12 de mar de 2009

Fique de Olho

Marcelo Déda age como um ditador
Governador tenta intimidar dirigentes sindicais, desqualificar decisão legítima de sindicato, democrática e soberana de uma, e ameaça com corte do ponto e pedido de ilegalidade da greve do magistério
Por Claudomir Tavares *
claudomir@infonet.com.br

O ainda governador de Sergipe, Marcelo Déda Chagas (PT) tem insistido em uma má conselheira, ao ‘atirar’ contra os pilares que alicerçaram sua biografia e lhes proporcionaram sucessivas vitórias (intercaladas por algumas derrotas).

Inicialmente tenta desqualificar destacadas e de comprovada representatividade, lideranças sindicais, a exemplo do presidente do SINTESE, Joel Almeida, como se o mesmo fosse o único responsável pelo chamamento da greve do magistério, iniciada na última segunda-feira, 09 e com prazo indeterminado para terminar.

Esta semana ele ‘ousou’ mais ainda e ameaçou a categoria com a perspectiva do corte do ponto dos grevistas e conseqüente pedido da ilegalidade da greve. Não obstante a ‘legalidade’ do ato, ela se constitui numa prática dos governos passados (João, Valadares, Albano et caterva), crias da ditadura militar, que Déda Chagas tem insistido em copiar, com elevadas doses de crueldade.

Déda que tem utilizado lideranças como quem chupa cana (depois de engolir o caldo, joga o bagaço fora, vide Nilson Lima, que em função de sua competência, deixou os cofres públicos abarrotados de dinheiro), agora defere seu ódio virulento contra aqueles que não se rendem a sua forma populista de governar e perfil déspota que tem caracterizado seus quase 25 meses de governo.

Ainda há tempo

Nem tudo está perdido neste governo. Ainda há tempo de reencontro com a base social que historicamente tem sido aliada do chefe do poder executivo. Basta o governador se despir da capa da arrogância, da prepotência e da falta de democracia que tem sido característica marcante de seu governo. É possível o reencontro com seus companheiros, sob pena de assistirmos o retorno figuras como João Alves e outros iguais ao poder, e aí a tragédia seria completa.

Fazendo escola

Em uma cidade do raio de abrangência desta coluna, Déda tem feito escola. Não pela sua biografia que é um orgulho para o povo sergipano, mas pelo seu comportamento do presente. Um ‘cidadão’ que nada tem a ver com a administração (ou pelo menos não deveria), age como se fosse um ‘primeiro ministro provisionado: age acima dos secretários, persegue adversários políticos, utiliza-se de eventos pagos com os nossos parcos recursos, sangrando assim os cofres públicos, para promover sua pré-campanha a deputado estadual, e ainda utiliza-se de um blog pessoal para ameaçar e atacar as pessoas e veículos de comunicação. Ele perdeu o senso do ridículo e tem sido o maior empecilho para que a administração municipal possa finalmente decolar, uma vez que tem sido uma referência em inapetência. Mas esta é outra história que em seu devido tempo iremos abordar, com o devido destaque que o fato exige.

Quanta ignorância

Semana passada fomos surpreendido com uma notinha veiculada em um blog pessoal, que diminuía a importância de um editorial publicado na Tribuna da Praia (Perde fôlego o carnaval de Pirambu), ao tempo em que atribuía a nós o release confeccionado pela Prefeitura de Japaratuba (Milhares de pessoas brincam o carnaval de Japaratuba, ele deve se referir à matéria Mistura de ritmos atraiu milhares de pessoas para Japaratuba). Só para esclarecer a este desinformado ‘blogueiro’. Desde janeiro, a Tribuna da Praia tem publicado todos (sem exceção) releases enviados a sua redação (inclusive da cidade de Pirambu, onde está sediado o Portal). Logo, não há preterimento ou preferência por esta ou aquela cidade. Quanto às matérias aqui publicadas, o espaço está aberto para quem discordar, enviando suas considerações, assim como fizemos ao publicar a série ‘Sua passagem em minha vida’, no transcurso do primeiro semestre de 2008.

Professores aguardam o dia 19 de março

Um grupo crescente de professores da rede municipal de Pirambu aguarda até o próximo dia 19 de março, quando haverá uma audiência entre o prefeito José Nilton e o SINTESE, para saber como a prefeitura efetivará o pagamento dos débitos salariais. Caso a proposta não seja de pagamento integral, a categoria está disposta a ingressar na justiça para reaver os proventos em função do mês trabalhado, de forma corrigida. A decisão foi tomada na tarde do último dia 04 de março, após uma reunião pedagógica ocorrida na Escola Municipal Mário Trindade Cruz. O grupo já tem advogados ‘engatilhados’, esperando não ser necessário tão desgastante ação judicial, mais uma que teria como réu a sofrida e mal tratada prefeitura municipal de Pirambu.

Salva-vidas mobilizados

Esgotadas todas as tentativas de resolução de sucessivos e acumulados problemas pelos quais passam os salva-vidas de Pirambu, a categoria promoveu no período do Carnaval (20 a 24) uma paralisação de protesto contra atrasos e arrochos salariais, e péssimas condições de trabalho. A categoria, dentro de sua responsabilidade, garantiu o mínimo efetivo profissional. Aguarda-se agora uma sinalização positiva as suas reivindicações tanto por parte do prefeito José Nilton de Souza (PMDB), quando da secretária de saúde, Sílvia Maria de Vasconcelos Palmeira Cruz (PSB).

Frase da semana:

“Quem não profissionaliza seus filhos, os iniciam na política” – (Ricardo Almeida)
________________________
¹ Publicado simultaneamente pelo Blog do Claudomir Tavares e Portal Tribuna da Praia.

Nenhum comentário: