisma sociológico escolhido, sempre foi compreendida como um lócus territorial específico. Seja como unidade sócio-cultural ou agregado biológico, os elementos definidores sempre foram sua materialidade e participação efetiva dos membros constituintes. A segunda, a enaltecida palavra amizade, significava, até então, processo de afetividade recíproca. Algo construído com cumplicidade e reconhecimento do outro como sujeito dotado de direitos e desejos...

Mas os novos tempos não são alentadores. A ordem societária do neoliberalismo não comporta projetos coletivos e utopias que ameacem os seus axiomas. Solicita relações fragmentadas, atomizadas. Uma identidade de espelho partido. Em meio à circulação indiferente de códigos e à autonomia das coisas em relação às idéias, a inteligibilidade do mundo se evapora. Resgatá-la como totalidade, ocultando as fraturas permanentes da sociedade de classes, é, como destacou Guy Debord, função do espetáculo. Urge dar às pessoas o simulacro do que lhes falta na vida real. Quando a anomia se transmuta em regra, os dispositivos técnico-digitais agenciam uma sociabilidade tão precária quanto frenética. Nunca se buscou tão pouco, nunca foram tantos os sites de busca.

É nesse contexto, de vazio político-filosófico, que surgiu a febre do Orkut, ferramenta ligada ao império Google. Definido como site de relacionamentos, abriga uma contradição em termos: a expressão ‘comunidades virtuais’. O que seriam tais entidades? Não-lugares que primam pela ausência de interação? Espaços que independem da subjetividade dos seus membros? Falsas constelações sem imaginário e história? Agrupamentos que se definem por identidades líquidas?

Pergunta ao usuário: o que é pertencer a uma ‘comunidade do Orkut’? Seria acessar o hábitat do fetiche da mercadoria? E se houver algum imprevisto do tipo “bad, bad server. No donut for you”? Sem problemas, a reprodução social passa pela infantilização eterna. Criança não quer política. Contenta-se com docinho. Em seguida, vieram outros sites de relacionamento. Todos com a promessa de uma estruturação mínima, de conexões sem risco de aprofundamento e contato. O único risco é um “bug” indesejável. Algo que, paradoxalmente, possa restituir a magia primitiva da linguagem.

Exacerbando as tendências comportamentais da sociedade contemporânea, o Orkut acabou por produzir o oposto do que prometia: a capacidade de resgatar e ampliar o círculo de amizades. Na verdade, o que se observa é uma compulsividade acumulativa.

O que era um processo envolvendo concordância de sentimentos, apreço pelo outro, relação reinventada diariamente, torna-se, no universo do Google, uma mera operação de adição. Ostentação curricular de prestígio social. Competitividade deslavada. Com certificado de qualidade que vem sob a forma de “depoimento”. Nunca a solidão agregou tanta euforia. E uma fantástica coleção de retratos. A impossibilidade constitutiva de se ter mais de uma centena de amigos é um detalhe a ser ignorado. Deveriam ter aprendido com o “Show de Truman” que o horizonte termina na parede.

Bons os tempos que os amigos eram raros e cultivados. Hoje, como simulacros, são adicionáveis e devem ser guardados do lado direito da tela. E pouco importa o que digam o tempo e a distância. A canção deve ser esquecida. Nunca fomos tão felizes.

Em tempo:o autor deste artigo tem perfil no Orkut. Para melhor vivenciar a dinâmica, aceitou pedidos de adição e escreveu testemunhos. Visitou algumas das ditas comunidades e selecionou algumas para compor o perfil do usuário. Jamais participou de nenhuma, posto que o significado mais exato da palavra participação e a proposta Google são incompatíveis.
___________________________________________
* É professor de Sociologia das Faculdades Integradas Hélio Alonso (Facha), no Rio de Janeiro, colunista da Carta Maior e colaborador do Jornal do Brasil

Venha para o PIRAMBEACH: O Melhor Carnaval de Sergipe



A Prefeitura Municipal de Pirambu irá realizar no período de 12 a 16 de fevereiro de 2010 o Pirambeach, o melhor Carnaval de Sergipe! Aqui voc}e terá em um só lugar sol, mar e muita alegria com as bandas Seeway, Valneijós, Cid Natureza, Cajubana, ArtMania, Asas Morenas, Dois ciganos, Solamento, além da grande expectativa: O Troco... E muito mais...


...São mais de 100 horas de shows, com trios fazendo os tradicionais arrastões, bandas de frevo animado o carnaval de rua e shows na praça de eventos. O Pirambeach é uma realização da Prefeitura de Pirambu com o patrocínio do patrocínio do Banese e Governo de Sergipe.

Empossados os novos membros do Comitê do Rio Japaratuba

Duas mulheres foram eleitas presidente e secretária geral, fato inédito no Brasil que tem algo em torno de 100 comitês de bacias hidrográficas

Foto: Jackson Leite (CBH/Rio Sergipe)


A cidade de Nossa Senhora das Dores, distante 72 km de Aracaju, sediou na manhã de ontem a posse dos novos membros do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Japaratuba, para o biênio 2009/2011. O ato aconteceu no auditório do CDL e contou com as presenças do secretário de estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Márcio Macedo, do prefeito e do vice-prefeito de Nossa Senhora das Dores, Aldon Luiz e Gilberto Santos, da prefeita de Cumbe, Maria Terezinha, do gerente executivo do IBAMA (SE), Manoel Rezende, dos presidentes dos comitês dos rios Sergipe, Edmilson Araújo, Piauí, Luís Carlos Souza, Japaratuba, Claudomir Tavares e da Câmara Consultiva do CBH do São Francisco, Luís Carlos Fontes, do superintendente de recursos hídricos, Aílton Francisco da Rocha, do presidente da Sociedade Semear, Carlos Roberto Britto Aragão, de vereadores, secretários municipais, líderes comunitários e membros dos comitês dos rios Japaratuba, Piauí, Sergipe e São Francisco.

A reunião em Dores constituiu-se no último ato da gestão 2007/2009, que tinha como presidente o professor Claudomir Tavares (Colônia de Pescadores Z – 5), como secretário geral o agente comunitário de saúde Josemir Menezes Ribeiro (Associação Ecológica de Capela) e como secretário executivo o diretor de meio ambiente Benedito Silvestre Ferreira (Prefeitura de Japaratuba). Entre os 24 eleitos que representam de forma tripartite o Poder Público (federal, estadual e municipal), sociedade civil e usuários da água, estão o diretor de esportes Ronnie Ferreira (Prefeitura Municipal de Pirambu), o vereador José Luiz de Andrade (Câmara Municipal de Pirambu), o professor Claudomir Tavares da Silva e o líder sindical Miguel Porto Pires (Colônia de Pescadores Z-5/Pirambu), o líder comunitário Benedito Silvestre Ferreira (Associação Comunitária de Jovens e Adultos do Povoado Porteiras/Japaratuba), o cooperativista José Augusto Feitosa (Cooperativa Mista de Colonização Jardim/Japaratuba), as ambientalistas Lenice de Jesus Santos e Ângela Maria do Nascimento Lima (Oscatma/Barra dos Coqueiros), Josemir Menezes Ribeiro e Pedro dos Santos (Associação Ecológica de Capela), entre outros.

O ato de posse dos membros (estiveram presente 20 dos 24 titulares) foi conduzido pela SRH/Semarh, órgão gestor das águas de Sergipe, enquanto que o processo de eleição da diretoria do CBH-Japaratuba foi conduzido pela Comissão Eleitoral, composta por Lucival Moura (presidente), Ângela Maria Lima e Luiz Carlos Souza (membros), enquanto que a posse dos eleitos foi feita pelo então presidente, Claudomir Tavares, que efetuou a transmissão de cargo, empossando-as. Por aclamação foram eleitas para presidente e secretária geral as senhoras Rosa Cecília Lima Santos, professora, bióloga, com pós-graduação (especialização) em Educação Ambiental e que representa no comitê a prefeitura municipal de Capela e a professora Agailda Vieira Gomes, que representa no comitê a Associação dos Pescadores de Maruim. “Pela primeira vez estão sendo eleitas e empossadas duas mulheres para dirigir um comitê, isso é um fato inédito no Brasil, que tem algo em torno de 100 comitês”, registrou Luís Carlos Souza, que é presidente do Fórum dos Comitês de Bacias Hidrográficas de Sergipe.

No mesmo ato, a prefeitura municipal de apela também foi eleita por aclamação para sede da Secretaria Executiva do CBH-Japaratuba, devendo oferecer a estrutura necessária para garantir seu funcionamento, além de destacar um técnico para ocupar a a condição de secretário executivo, substituindo ao atual Benedito Silvestre, que naquela ocasião encerrou sua participação nesta condição e passou a integrar o comitê como membro titular. Em seu discurso, o presidente Claudomir Tavares, que encerrou o mandato, agradeceu aos membros que estavam encerrando o mandato naquele momento pela somação de esforços nestes dois anos, e afirmou que “a incipiência da atual gestão são pilares para as muitas realizações que serão desenvolvidas pelo comitê com as presenças das senhoras eleitas neste ato”. Empossada, a professora Rosa Cecília conclamou a todos para a responsabilidade de dividir a responsabilidade. “O meu trabalho só depende de vocês”, afirmou, agradecendo a todos pela confiança e pela eleição, a segunda realizada por aclamação (em 2007 André Maciel – presidente e Claudomir Tavares – secretário geral também foram eleitos por aclamação).

20 de jan de 2010

CARLOS ANTÔNIO: O Melhor do Esporte em 2009

Ele foi escolhido em uma segunda votação, na qual cada votante poderia escolher três nomes numa ordem de importância
Por Claudomir Tavares | claudomir@infonet.com.br


O professor Carlos Antônio (na foto com Carla Carolina), da disciplina Educação Física do Colégio Estadual José Amaral Lemos, foi escolhido em uma eleição realizada pelo nosso Site Pessoal (http://www.claudomir.com.br) como o Melhor do Ano no Esporte em 2009 na cidade de Pirambu. Ele foi escolhido numa segunda votação, entre oito indicações feitas na primeira consulta, em que todos os citados ficaram empatadas. Nesta votação, ele obteve 23,3%, seguido do Colégio Estadual José Amaral Lemos e do surfista Davi Teles da Silva, ambos com 20%, depois do surfista e shapper Givaldo dos Santos (GGK), que obteve 16,6%, do diretor municipal de Esportes e Lazer Ronnie da Silva Ferreira, com 13,3% e do estudante/atleta do Mário Trindade Cruz, Luiz Hernandes dos Santos, com 6,6%.

Carlos Antônio é um verdadeiro tirador de leite de pedras. Em uma cidade desprovida de espaços esportivos e os que tem ou são mal conservados (tipo quadras da Orla de Atalainha e da Asmop), ou de uso restrito (como é o caso do Estádio Municipal), ele improvisa uma “pista de atletismo”, ao lado do campo de futebol, entre a rodovia e a Rua João Francisco da Silva e de lá prepara campeões como Carla Carolina, ex-aluna do Amaral Lemos, que sagrou-se campeã Norte-Nordeste em atletismo, modalidade que levou a Escola Municipal Mário Trindade a sagrar-se campeã dos Jogos da Primavera em 2005 pela primeira vez entre as unidades escolares da rede municipal e o Colégio Estadual José Amaral Lemos a conquista dos Jogos da Primavera em 2009, entre todas da rede municipal, incluindo capital e interior.

O professor Carlos Antônio é a maior referência em esportes nesta cidade e, por omissão sempre ‘vigilante’ Poder Legislativo, ainda não foi homenageado com um Título de Cidadania Honorário de Pirambu, algo que ele não faz seu trabalho pensando nisso, mas no compromisso em preparar cidadãos para o esporte e para a vida, sendo também uma referência entre os profissionais de ensino em nossa cidade. Ele será homenageado em solenidade simples, a ser realizada no dia 10 de fevereiro de 2010, em local e horário a ser divulgado, que terá este cunho de reconhecer os mais expressivos valores nos campos 1. Político (Toinho de Jurandir), 2. Cultura (Dayse Rocha), 3. Cidadania (Nilzir Soares), 4. Religioso (Padre Jideilton Lima), 5. Empresarial (Gilvan Souza), 6. Turístico (Daniel Machado), 7. Projetos Sociais (Irmãos de Ruas), 8. Esportivo (Carlos Antônio) e mais 9. Ambiental e 10. Movimentos Populares cujos nomes só serão anuncia

19 de jan de 2010

Programação atualizada da Festa de Alagamar

Prefeitura disponibiliza programação social definitiva da festa que acontece sábado e domingo

Texto: Claudomir Tavares | Foto: José Fábio


A prefeitura municipal de Pirambu, através da secretaria municipal de Cultura, divulgou na manhã de ontem, 18, a programação social definitiva da festa de São Sebastião, padroeiro do povoado Alagamar. Segundo o músico Luiz Teles, secretário da pasta, “a programação religiosa teve início no dia 11 de janeiro, com o novenário e terá sua culminância nesta quarta-feira, 20, com missa e procissão pelas ruas do povoado, e tem a coordenação da paróquia Nossa Senhora de Lourdes, através dos zeladores da Igreja de São Sebastião, padroeiro da comunidade”, informou.

“Já a programação festiva, que terá a coordenação da prefeitura municipal, será realizada neste final de semana, com a seguinte programação: No sábado, dia 23, a partir das 21 horas, se apresenta a banda Estrela da Terra e a partir da meia noite, até às 04 horas da manhã, se apresenta Kel Blevis e banda. No domingo, 24, a programação recomeça a partir das 10 horas com a banda Pintura Íntima que vai até às 14 horas, quando começa o show da banda Um Toque a Mais, encerrando a festa às 18 horas”, completa.

O secretário aproveita a oportunidade para convidar a população dos povoados vizinhos, de Pirambu e demais cidades para integrar-se a estas festividades. “Além da festa religiosa, social, os que forem ao Alagamar poderão apreciar um dos mais belos artesanatos de palha de adicuri em Sergipe, além de, no percurso, deliciar-se com banhos de lagoas, passeios em dunas, e outros atrativos naturais e cenográficos que só as comunidades rurais de Pirambu possuem”, conclui Lula Teles.

TODAS AS NOTÍCIAS