31 de mar de 2010

A República Brasileira de 1964 a 1985... (Parte III)

... e seus reflexos na vida política sergipana e pirambuense
Por Claudomir Tavares * | claudomir@tribunadapraia.net

O ano de 2009 teve uma importância bastante significativa para a História do Brasil. Marcou os 45 anos de instalação do Regime Militar (1964/85), os 40 anos do seqüestro do embaixador americano Charles Burke Elbrick (1969), que deu origem ao Filme “O que é isso companheiro?”, os 30 anos da conquista da Anistia, os 20 anos da Redemocratização com as Eleições Presidenciais de 1989. Aqui em Pirambu, está sendo marcado pelo início das comemorações dos 25 anos de instalação do primeiro partido de esquerda, o PT, que em 14/12/2010 celebra Bodas de Prata.

Para marcar estas datas, a Tribuna da Praia está dando início a uma série de artigos, que estréia com “A República Brasileira de 1964 a 1985 e seus reflexos na vida política sergipana e pirambuense”, de nossa autoria, e que fora apresentado a disciplina História do Brasil III, ministrada pelo professor Dr. Jorge Carvalho do Nascimento, da Universidade Federal de Sergipe (UFS) no segundo semestre de 2000, e que fora publicado pelo extinto Centro de Documentação “Paulo Freire” (CEDOC-PT) em janeiro de 2001. O artigo está estruturado em quatro partes, a saber: 1 – 20 anos que alguém comeu, 2 – o 1964 em Sergipe e o surgimento do PT, 3 – Pirambu na época do Regime Militar e 4 – O PT em Pirambu. Preservamos o texto como fora confeccionado há 10 anos. Confira a segunda parte do artigo:

:: PIRAMBU NA ÉPOCA DO REGIME MILITAR

A história política de Pirambu tem seu início na condição de território pertencente a Japaratuba. Mário Trindade, um político udenista era Prefeito daquela cidade e lutava para não perder este território, mesmo sendo ele morador do povoado de Pirambu. Neste período, o governador de Sergipe, João de Seixas Dória mostrava-se entusiasmado com a idéia do novo município, com forte vocação para a produção do coco, do turismo e da pesca. Assim, a emancipação política ocorreu em 23 de novembro de 1963, mas esta não teria êxito, pois o regime militar cassou os direitos políticos do autor, Deputado Nivaldo Santos (PSD), e com ele seus instrumentos legislativos aprovados. Só em 1965, através de propositura do Deputado Fernando Prado Leite (UDN), Pirambu conquistava sua emancipação política em definitivo, em 08 de agosto.

A partir deste período e até o surgimento do PDS, Pirambu só teve dirigentes da ARENA. Até mesmo os vereadores e candidatos a prefeito derrotados disputavam as eleições pelo mesmo partido, nas chamadas ARENA 1, 2 e 3.

Governaram Pirambu neste período os senhores João Dória do Nascimento, ex-vereador de Japaratuba e ex-Presidente da Colônia de Pescadores que assumiu dois mandatos e ainda foi vice-Prefeito, Juarez Lopes Cruz, filho do ex-prefeito de Japaratuba Mário Trindade Cruz, o senhor Walter Amaral (único falecido ¹), Daniel Luiz e Marcos Cruz, também filho do senhor Mário Cruz (este já pertencente ao PDS)

:: Nota:

¹ Quando este artigo foi escrito (2000), apenas o ex-prefeito Walter Amaral havia falecido. De lá para cá, faleceram os ex-prefeitos Juarez Lopes Cruz e João Dória do Nascimento.

Continua...

:: Bibliografia:

DANTAS, José Ibarê Costa. Os partidos políticos em Sergipe (1989-1964). Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1989.
MENEZES, José Valdomiro Fernandes. Origem e formação do Partido dos Trabalhadores no Estado de Sergipe (1980-1982): monografia. São Cristóvão: UFS, 2000.
KOSHIBA, Luiz e PEREIRA, Denize Manzi Frayse. História do Brasil. 6 ed. São Paulo, Ática, 1983.
SANTOS, Lenalda Andrade e OLIVA, Terezinha Alves. Para compreender a História de Sergipe. Aracaju: Opção Gráfica, 1998.
SILVA, Claudomir Tavares da. Pequena História de Pirambu. SEMEC/EMMTC, 2001.
.................................................. Resgate Histórico do PT. Pirambu: Cedoc, 2001.
SKIDMORE, Thomas. Brasil: de Castelo a Tancredo (1964-1985). Tradução: Márcio Salviano Silva. São Paulo: Paz e Terra, 1988.

:: Bibliografia Específica:

SILVA, Claudomir Tavares da. Pequena História de Pirambu. SEMEC/EMMTC, 2001.
.................................................. Resgate Histórico do PT. Pirambu: Cedoc, 2001.
______________________________
* Claudomir Tavares (41) é professor de História, Sociedade e Cultura da Escola Municipal Mário Trindade Cruz (Pirambu), de História, Filosofia, Sociologia e Cultura Sergipana no Colégio Estadual Joana de Freitas Barbosa (Propriá). Licenciado em História pela UFS, com Pós Graduação em Gestão de Recursos Hídricos (Aperfeiçoamento – Concluído / Cursando Especialização) pela UFS e Didática e Metodologia do Ensino Superior pela Faculdade São Luís de França. É presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Japaratuba, membro fundador da Sociedade Sócio-Ambiental do Vale do Japaratuba (SOS Rio Japaratuba), presidente municipal e secretário estadual de Assuntos Parlamentares do Partido Verde e Diretor-Fundador do Jornal Tribuna da Praia (Impresso desde 1983 e Online desde 2004). Mantém site, blog, twitter, perfil e comunidade no Orkut.
Anteriores:

24/03/2010 – A República Brasileira de 1964 a 1985 (Parte II)
23/03/2010 – A República Brasileira de 1964 a 1985 (Parte I)

30 de mar de 2010

Só de Sccanagem... (Texto)

Por Ana Carolina e Seu Jorge

Bom, e aí, resolvi fazer umas coisas que não tinha conseguido fazer antes e queria... fiquei com vontade de encontrar umas pessoas que eu não tinha encontrado ainda. O primeiro nome forte que me veio foi Tom Zé, esse gênio maravilhoso, e, quando eu encontrei com ele, eu encontrei carinho, abrigo e uma pessoa mais incrível ainda que teve uma grande sacada nessa nossa primeira parceria chamada Unimultiplicidade, onde cada homem é sozinho a casa da humanidade. Valeu Tom! E antes de fazer essa canção, eu queria ler um textinho aqui da Elisa Lucinda, chama-se Só de sacanagem.

Meu coração está aos pulos! Quantas vezes minha esperança será posta a prova? Por quantas provas terá ela que passar?

Tudo isso que está aí no ar: malas, cuecas que voam entupidas de dinheiro. Do meu dinheiro, do nosso dinheiro que reservamos duramente pra educar os meninos mais pobres que nós, pra cuidar gratuitamente da saúde deles e dos seus pais.

Esse dinheiro viaja na bagagem da impunidade e eu não posso mais. Quantas vezes, meu amigo, meu rapaz, minha confiança vai ser posta a prova? Quantas vezes minha esperança vai esperar no cais? É certo que tempos difíceis existem pra aperfeiçoar o aprendiz, mas não é certo que a mentira dos maus brasileiros venha quebrar no nosso nariz. Meu coração tá no escuro. A luz é simples, regada ao conselho simples de meu pai, minha mãe, minha avó e todos os justos que os precederam. 'Não roubarás!', 'Devolva o lápis do coleguinha', 'Esse apontador não é seu, minha filha'. Ao invés disso, tanta coisa nojenta e torpe tenho tido que escutar! Até habeas corpus preventiva, coisa da qual nunca tinha visto falar, sobre o qual minha pobre lógica ainda insiste: esse é o tipo de benefício que só ao culpado interessará! Pois bem, se mexeram comigo, com a velha e fiel fé do meu povo sofrido, então agora eu vou sacanear! Mais honesta ainda eu vou ficar! Só de sacanagem!

Dirão: 'Deixe de ser boba! Desde Cabral que aqui todo mundo rouba!

E eu vou dizer: 'Não importa! Será esse o meu carnaval! Vou confiar mais e outra vez. Eu, meu irmão, meu filho e meus amigos.'

Vamo pagar limpo a quem a gente deve e receber limpo do nosso freguês. Com o tempo, a gente consegue ser livre, ético e o escambal.
Dirão: 'É inútil! Todo mundo aqui é corrupto desde o primeiro homem que veio de Portugal!'

E eu direi: 'Não admito! Minha esperança é imortal, ouviram? Imortal!'
Sei que não dá pra mudar o começo, mas, se a gente quizer, vai dar pra mudar o final!

29 de mar de 2010

Verdes de Sergipe lançam em Pirambu campanha contra instalação de Usina Nuclear

Dirigentes, filiados, vereadores, lideranças e militantes verdes de Sergipe se reunirão dia 10 em local a ser confirmado ainda esta semana

Acontece no dia 17 de abril de 2010, em local ainda a ser confirmado no decorrer desta semana a campanha contra a instalação de uma usina nuclear em territórios sergipanos. Segundo a Constituição Estadual, em seu capítulo IV do Meio Ambiente, da Ciência e Tecnologia, artigo 232, inciso 8º, “ficam proibidos a construção de usinas nucleares e depósito de lixo atômico no território estadual, bem como o transporte de cargas radioativas, exceto quando destinadas a fins terapêuticos, técnicos e científicos, obedecidas as especificações de segurança em vigor”.

“Estarão presentes dirigentes nacionais e estaduais, vereadores e presidentes dos diretórios municipais, lideranças e militantes verdes vindos de todos os rincões de Sergipe e aqui em nossa cidade levantarão a voz contra esta iniciativa que constitui-se em um crime contra o povo sergipano”, afirma o professor Claudomir Silva, presidente municipal e membro da executiva estadual do Partido Verde. Neste 1º Encontro Estadual do PV no interior de Sergipe, serão debatidas ainda a pré-campanha da senadora Marina Silva a presidência da república, discutidas as pré-candidaturas a governador e senador, de deputados federais e estaduais.

Convidados – Além da militância, dirigentes, parlamentares e lideranças do PV, integrantes de partidos aliados na última eleição municipal serão convidados, a exemplo do PT, PHS, PSL e mais o PPS e demais forças políticas que se empenharam no projeto político que teve o Partido Verde como um de seus mais significativos protagonistas. Representantes da sociedade civil, da comunidade científica e educacional, ambientalistas, professores e estudantes estarão integrando-se a esta atividade que abre o calendário político de Sergipe em Pirambu

Marina Silva – “Apesar de nosso nome ter sido lançado como pré-candidato a deputado federal e depois a governador pelo professor Anderson Góis (hoje fora do processo eleitoral, pelo menos na condição de pré-candidato a governador, por opção pessoal), o que nos honra e multiplicam as responsabilidades dentro do partido e com a sociedade sergipana, estou empenhado na defesa do nome do companheiro Reynaldo Nunes de Morais, praticamente um consenso dentro do fórum que irá escolher os pré-candidatos, inclusive a governador, por entender que dentro do partido é aquele que tem o melhor perfil para a tarefa inadiável de candidatura própria para construirmos um palanque para Marina em Sergipe”, completa Claudomir.

Ricardo Almeida – Aqui em Pirambu o professor Claudomir Silva irá defender “a regionalização do partido, com a instalação das coordenações regionais da Pré-Campanha Marina Silva, e que servirão de núcleo para a Coordenação do Partido Verde no Vale do Japaratuba”, informa. “Da mesma forma, que estaremos anunciando a pré-candidatura do companheiro Ricardo Almeida para deputado federal ou estadual, cuja decisão é exclusivamente dele, tendo o nosso modesto apoio”, finaliza o dirigente verde.

28 de mar de 2010

Polivalente e as ‘Águas de Propriá’

Palestra abordou ‘água limpa para um mundo saudável’

Estudantes dos 4º e 5º anos do Colégio Estadual ‘Joana de Freitas Barbosa’ (Polivalente), da cidade de Propriá, participaram na última sexta-feira, 26/03, de uma palestra intitulada ‘Águas de Propriá’. Ministrada pelo professor Claudomir Tavares da Silva, historiador e especialista em gestão de recursos hídricos, a palestra abordou a temática ‘Águas de Propriá’, dentro da proposta da ONU ‘água limpa para um mundo saudável’, que desde 1992 decidiu discutir em 22/03 sobre os usos dos recursos hídricos em nosso Planeta e a partir de 1994 é escolhido um tema para reflexão.

A palestra teve início às 10h15min com a exibição de um vídeo elaborado pela WWF em que um cidadão descarregava uma caçamba de lixo em um rio e em seguida uma latinha de refrigerante, mesmo havendo uma placa que alertava para a proibição. Daí, ao chegar em casa e ligava o chuveiro, aquele lixo invadia seu banheiro, como um mostro querendo engoli-lo. Uma mensagem em inglês “if you think pollution doesn’t affect you...” (se você acha que a poluição não afeta você...).

Em seguida foi apresentado um slide dividido em quatro partes, mais a introdução. Nela eram apresentadas as temáticas da Semana da Água desde 1994. A primeira parte discutiu a História do Dia Mundial da Água, Dia Nacional da Água, água e o corpo humano, águas do mar, como economizar água, curiosidades, distribuição de água na Terra, distribuição de água no Brasil, os direitos da água, ciclo da água, água potável e água tratada, água contaminada, o problema já começou e motivos para a guerra. Na segunda parte é apresentada às águas em Sergipe.

Na terceira parte, a palestra centra-se nas ‘Águas de Propriá’: Localização e acesso, população, povoados, rede hidrográfica, água tratada, águas superficiais e águas subterrâneas de Propriá. Na quarta e última parte, ficou um espaço reservado para os agradecimentos e uma atividade lúdica que constou de representar através de balões (bexigas, bola de assopro), simbolizando as gotas d’água. No final, foram estourados os balões, uma verdadeira farra.

A palestra ‘Águas de Propriá’ está disponível em nosso banco de dados “e disponível para apresentação em escolas, instituições e comunidades, não só por ocasião do dia da água, mas durante todo o ano, uma vez que ‘todo dia é dia da água”, afirma Claudomir Tavares, que deverá está apresentando Águas de Pirambu’, em data a ser confirmada em escolas da rede pública estadual e municipal. Maiores informações pelo celular (079) 9917.0510!

27 de mar de 2010

CE JOSÉ AMARAL LEMOS, em Pirambu, escreveu uma das mais belas páginas de sua História

Escola celebra 40 anos com culto ecumênico em que se fizeram presentes quase todas as congregações religiosas de Pirambu
Por Claudomir Tavares * | claudomir@tribunadapraia.net


A coluna ‘FIQUE DE OLHO’, dedica especialmente na data de hoje, todo seu espaço ao Culto Ecumênico que o Colégio Estadual José Amaral Lemos, da cidade de Pirambu, promovendo na tarde e noite de ontem, 26, uma das mais belas páginas daquela instituição que é considerada ‘berço cultural de Pirambu’. Organizado pelos professores, direção, coordenação, funcionários e estudantes, a escola encheu-se de alegria, de fé e irreverência para celebrar com fervor a passagem pelos seus 40 anos, cuja data deu-se em 11 de março e as comemorações só estão começando, devendo ter como ponto culminante o desfile que a escola realizara em setembro de 2010.

Um culto ecumênico foi realizado, tendo a participação das igrejas Cristã Evangélica (Adriana Silva), Católica (Padre João Batista), Assembléia de Deus (Gleiciane Carvalho), Adventista do 7º Dia (Dimitry Silva), Evangelho Quadrangular (Geraldo Ferreira), Batista (Josivaldo Rocha) e Brasil para Cristo (Núzia Moura). Cada igreja com seu grupo de música, levando alegria, oração e depoimentos emocionados a celebração. Presente ao evento todo corpo diretivo da escola (Tereza Cariri), professores, articuladores, coordenadores, estudantes, pais de alunos, fiéis das várias igrejas.

A professora Sara Soares da Silva (Sarita) assumiu o cerimonial e mostrou-se extremamente competente em sua condução, o que para nós não é nenhuma surpresa, conhecendo-a desde criança e testemunho de seu talento e compromisso com a instituição. A professora Tereza Cariri, que está à frente do Amaral Lemos pela segunda vez, sendo a primeira a conseguir esta façanha, fez a saudação inicial, agradecendo o empenho de todos aqueles que deram o melhor de si para a preparação daquele momento. Em seguida, o ex-aluno e ex-professor da escola, Claudomir Tavares, escalado para falar sobre os 40 anos da escola, preferiu falar com o coração e deu uma espécie depoimento testemunho de sua passagem pelo Amaral. A diretora da DRE’ – 04, Adriana Oliveira compareceu ao Culto Ecumênico, trazendo consigo o reconhecimento daquela diretoria a uma das escolas mais bem conceituadas da rede pública estadual em Sergipe.

:: SABEDORIA (PAZ) X FORÇA (GUERRA)

Nas pregações de pastores, padre, missionárias e lideranças de igreja, cada um prestou sua homenagem à escola, levou músicas conhecidas, como as que se tornaram conhecidas nas vozes do Padre Fábio e do cantor Lázaro, encerrando com uma oração ou leitura bíblica. Em sua fala, o pastor Josivaldo (Igreja Batista) ex-aluno da escola, e atualmente professor da rede municipal de ensino, afirmou que “toda escola pública deveria ser como o Amaral, espelhar-se pelo seu exemplo”. Josivaldo se lembrou da contribuição dada por seus ex-professores, citando Claudomir Tavares (História), presente no ato e Geniro dos Santos (Matemática). “Quem se esquece de seu professor de Matemática”, brincou ele. Para ele, “devemos nos guiar pelo caminho da sabedoria, que é superior a força”, disse. “A força provoca a guerra, enquanto que a sabedoria provoca a paz”, comparou.

:: 40 ANOS DE: VITÓRIA

Irreverente, o ex-aluno Dimitry Silva (Igreja Adventista do 7º Dia) confessou a Tia Bel (professora Maria Izabel do Carmo, que começou como aluna do Amaral e que desde 1985 está na instituição, devendo aposentar-se este ano) ser o autor de uma travessura (risos). Citou Salomão que teve mil mulheres, mas que optou pela sabedoria, repetiu as palavras de Martin Luther King, herói da luta pela liberdade americana e levantou um coro: “Quando eu disser 40 anos de: ... Vocês respondem”, dizia ele, sendo seguido por ecos de “vitória”, repetiam.

:: UNIDADE DAS IGREJAS CRISTÃS

O padre João Batista, representando a Igreja Católica e registrou a importância da unidade das igrejas cristãs naquele ato, seguindo uma ‘orientação de Jesus’ e registrou a importância de todos se prepararem para celebrar a Páscoa. Ele se lembrou da Campanha da Fraternidade 2010– cujo tema é "Fraternidade e Economia" e o lema é "Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro" (Mt 6, 24) e que a cada quatro anos dá-se de forma ecumênica, encampada pelos católicos e pelos irmãos de algumas igrejas mais tradicionais do campo evangélico. O padre João Batista é italiano e desde as celebrações por ocasião da Festa de Nossa Senhora de Lourdes, padroeira da cidade, está a frente da Paróquia de Pirambu.

:: 25 ANOS DEPOIS

Núzia dos Santos Moura estava entre aquelas integrantes da primeira turma a concluir o 1º Grau (atual Ensino Fundamental) em dezembro de 1984, há 25 anos. Naquela escola estudaram dois de seus filhos e outros dois continuam na instituição. A hoje missionária da Igreja ‘Brasil para Cristo’ registrou que a juventude da sua igreja é composta por alunos e ex-alunos do Amaral e que ela é fruto daquela escola.

:: EXEMPLO DE GESTÃO

O pastor Geraldo Ferreira, que além de líder religioso, excelente pregador é também um exímio cantor, registrou a importância da unidade da equipe, da qualidade dos que integram a equipe diretiva, de seu quadro funcional, da forma de gestão, afirmando que “quem ganha com isso são, principalmente, os alunos, que tem uma equipe como esta, a quem enaltecemos o trabalho na pessoa da professora Tereza”, testemunhou o líder da Igreja do Evangelho Quadrangular.

:: UM GRUPO FORTE

A representante da Igreja Cristã Evangélica, Adriana da Silva dedicou sua fala e orações a honras e glórias ao ‘grupo’ Amaral Lemos. Grupo era a primeira nomenclatura do atual Colégio Estadual que já foi Grupo Escolar e Escola Estadual, conforme artigo publicado há quinze dias neste portal. Adriana foi a primeira a pregar, abrindo caminho para os demais irmãos que seguiram no mesmo caminho, unindo homenagens, cantos de louvores e orações.

:: AMARAL GOSPEL

Ao longo dos anos a escola tem mostrado em seu interior inúmeros talentos, nas mais variadas modalidades artística. Gleiciane Carvalho, aluna da 8ª Série, foi à responsável pela representação da Igreja Evangélica Assembléia de Deus. Ela é uma militante ativa da igreja e, tem integrado as atividades mais gerais dos evangélicos de Pirambu, como o ‘Dia da Bíblia’, realizado anualmente no mês de dezembro pela União das Igrejas Evangélicas de Pirambu (UIEMP). Tem se revelado e consolidado como um excelente talento gospel, não devendo em nada para os grandes nomes da música cristã evangélica.

:: NAQUELE TEMPO

A professora aposentada Selma Maria Silva (Dona Selma) foi à quarta diretora do Amaral Lemos, ficando na função até 2004, destacando-se como sua primeira realização a implantação gradativa da segunda fase do 1º Grau (5ª Série – 1981, 6º Série – 1982, 7ª Série – 1983 e 8ª Série – 1984). Não dimensionando a sua importância, o marco operativo da época, ela humildemente afirmou que “naquele tempo não tínhamos professores tão preparados como temos hoje, não tínhamos computador, a autoridade se impunha pela força, não com o diálogo, como temos visto na gestão de Tereza, a quem pedimos a Deus que lhe ilumine e te conserve a frente desta escola por muitos anos, pois você é insubstituível”, não poupou palavras a grande mestre a quem, tem hoje uma grande discípula.

:: PARABÉNS

Ao final da solenidade, todos rezaram um Pai Nosso e cantaram os parabéns, encerrando a primeira parte do grande dia (diga-se tarde/noite) que teve sequência à noite com um grande encontro musical, promovido e realizado pelos alunos da instituição, que ‘invadiram’ a escola, apropriando-se da mesma como um patrimônio que pertence a todos eles e ficará marcado definitivamente em suas vidas. Aguardem ainda hoje a segunda parte desta matéria, com o que aconteceu durante a grande festa alusiva aos 40 anos do Amaral Lemos. Além disso, estamos preparando um álbum para ilustrar o espaço ‘Festas e Eventos’.

:: MURAL DE RECADOS:

"Sábado, 27/03 - Hora do Planeta! Apague as luzes entre às 20h30hs às 21h30min. De que lado você está? Faça sua parte!" (www.horadoplaneta.org.br)

:: 100,5 MIL ACESSOS NO INÍCIO DE 2008

A coluna ‘FIQUE DE OLHO’ informa na edição de hoje o número de acesso da Tribuna da Praia no PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2008. Nos meses de JANEIRO (31.163), FEVEREIRO (41.247) e MARÇO (28.113) 100.523 internautas acessaram nosso portal. Uma média de 1104,6 acessos/dia, contra os 1058,6 verificados no trimestre anterior. Somados aos 412.928 acessos de 24/04/2004 até 31/03/2008, atingimos um total de 513.451 acessos em quase quatro anos de operação do portal que há época já era, possivelmente, um dos mais acessado no interior de Sergipe. Atualmente a nossa freqüência diária é de 3741 acessos/dia, dados atualizados após a informação da média mensal de Outubro, Novembro e Dezembro de 2009. Em Propriá, Pirambu e Japaratuba estão distribuídas as maiores médias de freqüências, totalizando 1.700 dos 3741 acessos diários. Aracaju, Barra dos Coqueiros, Carmópolis, Capela, são algumas das principais médias de acesso diário, contribuindo com uma média de 1.200 acessos diários. Em Alagoas, nossa maior média é verificada na cidade de Porto Real do Colégio, seguida de Maceió, São Brás, Penedo e Piranhas, que juntas representam mais de 300 acessos diários. O site tem sido acessado em outros países, a exemplo do Paraguai, Estados Unidos, Espanha, Portugal, Japão, entre outros. Na próxima edição a coluna informa a freqüência do segundo trimestre de 2008, quando o volume continua apresentando índices de crescimento da média diária, algo que se mantém nos meses seguintes.

:: FRASE DO DIA:

"Devo ao Amaral Lemos parte do que sou. Aqui vivi alguns dos momentos mais marcantes de minha vida" (Claudomir Tavares)
___________________________________
* Claudomir Tavares (41) é professor de Sociedade e Cultura da Escola Municipal Mário Trindade Cruz (Pirambu), de Filosofia, Filosofia da Educação e de Cultura Sergipana no Colégio Estadual Joana de Freitas Barbosa (Propriá) – Situação em 2010. Licenciado em História pela UFS (2002), com Pós Graduação em Gestão de Recursos Hídricos (Aperfeiçoamento – Concluído - 2007/2008 / Cursando Especialização – 2009/2010) pela UFS e Didática e Metodologia do Ensino Superior pela Faculdade São Luís de França (2006). Foi secretário geral (2007/2008) e presidente (2008/2010) do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Japaratuba, membro fundador da Sociedade Sócio-Ambiental do Vale do Japaratuba - SOS Rio Japaratuba (desde 1998), presidente municipal (desde 2008) e secretário estadual de Assuntos Parlamentares do Partido Verde (da Executiva Estadual desde 2005) e Diretor-Fundador do Jornal Tribuna da Praia (Impresso desde 1983 e Online desde 2004). Mantém site, blog, twitter, perfil e comunidade no Orkut.

PSIU: A utilização deste e outros artigos devem respeitar a Lei dos Direitos Autorais. Sua veiculação deve ser previamente autorizada por inscrito e as informações autorais devem ser preservadas.

Fonte: Tribuna da Praia - Em: 27/03/2010

26 de mar de 2010

O Poeta, o Vinho e o Violão

Éliton Oliveira Cunha e amigos da poesia hoje a noite no 12 Tênis Clube
A cidade de Propriá tem logo mais a partir das 20 horas um encontro com o melhor da poesia sergipana. O capelense de nascimento e propriaense por adoção Éliton Oliveira Cunha e amigos da poesia e da cultura propriaense reúnem-se no 12 Tênis Clube, para declamar poesia, ouvir música e tomar alguns goles de vinho (pode ser água, cerveja, refrigerante, etc). Segundo a professora, arte-educadora e a mais nova radialista Mara Vilar, apresentadora do Programa ‘Circuito Cultural’ (Rádio Propriá FM 104,9 – Sábados, das 17 às 18 hs), “o Sarau Cultural: O Poeta, o Vinho e o Violão será um encontro da poeta Éliton Cunha com os amantes da cultura propriaense, onde estaremos homenageando Etinho, que estará lançando o livro A POESIA EM BUSCA DO POVO”, informou.

Éliton Cunha é brasileiro, com 77 anos, casado há 51 anos com Maria Leda Costa Cunha natural de Capela . Cursou o antigo 2º grau. Deu início a sua carreira de poeta no ano de 1985, incentivado pelos amigos que conheciam seu trabalho, descobrindo assim, sua veia poética. Já residiu em Propriá e atualmente reside em Aracaju.
Estilo poético : Concretista - Inspiração : A vida
Prêmios : Banco Real, Sociedade Cultural de Contagem (MG), Concurso de Poesia de Bento Gonçalves (RS), Senac (Aracaju ). Participou de Encontro Cultural de Propriá com exposição de suas poesias.
Algumas obras: Gramática de um País, A revolta do poeta, Sociedade Hipócrita, Propriá do Velho Chico, entre outras.

A poesia: “Propriá do Velho Chico”

Propriá está nos livros,
Está na música ,
Está nas pessoas
Está nas ruas.
Propriá está na poesia:
Está na prosa curta,
Está na noite de lua.

Propriá está na poesia;
Está na prosa e nos versos,
Propriá é minha terra,
Está no calor do sol e nas cores.
Está na poesia romântica, surrealista
E concretista,
Que cantam, rimam seus versos
Bizarros e coloridos,
Terra dos poetas e dos pintores.

Propriá é minha vida;
É um pincel de luz,
È todos os meus sentidos
Todas as minhas vibrações.
Em Propriá estão minhas raízes,
Toda minha sinceridade
Em busca do meu destino
Onde o problema tem solução

Propriá é aquela cidade
Sem árvores
Sem frutos
Sem flores
Propriá de gente de pote d’água
Gente de pé no chão
De becos estreitos e sujos,
Esquecidos e abandonados,
No desamor da gente da cidade.

Propriá cidade dos becos
Beco do Taboão
Beco Novo
Beco de seu Mingu
Beco de Maria Júlia
Beco de seu Genézio
Beco do Ferro de Engomar
Beco dos Correios.
Beco da Prefeitura.

Propriá do Rio São Francisco;
Longe dele, não sou nada
Longe de minha gente.
Eu sou aquele homem
Que ficou velho
E foi esquecido

Propriá de ruas estreitas
Curtas e indecisas,
Umas entrando nas outras.
Eu amo suas avenidas.

Propriá do rio São Francisco,
Que é vidraça do céu,
Que tira o retrato da lua,
Lua que veste a cidade de branco

Rio São Francisco
De águas velhas,
Rio do princípio do mundo
Rio da contagem das eras,
Rio que atravessei um dia

Rio , meu pobre rio…
Rio que se afunda
Debaixo da ponte
Que se reparte nas pedras,
Que se alarga nos remansos,
Cantando seu passado
Cantando seu futuro,
Cumprindo sua dura sina.
Propriá do rio São Francisco:
Dá sua benção para mim.

Retirado do livro : O melhor da Poesia. Aracaju 2007
Éliton Cunha

25 de mar de 2010

Também vou participar da Hora do Planeta


Vocês já sabem: o aquecimento global é uma das grandes preocupações do momento. Pesquisas recentes indicam que uma ligeira variação na temperatura do planeta pode inviabilizar a vida ou, pelo menos, causar grandes transtornos para a humanidade.

No próximo sábado, pessoas de todo o planeta se unirão para demonstrar às autoridades mundiais a sua preocupação com esse problema que atinge todos nós. A Hora do Planeta é uma maneira simples mas também poética para qualquer um se manifestar.

A proposta é muito simples: vamos apagar as luzes por uma hora, entre 20:30h e 21:30h. Como muitas pessoas participam, o efeito é monumental. Bairros e cidades inteiros escurecem quase no mesmo instante.
Além de apagar as luzes da sua casa, você também pode ajudar avisando e incentivando os seus amigos e familiares a participarem. Faça isso e depois me conte se essa não foi uma experiência emocionante.

24 de mar de 2010

"Águas de Propriá" em debate no Polivalente

Palestra Interativa aborda a importância dos recursos hídricos em Propriá

 O Colégio Estadual "Joana de Freitas Barbosa" (Polivalente), o maior e mais representativo do Baixo São Francisco, localizado na cidade de Propriá, distante 98 km de Aracaju, promove nesta sexta-feira, 26/03, a partir das 10 horas, uma palestra sobre o tema "Águas de Propriá", a ser ministrada pelo professor da instituição, Claudomir Tavares da Silva, especialista em Gestão de Recursos Hídricos. Será voltada para estudantes dos 4º e 5º anos do Ensino Fundamental.

A República Brasileira de 1964 a 1985 (Parte II)

... e seus reflexos na vida política sergipana e pirambuense
Por Claudomir Tavares * | claudomir@tribunadapraia.net


O ano de 2009 teve uma importância bastante significativa para a História do Brasil. Marcou os 45 anos de instalação do Regime Militar (1964/85), os 40 anos do seqüestro do embaixador americano Charles Burke Elbrick (1969), que deu origem ao Filme “O que é isso companheiro?”, os 30 anos da conquista da Anistia, os 20 anos da Redemocratização com as Eleições Presidenciais de 1989. Aqui em Pirambu, está sendo marcado pelo início das comemorações dos 25 anos de instalação do primeiro partido de esquerda, o PT, que em 14/12/2010 celebra Bodas de Prata.

Para marcar estas datas, a Tribuna da Praia está dando início a uma série de artigos, que estréia com “A República Brasileira de 1964 a 1985 e seus reflexos na vida política sergipana e pirambuense”, de nossa autoria, e que fora apresentado a disciplina História do Brasil III, ministrada pelo professor Dr. Jorge Carvalho do Nascimento, da Universidade Federal de Sergipe (UFS) no segundo semestre de 2000, e que fora publicado pelo extinto Centro de Documentação “Paulo Freire” (CEDOC-PT) em janeiro de 2001. O artigo está estruturado em quatro partes, a saber: 1 – 20 anos que alguém comeu, 2 – o 1964 em Sergipe e o surgimento do PT, 3 – Pirambu na época do Regime Militar e 4 – O PT em Pirambu. Preservamos o texto como fora confeccionado há 10 anos. Confira a segunda parte do artigo:

:: 1964 EM SERGIPE E O SURGIMENTO DO PT

Seixas Dória, do PSD, governa o estado de Sergipe de 1961 até 1964 quando teve seu mandato cassado pelo governo Militar. Com ele teve início a exploração do petróleo em Sergipe, na região de Carmópolis (precisamente no território de Japaratuba). Incentivou a alfabetização e o desenvolvimento cultural do estado, o mais pobre do Nordeste. Naquela época já atuavam movimento de trabalhadores, estudantes e a população das cidades. Seixas Dória que apoiava João Goulart “chegou a anunciar, em comício no Rio de janeiro, que iria fazer a reforma agrária em Sergipe/’ (SANTOS, 1998: 105). Junto com o governador de Pernambuco, Miguel Arraes, que apoiada Jango, Dória teve seu mandato cassado, sendo os dois deportados para o arquipélago de Fernando de Noronha.

“Alguns deputados perderam o mandato, professores e funcionários públicos foram demitidos, estudantes e trabalhadores foram presos. Foi desmontado o movimento pela alfabetização, pela divulgação cultural e as manifestações políticas tornaram-se difíceis e perigosas” (SANTOS, 1998: 106).

Com a deposição de Seixas Dória, assumiu o seu vice, Sebastião Celso de Carvalho. A situação política de Sergipe prosseguia com a alternância de governadores dos mais conservadores, seguidores da cartilha do Regime Militar. Arnaldo Garcez, Rollemberg Leite, Augusto Franco/Djenal Queiroz e João Alves Filho (este eleito em 1982, mas pelo partido dos militares, o PDS que substituiu a ARENA).

Em 1967, foi instituído o bipartidarismo: quem era governo deveria filiar-se à ARENA e quem era oposição, deveria filiar-se ao MDB (não poderia ter o nome de partido, nem a letra “p”). Aqui, quase todos os políticos queriam estar na ARENA.

Com a abertura de 1979, surgiram no paios o PDS, o PMDB (ex-MDB), o PT, o PDT, o PTB e o PP (existiu por pouco tempo).

“A esta altura, um partido novo tornou-se muito importante e iniciava suas atividades em Sergipe. Era o Partido dos Trabalhadores (...), como resultado da força do movimento sindical. Professores, estudantes, sindicalistas e trabalhadores das indústrias petrolíferas estabelecidas no Estado construíram o PT em Sergipe” (SANTOS, 1998: 114).

Segundo Menezes, a formação do Partido dos Trabalhadores em Sergipe se deu “através dos líderes do novo sindicalismo das regiões Sul e Sudeste do país, sobretudo do estado de São Paulo, que ocorreram as principais mobilizações para a formação do PT (...) Em Sergipe (...), não tínhamos um operariado organizado, (...) existia era a história política dfe pessoas que participavam desde movimento de esquerda (...) havia os bancários, havia professores do estado, do município e da UFS. (...) ex-metalúrgicos (...). Vale ressaltar que o Movimento Estudantil se apresentava com seus melhores quadros”. (...) “As principais discussões sobre o processo de formação do Partido dos Trabalhadores em Sergipe se deram (...) quando alguns profissionais liberais que faziam parte do Centro de Investigação Social (CEIS) resolveram debater o assunto. A outra forma se deu no seio do movimento estudantil (...) A formação do Partido dos Trabalhadores no Estado de Sergipe, apesar de ter sofrido influências do que estava ocorrendo no restante do país, principalmente em São Paulo e mais precisamente no ABC Paulista, teve especialidades que deram características próprias ao PT deste Estado. (...) foi o primeiro partido que sob o aspecto organizacional tentou se constituir de fato num partido de massa, ou seja, de origem extraparlamentar, de carater societário (...)”. (MENEZES, 2000: 40-41-46-57).

Continua...

:: Anteriores:

23/03/2010 – A República Brasileira de 1964 a 1985 (Parte I)

:: Bibliografia:

DANTAS, José Ibarê Costa. Os partidos políticos em Sergipe (1989-1964). Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1989.
MENEZES, José Valdomiro Fernandes. Origem e formação do Partido dos Trabalhadores no Estado de Sergipe (1980-1982): monografia. São Cristóvão: UFS, 2000.
KOSHIBA, Luiz e PEREIRA, Denize Manzi Frayse. História do Brasil. 6 ed. São Paulo, Ática, 1983.
SANTOS, Lenalda Andrade e OLIVA, Terezinha Alves. Para compreender a História de Sergipe. Aracaju: Opção Gráfica, 1998.
SILVA, Claudomir Tavares da. Pequena História de Pirambu. SEMEC/EMMTC, 2001.
.................................................. Resgate Histórico do PT. Pirambu: Cedoc, 2001.
SKIDMORE, Thomas. Brasil: de Castelo a Tancredo (1964-1985). Tradução: Márcio Salviano Silva. São Paulo: Paz e Terra, 1988.

:: Bibliografia Específica:

KOSHIBA, Luiz e PEREIRA, Denize Manzi Frayse. História do Brasil. 6 ed. São Paulo, Ática, 1983.
SKIDMORE, Thomas. Brasil: de Castelo a Tancredo (1964-1985). Tradução: Márcio Salviano Silva. São Paulo: Paz e Terra, 1988.
______________________________
* Claudomir Tavares (41) é professor de História, Sociedade e Cultura da Escola Municipal Mário Trindade Cruz (Pirambu), de História, Filosofia, Sociologia e Cultura Sergipana no Colégio Estadual Joana de Freitas Barbosa (Propriá). Licenciado em História pela UFS, com Pós Graduação em Gestão de Recursos Hídricos (Aperfeiçoamento – Concluído / Cursando Especialização) pela UFS e Didática e Metodologia do Ensino Superior pela Faculdade São Luís de França. É presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Japaratuba, membro fundador da Sociedade Sócio-Ambiental do Vale do Japaratuba (SOS Rio Japaratuba), presidente municipal e secretário estadual de Assuntos Parlamentares do Partido Verde e Diretor-Fundador do Jornal Tribuna da Praia (Impresso desde 1983 e Online desde 2004). Mantém site, blog, twitter, perfil e comunidade no Orkut.

Fonte: TRIBUNA DA PRAIA - Em: 24/03/2010

23 de mar de 2010

A República Brasileira de 1964 a 1985 (Parte I)

... e seus reflexos na vida política sergipana e pirambuense
Por Claudomir Tavares * | claudomir@tribunadapraia.net


O ano de 2009 teve uma importância bastante significativa para a História do Brasil. Marcou os 45 anos de instalação do Regime Militar (1964/85), os 40 anos do seqüestro do embaixador americano Charles Burke Elbrick (1969), que deu origem ao Filme “O que é isso companheiro?”, os 30 anos da conquista da Anistia, os 20 anos da Redemocratização com as Eleições Presidenciais de 1989. Aqui em Pirambu, está sendo marcado pelo início das comemorações dos 25 anos de instalação do primeiro partido de esquerda, o PT, que em 14/12/2010 celebra Bodas de Prata.

Para marcar estas datas, a Tribuna da Praia está dando início a uma série de artigos, que estréia com “A República Brasileira de 1964 a 1985 e seus reflexos na vida política sergipana e pirambuense”, de nossa autoria, e que fora apresentado a disciplina História do Brasil III, ministrada pelo professor Dr. Jorge Carvalho do Nascimento, da Universidade Federal de Sergipe (UFS) no segundo semestre de 2000, e que fora publicado pelo extinto Centro de Documentação “Paulo Freire” (CEDOC-PT) em janeiro de 2001. O artigo está estruturado em quatro partes, a saber: 1 – 20 anos que alguém comeu, 2 – o 1964 em Sergipe e o surgimento do PT, 3 – Pirambu na época do Regime Militar e 4 – O PT em Pirambu. Preservamos o texto como fora confeccionado há 10 anos. Confira a primeira parte do artigo:

:: 20 ANOS QUE ALGUÉM COMEU

O objetivo deste artigo se reporta a um dos mais comentados momentos da vida política brasileira durante os anos que vão de 1964 a 1985, do Golpe Militar a Redemocratização negociada. Nele, taremos uma rápida investigação na história política de Sergipe e Pirambu neste período, fazendo chegar as primeiras explicações para o surgimento do Partido dos Trabalhadores, uma das mais importantes experiências partidárias brasileiras do século XX.

Os anos sessenta tem início com a ascensão e queda do governo de João Goulart. Assiste neste período o compromisso do governo com o parlamentarismo, condição imposta para que o mesmo pudesse assumir o vácuo deixado com a renúncia do Presidente Jânio Quadros, de quem “Jango” era vice.

O novo governo já “encastelado”, trava uma luta intestinal contra o parlamentarismo, estabelece um Plano Trienal e as famosas “reformas de base”, tidas como vinculadas as reivindicações dos grupos democráticos e populares – a vanguarda esquerdista da época. Com o retorno do presidencialismo, instaura-se uma crise institucional culminando num colapso do populismo cujas raízes eram incorporadas por Jango.

Ocorre a emergência do movimento popular, ao mesmo tempo em que cresceu as ameaças da decomposição do Estado, que resultaria no golpe de 31 de março de 1964. Este regime tem início com a emergência do Governo de Castelo Branco, que propunha a destruição da velha ordem: vê-se a ascensão do comando “revolucionário”, a anulação da vida política através dos sucessivos atos institucionais e o fortalecimento da “linha dura”.

Sucessor de Castelo Branco, num processo em que o antecessor não lhe era simpático, Costa e Silva assume a Presidência num franco momento de crescimento da oposição, com a construção da Frente ampla e agitações estudantis. É dessa época o famoso “caso Márcio” e o terror do AI-5. Os atos institucionais passaram a incorporar o texto constitucional;

O sucessor de Costa e Silva, Emílio Garrastazu Médice impulsionou a repressão e implantou o chamado “milagre econômico”, que na prática significou concentração de renda e socialização da miséria. A resistência se fez existir através das ações da Aliança Libertadora Nacional, do MR-8, VPR, POLOP, PCBR, etc. A repressão era violenta a estas ações de guerrilha urbana. Verificou-se que o “milagre econômico” serviu para consolidar o poder militar-tecnocrático.

Neste cenário, entra em cena o Presidente Ernesto Geisel, com estilo extremamente imperial. Assim, é notório a ambigüidade da “distensão” por ele proposta. Uma de suas medidas foi a destituição do general Eduardo D’Ávila Mello, por divergências no interior do poder, em função do comportamento no mesmo.

Geisel instituiu o Pacote de Abril para controlar a vida política brasileira, num momento de auge do arbítrio. A crise sucessória tem como conseqüência a exoneração de Sílvio Frota do governo. Nesta época é visível a ascensão do General João Figueiredo, no apagar das luzes e final do AI-5, que trouxe a anistia para velhos inimigos dos militares.

Antes de falarmos do governo Figueiredo, é preciso compreender um pouco do que foi o modelo econômico vigorante no regime militar: suas origens vem no modelo desenvolvimentista de Juscelino Kubischeck, com o surgimento da indústria automobilística. Dos ministérios de Roberto Campos a Bulhões, surge a política de “estabilização” econômica. Do ministério de Delfim Neto, o “milagre brasileiro”. Contradições: concentração de renda, crescente dívida externa, especulação financeira.

O fim do regime militar foi marcado por um processo lento e gradativo de abertura, não como um presente da ditadura, mas uma conquista através de muito sangue derramado. O “abandono” do regime autoritário se deu devido à impopularidade do regime militar. Contribuiu também a radicalização do terrorismo de direita: incêndios em bancas de revistas, o Episódio Dalmo Dallari, bomba do Riocentro. Surgiram as mudanças ministeriais e a imagem da incompetência, a reforma partidária e a anistia: divisão da oposição, formação de novos partidos, a reorganização das esquerdas: a ilegalidade dos PC’s, a fundação do Partido dos Trabalhadores. O governo de Figueiredo tem início com o compromisso de estabelecer a redemocratização brasileira. Nessa época, era forte o movimento sindical no país, principalmente no ABC paulista, onde uma liderança despontava, o Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Luís Inácio da Silva (LULA), que cria em 1980 (10 de fevereiro) o Partido dos Trabalhadores e em 1983 a Central Única dos Trabalhadores (08 de agosto).

É o PT quem dá início em 1984 a campanha “Diretas Já”, abortada no congresso pela coesão do PDS que derrota a emenda do Deputado Dante de Oliveira. No colégio eleitoral, boicotado pelo PT mas com a participação dos demais deputados da oposição, o governador de Minas Gerais, Tancredo Neves (PMDB/PFL) vence ao Deputado Paulo Maluf (PDS). Tancredo morre antes de assumir, e José Sarney, ex-Presidente do PDS, assume e conclui o governo, mantendo no poder “as mesmas moscas”.

Continua...

:: Bibliografia:

DANTAS, José Ibarê Costa. Os partidos políticos em Sergipe (1989-1964). Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1989.
MENEZES, José Valdomiro Fernandes. Origem e formação do Partido dos Trabalhadores no Estado de Sergipe (1980-1982): monografia. São Cristóvão: UFS, 2000.
KOSHIBA, Luiz e PEREIRA, Denize Manzi Frayse. História do Brasil. 6 ed. São Paulo, Ática, 1983.
SANTOS, Lenalda Andrade e OLIVA, Terezinha Alves. Para compreender a História de Sergipe. Aracaju: Opção Gráfica, 1998.
SILVA, Claudomir Tavares da. Pequena História de Pirambu. SEMEC/EMMTC, 2001.
.................................................. Resgate Histórico do PT. Pirambu: Cedoc, 2001.
SKIDMORE, Thomas. Brasil: de Castelo a Tancredo (1964-1985). Tradução: Márcio Salviano Silva. São Paulo: Paz e Terra, 1988.

:: Bibliografia Específica:

KOSHIBA, Luiz e PEREIRA, Denize Manzi Frayse. História do Brasil. 6 ed. São Paulo, Ática, 1983.
SKIDMORE, Thomas. Brasil: de Castelo a Tancredo (1964-1985). Tradução: Márcio Salviano Silva. São Paulo: Paz e Terra, 1988.
______________________________
* Claudomir Tavares (41) é professor de História, Sociedade e Cultura da Escola Municipal Mário Trindade Cruz (Pirambu), de História, Filosofia, Sociologia e Cultura Sergipana no Colégio Estadual Joana de Freitas Barbosa (Propriá). Licenciado em História pela UFS, com Pós Graduação em Gestão de Recursos Hídricos (Aperfeiçoamento – Concluído / Cursando Especialização) pela UFS e Didática e Metodologia do Ensino Superior pela Faculdade São Luís de França. É presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Japaratuba, membro fundador da Sociedade Sócio-Ambiental do Vale do Japaratuba (SOS Rio Japaratuba), presidente municipal e secretário estadual de Assuntos Parlamentares do Partido Verde e Diretor-Fundador do Jornal Tribuna da Praia (Impresso desde 1983 e Online desde 2004). Mantém site, blog, twitter, perfil e comunidade no Orkut.

Fonte: TRIBUNA DA PRAIA - Em: 23/03/2010

22 de mar de 2010

‘Águas de Pirambu’ em debate no Amaral Lemos

Palestra promovida pela Prefeitura de Pirambu aborda os Recursos Hídricos no Mundo e sua presença em nosso município

Dentro da programação integrada da Semana da Água, que este ano tem como tema “Vamos cuidar das águas de Sergipe”, o município de Pirambu está inserido nesta semana que “muito mais que um período para comemoração é um momento de reflexão”, conforme definição do articulador local, Ronnie da Silva Ferreira. Assim, a prefeitura municipal de Pirambu, em parceria com o Colégio Estadual “José Amaral Lemos”, estará promovendo na próxima quarta-feira, 24/03, a partir das 08h30min a Palestra Interativa “Águas de Pirambu”, que terá como palestrante o professor, historiador e especialista em gestão de recursos hídricos Claudomir Tavares da Silva.

Das 75 prefeituras sergipanas, a de Pirambu é uma dos 20 participantes da programação integrada (as outras são Aracaju, Arauá, Barra dos Coqueiros, Canindé do São Francisco, Carmópolis, Capela, Estância, General Maynard, Itabi, Laranjeiras, Maruim, Pacatuba, Pedrinhas, Rosário do Catete, Salgado, Santa Rosa de Lima, Tobias Barreto e Umbaúba e Santana do São Francisco), “numa prova inequívoca do seu compromisso com a preservação dos recursos hídricos do nosso planeta, ação que deverá ser um exercício permanente do poder público, da sociedade civil e do conjunto dos usuários da água”, descreve Ronnie Ferreira, que é o representante da Prefeitura de Pirambu desde 20 de janeiro de 2010 no Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Japaratuba, escolhido entre os 20 municípios do Vale do Japaratuba. O município de Pirambu tem uma das mais expressivas participações no Comitê, que é uma espécie de Parlamento das Águas, incluindo além da Prefeitura, a Câmara de Vereadores e a Colônia de Pescadores Z – 5.

Escola e palestrante – A escolha do Colégio Estadual José Amaral Lemos deu-se como forma de homenagem da administração municipal a instituição que iniciou em 11 de março de 2010 as celebrações pelos 40 anos de serviço prestado à educação de nossa comunidade. A escolha do professor Claudomir Tavares da Silva, ex-aluno e ex-professor daquela instituição, para proferir a palestra que a princípio tem como tema “Água”, deu-se por ser ele em nossa cidade um dos maiores conhecedores da temática. Ex-Secretário Geral (2007/2008) e ex-Presidente (2008/2010) do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Japaratuba, Claudomir Tavares da Silva é professor da rede pública municipal e estadual, graduado em História pós-graduado em Gestão de Recursos Hídricos, ambos pela UFS, ele escolheu como desdobramento do tema, a proposta “Águas de Pirambu”, e fará uma palestra interativa, tipo bate-papo, com dinâmicas e elementos lúdicos, com estudantes daquela instituição.

Fonte: TRIBUNA DA PRAIA - Em: 20/03/2010

“Água limpa para um mundo saudável”


Começa hoje a Semana da Água em Pirambu. Escolas, este portal, outras instituições devem realizar atividades até a próxima sexta-feira, quando esta encerra-se, pelo menos, em tratando-se de dias letivos. Para um melhor entendimento, vamos apresentar abaixo alguns argumentos que nos levam a refletir sobre o tema do Dia da Água que em 2010 terá como tema “Água limpa para um mundo saudável”.

1. A água e o corpo humano

Os primeiros seres vivos da Terra surgiram na água há cerca de 3,5 bilhões de anos. Sem ela, acreditam os cientistas, não existiria vida. A água forma a maior parte do volume de uma célula. No ser humano, ela representa cerca de 70% de seu peso. Uma pessoa de 65 kg, por exemplo, tem 45 kg de água em seu corpo. Daí sua importância no funcionamento dos organismos vivos. O transporte dos sais minerais e de outras substâncias, para dentro ou para fora da célula, é feito por soluções aquosas. Mesmo a regulagem da temperatura do corpo depende da água - é pelo suor que "expulsamos" parte do calor interno

2. Dia Mundial da Água

A Organização das Nações Unidas instituiu, em 1992, o Dia Mundial da Água - 22 de março. O objetivo da data é refletir, discutir e buscar soluções para a poluição, desperdício e escassez de água no mundo todo.

Mas há muitos outros desafios: saber usá-la de forma racional, conhecer os cuidados que devem ser tomados para garantir o consumo de uma água com qualidade e buscar condições para filtrá-la adequadamente, de modo a tirar dela o máximo proveito possível.

3. Dia Nacional da Água

No Brasil a adesão partiu do Congresso Nacional. A Lei nº 10.670, de 14 de maio de 2003, instituiu o Dia Nacional da Água, que também passou a ser comemorado no dia 22 de março de cada ano, simultaneamente à data mundial.

4. Agenda anual

O Dia Mundial da Água (22/3) coloca em pauta, todos os anos, uma discussão diferente. Veja abaixo o que já foi tratado mundialmente:

2010 - Água limpa para um Mundo Saudável
2009 – Águas transformadas
2008 - Saneamento
2007 - Escassez de água
2006 - Água e Cultura
2005 - Água para a Vida (2005-2015)
2004 - A Água e os Desastres
2003 - Água para o Futuro
2002 - Água para o Desenvolvimento
2001 - Água para a Saúde
2000 - Água para o Século XXI
1999 - Todos vivem rio abaixo
1998 - Água subterrânea: o recurso invisível
1997 - Águas do Mundo: há suficiente?
1996 - Água para cidades sedentas
1995 - Mulheres e Água
1994 - Cuidar de nossos recursos hídricos é função de cada um

5. Mar

Desde a Antiguidade, os mares são os receptores naturais de grandes quantidades de resíduos. O Mediterrâneo, o mar do Norte, o canal da Mancha e os mares do Japão são alguns dos mais contaminados do mundo. Os agentes contaminadores que trazem maior risco ao ecossistema marinho são:

○ Os acidentes com barcos petroleiros que provocam grandes desastres ecológicos, poluindo a água do mar.
○ O petróleo, como conseqüência dos acidentes, descuidos ou ações voluntárias.
○ Os produtos químicos procedentes do continente, que chegam ao mar por meio da chuva e dos rios ou das águas residuais.

6. Como economizar água

Não demore muito tempo no chuveiro. Em média, um banho consome 70 litros de água em apenas 5 minutos, ou seja, 25.550 litros por ano.

Preste atenção ao consumo mensal da conta de água. Você poderá descobrir vazamentos que significam enorme desperdício de água. Faça um teste; feche todas as torneiras e os registros de casa e verifique se o hidrômetro - aparelho que mede o consumo de água - sofre alguma alteração. Se alterar, o vazamento está comprovado.

Você pode economizar 16.425 litros de água por ano ao escovar os dentes, basta molhar a escova e depois fechar a torneira. Volte a abri-la somente para enxaguar a boca e a escova.

Prefira lavar o carro com balde em lugar da mangueira. O esguicho aberto gasta aproximadamente 600 litros de água. Se você usar balde, o consumo cairá para 60 litros.
Cuidado: Nada de "varrer" quintais e calçadas com esguicho; use a vassoura!

7. Curiosidades

Cada brasileiro gasta 300 litros de água por dia. Apenas metade disso seria suficiente para suprir todas as necessidades. Além disso, grande parte dos reservatórios está contaminada, principalmente em regiões mais populosas.

Na maioria dos países, é no campo que ocorre o maior consumo de água: a agricultura intensiva consome mais de quinhentos litros por pessoa ao dia. De 1900 até os nossos dias, a superfície de cultivo irrigado triplicou. Os sistemas tradicionais de irrigação aproveitam apenas 40% da água que utilizam. O resto evapora ou se perde.

8. Distribuição da água

Na Terra há cerca de 1 360 000 000 km³ de água que se distribuem da seguinte forma:
• 1 320 000 000 km³ (97%) são água do mar.
. 40 000 000 km³ (3%) são água doce.
. 25 000 000 km³ (1,8%) como gelo.
. 13 000 000 km³ (0,96%) como água subterrânea.
. 250 000 km³ (0,02%) em lagos e rios.
. 13 000 km³ (0,001%) como vapor de água.

9. Os Direitos da Água

A ONU redigiu um documento intitulado Declaração Universal dos Direitos da Água. Logo abaixo, você vai ler os seus principais tópicos:

• A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: é rara e dispendiosa e pode escassear em qualquer região do mundo.
• A utilização da água implica respeito à lei. Sua proteção constitui uma obrigação jurídica para todo homem ou grupo social que a utiliza.
• O equilíbrio e o futuro de nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos. Estes devem permanecer intactos e funcionando normalmente para garantir a continuidade da vida sobre a Terra. Este equilíbrio depende da preservação dos mares e oceanos, por onde os ciclos começam.
• Os recursos naturais de transformação da água em água potável são lentos, frágeis e muito limitados. Assim sendo, a água deve ser manipulada com racionalidade e precaução.
• A água não é somente herança de nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo a nossos sucessores. Sua proteção constitui uma necessidade vital, assim como a obrigação moral do homem para com as gerações presentes e futuras.
• A água faz parte do patrimônio do planeta. Cada continente, cada povo, cada nação, cada região, cada cidade, cada cidadão é plenamente responsável pela água da Terra.
• A água não deve ser desperdiçada, nem poluída, nem envenenada. De maneira geral, sua utilização deve ser feita com consciência para que não se chegue a uma situação de esgotamento ou de deterioração da qualidade das reservas atualmente disponíveis.
• A água é a seiva de nosso planeta. Ela é condição essencial de vida de todo vegetal, animal ou ser humano. Dela dependem a atmosfera, o clima, a vegetação e a agricultura.
• O planejamento da gestão da água deve levar em conta a solidariedade e o consenso em razão de sua distribuição desigual sobre a Terra.
• A gestão da água impõe um equilíbrio entre a sua proteção e as necessidades econômica, sanitária e social.

10. Ciclo da Água

A água, na natureza, está sempre mudando de estado físico. Sob a ação do calor do Sol, a água da superfície terrestre se evapora e se transforma em vapor d'água. Este vapor sobe para a atmosfera e vai se acumulando. Quando encontra camadas frias, se condensa, formando gotinhas de água que juntam-se a outras gotinhas e formam as nuvens.

As nuvens formadas, quando ficam muito pesadas por causa da quantidade de água nelas contida, voltam à superfície terrestre em forma de chuva. Uma parte da água das chuvas penetra no solo e forma lençóis de água subterrâneos. Outra parte corre para os rios, mares, lagos, oceanos etc. Com o calor do Sol, a água volta a evaporar.

11. Água potável e água tratada

A água é considerada potável quando pode ser consumida pelos seres humanos. Infelizmente, a maior parte da água dos continentes está contaminada e não pode ser ingerida diretamente. Limpar e tratar a água é um processo bastante caro e complexo, destinado a eliminar da água os agentes de contaminação que possam causar algum risco para a saúde, tornando-a potável. Em alguns países, as águas residuais, das indústrias ou das residências, são tratadas antes de serem escoadas para os rios e mares.

Estas águas recebem o nome de depuradas e geralmente não são potáveis. A depuração da água pode ter apenas uma fase de eliminação das substâncias contaminadoras, caso retorne ao rio ou ao mar, ou pode ser seguida de uma fase de tratamento completa, caso se destine ao consumo humano.

12. Água contaminada

Existem vários elementos contaminadores da água. Alguns dos mais importantes e graves são:

• Os contaminadores orgânicos: são biodegradáveis e provêm da agricultura (adubos, restos de seres vivos) e das atividades domésticas (papel, excrementos, sabões). Se acumulados em excesso produzem a eutrofização das águas.
• Os contaminadores biológicos: são todos aqueles microrganismos capazes de provocar doenças, tais como a hepatite, o cólera e a gastroenterite. A água é contaminada pelos excrementos dos doentes e o contágio ocorre quando essa água é bebida.
• Os contaminadores químicos: os mais perigosos são os resíduos tóxicos, como os pesticidas do tipo DDT (chamados organoclorados), porque eles tendem a se acumular no corpo dos seres vivos. São também perigosos os metais pesados (chumbo, mercúrio) utilizados em certos processos industriais, por se acumularem nos organismos.

Um dos principais problemas que surgiram neste século é a crescente contaminação da água, ou seja, este recurso vem sendo poluído de tal maneira que já não se pode consumi-lo em seu estado natural. As pessoas utilizam a água não apenas para beber, mas também para se desfazer de todo tipo de material e sujeira. As águas contaminadas com numerosas substâncias recebem o nome de águas residuais. Se as águas residuais forem para os rios e mares, as substâncias que elas transportam irão se acumulando e aumentam a contaminação geral das águas. Isto traz graves riscos para a sobrevivência dos organismos.

13. O problema já começou

A falta d'água já afeta o Oriente Médio, China, Índia e o norte da África. Até o ano 2050, as previsões são sombrias. A Organização Mundial da Saúde (OMS) calcula que 50 países enfrentarão crise no abastecimento de água.

China - O suprimento de água está no limite. A demanda agroindustrial e a população de 1,2 bilhão de habitantes fazem com que milhões de chineses andem quilômetros por dia para conseguir água.

Índia - Com uma população de 1 bilhão de habitantes, o governo indiano enfrenta o dilema da água constatando oesgotamento hídrico de seu principal curso-d'água, o rio Ganges.

Oriente Médio - A região inclui países como Israel, Jordânia, Arábia Saudita e Kuwait. Estudos apontam que dentro de 40 anos só haverá água doce para consumo doméstico. Atividades agrícolas e industriais terão de fazer uso de esgoto tratado.

Norte da África - Nos próximos 30 anos, a quantidade de água disponível por pessoa estará reduzida em 80%. A região abrange países situados no deserto do Saara, como Argélia e Líbia.

14. Motivo para guerras

A humanidade poderá presenciar no terceiro milênio uma nova modalidade de guerra: a batalha pela água. Um relatório do Banco Mundial de 1995 já anunciava que as guerras do próximo século serão motivadas pela disputa de água, diferentemente dos conflitos do século XX, marcados por questões políticas ou pela disputa do petróleo. Uma prévia do que pode ocorrer num futuro próximo aconteceu em 1967, quando o controle da água desencadeou uma guerra no Oriente Médio.

Naquele ano, os árabes fizeram obras para desviar o curso do rio Jordão e de seus afluentes. Ele é considerado o principal rio da região, nasce ao sul do Líbano e banha Israel e Jordânia. Com a nova rota, Israel perderia boa parte de sua capacidade hídrica. O governo israelense ordenou o bombardeamento da obra, acirrando ainda mais a rivalidade com os países vizinhos.

“ÁGUA LIMPA PARA UM MUNDO SAUDÁVEL”, TEMA DO DIA MUNDIAL DA ÁGUA 2010

Por Diêgo Lôbo


Desde pequenos aprendemos que apesar de 2/3 de nosso Planeta serem constituídos de água, apenas 3% desse valor é de água doce; desse total 79% está congelado e 20% são águas subterrâneas, o que nos deixa com 1% de água doce superficial de fácil acesso. O Brasil possui 11,6% de toda a água doce mundial, além do maior Rio, o Amazonas, e o maior reservatório de água subterrânea do planeta – o Sistema Aqüífero Guarani.

Segundo informações da Organização das Nações Unidas – ONU, todos os dias 2 milhões de dejetos domésticos, industriais e de agricultura são despejados em lagos, rios e mares. No âmbito doméstico, o descarte sanitário incorreto é o maior responsável por essa poluição. Em todo o mundo, 2,5 bilhões de pessoas vivem sem condições sanitárias adequadas, o que causa mais mortes que todas as formas de violência, incluindo guerras. Em países como Índia milhares de crianças morrem todos os anos devido a doenças causadas por contaminação da água, como a diarréia, que é responsável por 15% de toda a mortalidade infantil do Planeta, segundo dados do Fundo das Nações Unidas para a Infância - UNICEF. Ainda há o problema de desperdício: as cidades desperdiçam em geral 50% de seus suprimentos de água devido a vazamentos em sua estrutura; a agricultura desperdiça 60% do recurso que utilizada (além de poluir aquíferos com os produtos químicos levados com a água da irrigação).

Outra questão que agrava esse problema é o crescimento populacional. Hoje somos quase 7 bilhões de pessoas. Alguns teóricos falam em 9 bilhões em 2050. Quais problemas serão agravados com esse crescimento desordenado? Muitos! Falta de comida, doenças, disputa de território e por aí vai… O que podemos fazer então? Sempre que vou fazer meus posts lembro de Harlan e seu ceticismo. Eu defendo que nós devemos fazer a nossa parte, pois o pequeno localizado pode torna-se o global unificado. Meu amigo falaria: “tá, muito bacana cada um fazer a sua parte, porém, no final, são o 1º e 2º segundo setores da economia os grandes responsáveis pelo problema ambiental mundial.” Nunca disse que discordava, mas acho que acredito um pouco mais nas pessoas que ele e aí que entra a nossa capacidade cooperação em prol de um bem comum. É aquilo: comprar de empresas que tenham uma postura ambiental, pressionar o Governo a fiscalizar e fazer a sua parte. Eu tento fazer, e se todos fizéssemos?

Devemos pensar importância da água para a nossa vida: ela está presente em todo ser vivo, é essencial ao desenvolvimento econômica e está ligada a toda atividade humana. Ainda há pessoas que pensam na água como um recurso ilimitado, mas se pensarmos no seu ciclo e a forma como o homem tem interferido nesse processo, facilmente podemos perceber o risco que corremos ao desperdiçá-la.

A fim de chamar atenção à causa, a ONU criou em 22 de Março de 1992 o Dia Mundial da Água. Nesse dia, todos os anos, o Planeta discute as ações dos outros 364 dias, de como temos poluído, da irresponsabilidade de Governos e empresas e, principalmente, do futuro. Segundo o Art. 5º da Declaração Universal dos Direitos da Água:

“A água não é somente uma herança dos nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo aos nossos sucessores. Sua proteção constitui uma necessidade vital, assim como uma obrigação moral do homem para com as gerações presentes e futuras.”

Isso só impacta a mim? As vezes acho que sim.

Antes que a água se torne o próximo Ouro Negro, literalmente, acho que ainda podemos tentar algo. Sim, tentar, pois do jeito que as pessoas se importam o mais próximo que meus netos conhecerão de Meio Ambiente será através de Avatar 4D.

AGENDA ANUAL

O Dia Mundial da Água (22/3) coloca em pauta, todos os anos, uma discussão diferente. Veja abaixo o que já foi tratado mundialmente:

2010 - Água limpa para um Mundo Saudável
2009 – Águas transformadas
2008 - Saneamento
2007 - Escassez de água
2006 - Água e Cultura
2005 - Água para a Vida (2005-2015)
2004 - A Água e os Desastres
2003 - Água para o Futuro
2002 - Água para o Desenvolvimento
2001 - Água para a Saúde
2000 - Água para o Século XXI
1999 - Todos vivem rio abaixo
1998 - Água subterrânea: o recurso invisível
1997 - Águas do Mundo: há suficiente?
1996 - Água para cidades sedentas
1995 - Mulheres e Água
1994 - Cuidar de nossos recursos hídricos é função de cada um

POESIA: DIA MUNDIAL DA ÁGUA
Frei Marcos Antônio de Andrade, Agudos-SP

"'Louvado sejas, meu Senhor, pela
irmã Água, que é mui útil e humilde e preciosa e casta'.

A água, que é o berço da vida e
elemento indispensável a toda espécie de vida,
está sendo agredida com as mais diversas
formas de poluição.

A morte da água é a morte de toda a espécie
de vida no planeta Terra.

E a cada dia observamos isso acontecendo
com as derrubadas da cobertura florestal
fazendo secar as fontes dos rios e
riachos, a poluição das águas de diversas
formas, os aterros nos manguezais, o lixo
jogado nos rios e mares que comprometem
o bem mais precioso para nossa
sobrevivência.

Mais grave ainda é a perda da consciência
de que somos parte do planeta.

Estamos perdendo o sentimento
do Sagrado face ao cosmos
e a cada um dos seres humanos."

http://www.sonhofeliz.ezdir.net

22/03: Dia Mundial da Água

A água é, provavelmente o único recurso natural que tem a ver com todos os aspectos da civilização humana
Por Margi Moss (Brasil das Águas)



Água é fonte da vida. Não importa quem somos, o que fazemos, onde vivemos, nós dependemos dela para viver. No entanto, por maior que seja a importância da água, as pessoas continuam poluindo os rios e suas nascentes, esquecendo o quanto ela é essencial para nossas vidas.

A água é, provavelmente o único recurso natural que tem a ver com todos os aspectos da civilização humana, desde o desenvolvimento agrícola e industrial aos valores culturais e religiosos arraigados na sociedade.

É um recurso natural essencial, seja como componente bioquímico de seres vivos, como meio de vida de várias espécies vegetais e animais, como elemento representativo de valores sociais e culturais e até como fator de produção de vários bens de consumo final e intermediário.

Segundo estatísticas, 70% do planeta é constituído de água, sendo que somente 3% são de água doce e, desse total, 98% está de água subterrânea. Isto quer dizer que a maior parte da água disponível e própria para consumo é mínima perto da quantidade total de água existente na nossa Terra.

Nas sociedades modernas, a busca do conforto implica necessariamente em um aumento considerável das necessidades diárias de água.

Os recursos hídricos têm profunda importância no desenvolvimento de diversas atividades econômicas. Em relação à produção agrícola, a água pode representar até 90% da composição física das plantas. A falta d'água em períodos de crescimento dos vegetais pode destruir lavouras e até ecossistemas devidamente implantados.

Na indústria, para se obter diversos produtos, as quantidades de água necessárias são muitas vezes superiores ao volume produzido.

Observando os dados abaixo, percebemos que precisamos começar a utilizar a água de forma prudente e racional, evitando o desperdício e a poluição, pois:

- Um sexto da população mundial, mais de um bilhão de pessoas, não têm acesso a água potável;

- 40% dos habitantes do planeta (2.400 milhões) não têm acesso a serviços de saneamento básico;

- Cerca de 6 mil crianças morrem diariamente devido a doenças ligadas à água insalubre e a um saneamento e higiene deficientes;

- Segundo a ONU, até 2025, se os atuais padrões de consumo se mantiverem, duas em cada três pessoas no mundo vão sofrer escassez moderada ou grave de água.

:: A água no mundo

No dia 22 de março, é comemorado o dia mundial da água. Se hoje os países lutam por petróleo, não está longe o dia em que a água será devidamente reconhecida como o bem mais precioso da humanidade.

A Terra possui 1,4 milhões de quilômetros cúbicos de água, mas apenas 2,5% desse total é doce. Os rios, lagos e reservatórios de onde a humanidade retira o que consome só correspondem a 0,26% desse percentual. Daí a necessidade de preservação dos recursos hídricos. Em todo mundo, 10% da utilização da água vai para o abastecimento público, 23% para a indústria e 67% para a agricultura.

A água doce utilizada pelo homem vem das represas, rios, lagos, açudes, reservas subterrâneas e em certos casos do mar (após um processo chamado dessalinização). A água para o consumo é armazenada em reservatórios de distribuição e depois enviada para grandes tanques e caixas d'água de casas e edifícios. Após o uso, a água segue pela rede de captação de esgotos. Antes de voltar à natureza, ela deve ser novamente tratada, para evitar a contaminação de rios e reservatórios.

:: A água no Brasil

O Brasil é um país privilegiado no que diz respeito à quantidade de água. Tem a maior reserva de água doce da Terra, ou seja 12% do total mundial. Sua distribuição, porém, não é uniforme em todo o território nacional. A Amazônia, por exemplo, é uma região que detém a maior bacia fluvial do mundo. O volume d'água do rio Amazonas é o maior do globo, sendo considerado um rio essencial para o planeta. Ao mesmo tempo, é também uma das regiões menos habitadas do Brasil.

Em contrapartida, as maiores concentrações populacionais do país encontram-se nas capitais, distantes dos grandes rios brasileiros, como o Amazonas, o São Francisco e o Paraná. O maior problema de escassez ainda é no Nordeste, onde a falta d'água por longos períodos tem contribuído para o abandono das terras e para a migração aos centros urbanos como São Paulo e Rio de Janeiro, agravando ainda mais o problema da escassez de água nestas cidades.

Além disso, os rios e lagos brasileiros vêm sendo comprometidos pela queda de qualidade da água disponível para captação e tratamento. Na região amazônica e no Pantanal, por exemplo, rios como o Madeira, o Cuiabá e o Paraguai já apresentam contaminação pelo mercúrio, metal utilizado no garimpo clandestino, e pelo uso de agrotóxicos nos campos de lavoura. Nas grandes cidades, esse comprometimento da qualidade é causado por despejos de esgotos domésticos e industriais, além do uso dos rios como convenientes transportadores de lixo.

:: O gigante Rio São Francisco

Rio da integração nacional, o São Francisco, descoberto em 1502, tem esse título por ser o caminho de ligação do Sudeste e do Centro-Oeste com o Nordeste. Desde as suas nascentes, na Serra da Canastra, em Minas Gerais, até sua foz, na divisa de Sergipe e Alagoas, ele percorre 2.700 km. Ao longo desse percurso, que banha cinco Estados, o rio se divide em quatro trechos: o Alto São Francisco, que vai de suas cabeceiras até Pirapora, em Minas Gerais; o Médio, de Pirapora, onde começa o trecho navegável, até Remanso, na Bahia; o Submédio, de Remanso até Paulo Afonso, também na Bahia; e o Baixo, de Paulo Afonso até a foz.

O rio São Francisco recebe água de 168 afluentes, dos quais 99 são perenes, 90 estão na sua margem direita e 78 na esquerda. A produção de água de sua Bacia concentra-se nos cerrados do Brasil Central e em Minas Gerais e a grande variação do porte dos seus afluentes é consequência das diferenças climáticas entre as regiões drenadas. O Velho Chico – como carinhosamente o rio também é chamado – banha os Estados de Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Sergipe e Alagoas. Sua Bacia hidrográafica também envolve parte do Estado de Goiás e o Distrito Federal.

Os índices pluviais da Bacia do São Francisco variam entre sua nascente e sua foz. A poluviometria média vai de 1.900 milímetros na área da Serra da Canastra a 350 milímetros no semi-árido nordestino. Por sua vez, os índices relativos à evaporação mudam inversamente e crescem de acordo com a distância das nascentes: vão de 500 milímetros anuais, na cabeceira, a 2.200 milímetros anuais em Petrolina (PE).

Embora o maior volume de água do rio seja ofertado pelos cerrados do Brasil Central e pelo Estado de Minas Gerais, é a represa de Sobradinho que garante a regularidade de vazão do São Francisco, mesmo durante a estação seca, de maio a outubro. Essa barragem, que é citada como o pulmão do rio, foi planejada para garantir o fluxo de água regular e contínuo à geração de energia elétrica da cascata de usinas operadas pela Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) – Paulo Afonso, Itaparica, Moxotó, Xingó e Sobradinho. É é assim que ela opera.

Depois de movimentarem os gigantescos geradores daquelas cinco hidrelétricas, as águas do São Francisco correm para o mar. Atualmente, 95% do volume médio liberado pela barragem de Sobradinho – 1.850 metros cúbicos por segundo – são despejados na foz e apenas 5% são consumidos no Vale. Nos anos chuvosos, a vazão de Sobradinho chega a ultrapassar 15 mil metros cúbicos por segundo, e todo esse excedente também vai para o mar.

A irrigação no Vale do São Francisco, especialmente no semi-árido, é uma atividade social e econômica dinâmica, geradora de emprego e renda na região e de divisas para o País – suas frutas são exportadas para os EUA e Europa. A área irrigada poderá ser expandida para até 800 mil hectares, nos próximos anos, o que será possível pela participação crescente da iniciativa privada.

O Programa de Revitalização do São Francisco, cujas ações já se iniciaram, contempla, no curto prazo, a melhoria da navegação no rio, providência que permitirá a otimização do transporte de grãos (soja, algodão e milho, essencialmente) do Oeste da Bahia para o porto de Juazeiro (BA) e daí, por ferrovia, para os principais portos nordestinos.

Mais informações acesse:

http://www.integracao.gov.br/saofrancisco/rima/index.asp
http://www.cbhsaofrancisco.org.br
http://www.mma.gov.br
http://www.brasildasaguas.com.br

21 de mar de 2010

27 DE MARÇO DE 2010: MAIS UM DIA PARA FICAR NA HISTÓRIA


No sábado, 27 de março, entre 20h30 e 21h30 (hora de Brasília), o Brasil participa oficialmente da Hora do Planeta. Das moradias mais simples aos maiores monumentos, as luzes serão apagadas por uma hora, para mostrar aos líderes mundiais nossa preocupação com o aquecimento global.

A Hora do Planeta começou em 2007, apenas em Sidney, na Austrália. Em 2008, 371 cidades participaram. No ano passado, quando o Brasil participou pela primeira vez, o movimento superou todas as expectativas. Centenas de milhões de pessoas em mais de 4 mil cidades de 88 países apagaram as luzes. Monumentos e locais simbólicos, como a Torre Eiffel, o Coliseu e a Times Square, além do Cristo Redentor, o Congresso Nacional e outros ficaram uma hora no escuro. Além disso, artistas, atletas e apresentadores famosos ajudaram voluntariamente na campanha de mobilização. Clique aqui e veja a lista de quem já aderiu.

Em 2010, com a sua participação, vamos fazer uma Hora do Planeta ainda mais fantástica!

Como você deve participar?

Existem diversas formas de participação. A primeira delas é se cadastrar. Clique aqui e informe os dados necessários. É bem rápido. O cadastro dos participantes é a principal maneira que temos de avaliar quantas pessoas apagaram as luzes. Os participantes brasileiros serão somados com os de outros países, formando uma grande corrente pelo futuro do planeta. Os nomes das empresas cadastradas vão aparecer na página Quem Já aderiu. Clique aqui e veja a lista de quem já aderiu.

O próximo passo é espalhar a mensagem da Hora do Planeta para o maior número possível de pessoas. Convide familiares, amigos, colegas e membros da sua comunidade para participarem também.

Se você utiliza as mídias sociais, como Orkut, Twitter, Youtube e Facebook, use essas ferramentas para falar com os seus amigos. Publique as notícias sobre a Hora do Planeta produzidas pelo WWF-Brasil. Dê o link para vídeos e fotos sobre o movimento postados na internet.

Saiba o que acontece no mundo inteiro na Hora do Planeta. Clique aqui ou acesse www.earthhour.org.

20 de mar de 2010

Hora do Planeta nos quatro cantos do Brasil


Iracema, a virgem dos lábios de mel, foi imortalizada nos versos do escritor José de Alencar e se tornou símbolo da cidade de Fortaleza. Agora, também será símbolo da Hora do Planeta. A estátua de Iracema, na lagoa de Messejana, na capital do Ceará, será um dos ícones a serem apagados no dia 27 de março, às 20h30.  Isso porque, a cidade de Fortaleza aderiu ao movimento global que, agora, estará bem representado em todas as regiões do país.

A cidade, que foi a primeira no nordeste a anunciar sua participação na Hora do Planeta 2010, confirmou que irá desligar as luzes, além da estátua de Iracema, de mais cinco monumentos, entre eles o Arco da Praça Portugal, o monumento na Praça Regis Jucá, o Seminário da Prainha e a Coluna da Hora na Praça do Ferreira.

Vitória (ES) e Rio Branco (AC) também não vão ficar de fora. As capitais do Espírito Santo e Acre se juntaram às outras 2.124 cidades espalhadas em 115 países ao redor do mundo que irão desligar suas luzes para mostrar que se preocupam com o planeta. Em Vitória, a Ponte da Passagem, o Morro do Penedo e as torres de transmissão dos bairros Jesus de Nazareth e Maria Ortiz ficarão no escuro durante a Hora do Planeta. Já em Rio Branco, o local a ser apagado será o Horto Florestal, onde está sediada a secretaria municipal de meio ambiente da prefeitura.

Além das capitais, cidades em diversos estados do país estão apoiando o movimento. Até agora, a quase uma semana da grande noite, a Hora do Planeta 2010 no Brasil conta com a participação de 37 cidades, das quais 11 são capitais. O estado com o maior número de participações por enquanto é São Paulo, com 10 prefeituras engajadas, entre elas a capital, Barueri, Osasco, São José dos Campos, Pindamonhangaba e Taubaté que vai apagar sua estátua do Cristo Redentor.

Os últimos municípios confirmados são Quirinópolis, em Goiás; Poços de Caldas, em Minas Gerais; Viana, no Espírito Santo; Tibagi, no Paraná e Niterói, no Rio de Janeiro, que vai a apagar o Museu de Arte Contemporânea, desenhado pelo famoso arquiteto Oscar Niemeyer.  Além disso, o evento conta, até o momento, com a adesão de 1.089 empresas e 189 organizações, entre elas os patrocinadores oficiais do evento – a Coca-Cola Brasil, Walmart Brasil, o HSBC e a TIM – e a construtora Rossi, que também apoia o movimento.

“O movimento está crescendo muito a cada dia. Ainda resta uma semana para divulgar e mobilizar a sociedade a participar desse ato simbólico contra o aquecimento global e a favor da preservação dos ecossistemas, e tornar a Hora do Planeta 2010 ainda mais bonita que a do ano passado”, diz Regina Cavini, superintendente de Desenvolvimento Organizacional do WWF-Brasil, incentivando todos a se unirem ao mundo no dia 27 de março, às 20h30.

19 de mar de 2010

WWF-Brasil lançou para a Hora do Planeta 2010


O WWF-Brasil anunciou hoje, no Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, o lançamento da Hora do Planeta 2010, movimento mundial de alerta contra o aquecimento global. Em sua segunda edição no Brasil, o evento, conhecido globalmente como Earth Hour, ocorrerá em 27 de março, das 20h30 às 21h30, e terá o Rio de Janeiro como cidade-sede nacional.

Além do Cristo Redentor e da Praia de Copacabana, que tiveram suas luzes apagadas em 2009, a Prefeitura Rio do Janeiro também irá desligar os refletores do Arpoador e da Igreja Nossa Senhora da Penha, levando o evento para a Zona Norte da cidade. A Prefeitura também contatará o Exército para incluir o Monumento aos Mortos da Segunda Guerra Mundial, no Aterro do Flamengo, na lista dos ícones cariocas que participarão da Hora do Planeta. Além desses, também já estão confirmadas as participações do morro do Pão de Açúcar, da Fiocruz – Fundação Oswaldo Cruz - e do Jockey Club Brasileiro. Além de desligar monumentos da cidade, a prefeitura vai envolver a Secretaria Municipal de Educação, levando a mensagem da Hora do Planeta para mais de 800 mil crianças de cerca de mil escolas da rede municipal de ensino.

Com o patrocínio da Coca-Cola Brasil, do HSBC, da TIM e do Walmart Brasil, a Hora do Planeta, e pretende contar com a adesão de mais de 1 bilhão de pessoas em todo o mundo. Durante o lançamento, o Secretário Municipal de Conservação e Serviços Públicos do Rio de Janeiro, Carlos Roberto Osório, que representou o prefeito Eduardo Paes, anunciou quais monumentos cariocas serão apagados na noite da Hora do Planeta e transmitiu o entusiasmo do Prefeito com a escolha, por mais uma vez, do Rio como cidade-sede do evento no País. “O Rio vai se envolver tremendamente na Hora do Planeta. Queremos bater recordes e ser uma das cidades com mais adesões em todo o mundo; vamos dar um show”, adianta o secretário, acrescentando que o Rio tem como objetivo se firmar enquanto líder, para o País e para a América do Sul, na questão da sustentabilidade.

Para o País, a expectativa do WWF-Brasil é de aumentar o número de 113 cidades que aderiram à Hora do Planeta em 2009. Segundo Álvaro de Souza, presidente do Conselho Diretor do WWF-Brasil, “a intenção do ato simbólico de apagar as luzes ajuda a criar uma verdadeira onda de conscientização e mobilização da sociedade em relação ao aquecimento global. Só não vê as mudanças climáticas quem não quer. O planeta e o clima estão mudando, e por nossa culpa. Soluções sustentáveis a longo prazo devem ser tomadas e efetivamente implementadas. Isso é responsabilidade de todos”, alerta Álvaro de Souza.

O apoio do governo federal à Hora do Planeta foi confirmado por meio de depoimento em vídeo do Ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc. Segundo ele, a iniciativa faz parte do Plano de Mudanças Climáticas do Ministério. “Um simples gesto de desligar pode acender uma luz de alerta para o planeta”, disse o Ministro.

Na ocasião, o WWF-Brasil apresentou a campanha publicitária desenvolvida voluntariamente pela agência Leo Burnett, que consta do filme “Superpoderes”, peças impressas e spots de rádios. A veiculação da campanha será teve início nesta semana e em breve estará nos principais meios de comunicação de massa do País.

Além do presidente do Conselho Diretor do WWF-Brasil, Álvaro de Souza, do Secretário Municipal de Conservação e Serviços Públicos, Carlos Roberto Osório, e da Secretária-Geral do WWF-Brasil, Denise Hamú, também participaram da solenidade os representantes dos patrocinadores da Hora do Planeta no Brasil - Marco Simões, vice-presidente de comunicação e sustentabilidade da Coca-Cola Brasil; Mauricio Bacellar, diretor de Comunicação e Sustentabilidade da TIM; Fernando Moreira, CEO do HSBC Seguros (Brasil) S.A.; e Christianne Urioste, diretora de Sustentabilidade do Walmart Brasil –, que falaram sobre as ações que suas empresas desenvolverão para a Hora do Planeta (abaixo).

No Ano Internacional da Biodiversidade, o objetivo da Hora do Planeta no Brasil é conscientizar a sociedade sobre a importância da conservação e recuperação das matas, florestas e recursos hídricos nacionais como forma de proteção e adaptação contra as mudanças climáticas, bem como para reduzir emissões de gases do efeito estufa causadas pelo desmatamento.

Em 2009, milhões de brasileiros apagaram suas luzes e mostraram sua preocupação com o aquecimento global. No total, 113 cidades do País, incluindo 13 capitais, participaram da Hora do Planeta no ano passado. Ícones como o Cristo Redentor, a Ponte Estaiada, o Congresso Nacional e o Teatro Amazonas ficaram no escuro por sessenta minutos. No mundo, 4088 cidades de 88 países aderiram ao movimento na última edição.

A mobilização para o evento já começou, por meio do site www.horadoplaneta.org.br, onde cidadãos, empresas e organizações brasileiras podem fazer seu cadastro, deixar seu comentário e obter mais informações sobre o movimento. O WWF-Brasil também já está em contato com as principais capitais e cidades brasileiras para a realização do evento.

“A Hora do Planeta é um movimento de todos nós. Ela une cidades, empresas e indivíduos para demonstrar às lideranças mundiais - e, principalmente, para mostrar uns aos outros - que queremos uma solução contra o aquecimento global. É uma oportunidade única para nós, brasileiros, de nos unirmos com a comunidade global em uma única voz para combater as mudanças climáticas”, acrescenta Denise Hamú, secretária-geral do WWF-Brasil.

O lançamento mundial da Hora do Planeta 2010 ocorreu em Chengdu – primeira cidade da China a assumir o compromisso de apagar as luzes no dia 27 de março – e cidade natal da ursa panda Mei Lan, Embaixadora Mundial do movimento. Os pandas gigantes, símbolos da Rede WWF, habitam Chengdu há mais de 8 milhões de anos. O papel de Mei Lan como embaixadora poderá ser acompanhado pelos sites www.twitter.com/earthhour e www.earthhour.org.

Patrocinadores da Hora do Planeta no Brasil

Neste ano, o WWF-Brasil conseguiu o apoio de quatro grandes empresas como patrocinadores. Coca-Cola Brasil, HSBC, Tim e Walmart Brasil, se comprometeram com a promoção da Hora do Planeta, realizando eventos, campanhas de conscientização e ações de comunicação para diferentes públicos.

Coca-Cola Brasil - A sustentabilidade é um compromisso para Coca-Cola Brasil, refletindo na forma como a empresa e seus 16 fabricantes, além de Del Valle e Leão Junior, lidam com pessoas e com o meio ambiente. Como patrocinadora do maior movimento mundial de conscientização contra o Aquecimento Global, a Coca-Cola Brasil irá realizar o evento Nacional da Campanha Hora do Planeta 2010 na cidade do Rio de Janeiro. Ela reunirá parceiros, funcionários, políticos e personalidades para, juntos, apagarem as luzes por uma hora em prol de um mundo mais sustentável e consciente.

HSBC - O HSBC atua de maneira alinhada com os princípios da sustentabilidade em todos  os  86  países  em que se faz presente. Significa gerenciar seus negócios buscando perenidade e sucesso  financeiro em longo prazo, colaborando para o desenvolvimento social e econômico das comunidades onde está presente e para a conservação  do  Meio Ambiente. Para a Hora do Planeta, o HSBC pretende juntar esforços e a participação de colaboradores, fornecedores e clientes como forma de alertar as pessoas para a questão do aquecimento global.

TIM - A TIM decidiu ir além do patrocínio e colocou a sua infraestrutura de comunicação a serviço da Hora do Planeta. A empresa preparou uma campanha de mobilização com três ondas de mensagens de texto (SMS) convidando 14 milhões de seus clientes a aderirem ao movimento. Além disso, a operadora – que, no fim de 2009, foi listada pelo segundo ano consecutivo no Índice de Sustentabilidade Empresarial da Bolsa de Valores de São Paulo – também utilizará seu site e perfil no Twitter para mobilizar clientes, direcioná-los para o hotsite da Hora do Planeta e fazer a contagem regressiva para o Dia D.

Walmart Brasil - O Walmart Brasil vai apagar os letreiros, fachadas e áreas administrativas de suas 436 lojas no Brasil durante a Hora do Planeta. Além disso, vai reduzir a iluminação da área de venda das unidades em 30% e estimular que seus 80.000 funcionários apaguem as lâmpadas de suas residências no período. Para os clientes, a divulgação da Hora do Planeta será feita por meio das TVs e rádios das lojas físicas e de hotsite na loja virtual www.walmart.com.br.

TODAS AS NOTÍCIAS