30 de out de 2010

A Fraude do Homem na Lua - Parte I

Você acredita que o homem foi à Lua?

Começarei e terminarei este texto com a mesma pergunta acima. Após ter acesso aos diversos indícios de fraude que abordaremos aqui, será muito difícil que uma pessoa continue acreditando na versão oficial que relata a viagem do homem à Lua.
Quando vemos alguém dizendo que não acredita que o homem tenha ido à Lua, nossa primeira reação é a de rejeição, de menosprezo a alguém tão alienado que não acredita em coisa alguma que comprove tal proeza científica; não acredita nos relatos históricos, nos vídeos que foram filmados nem nas milhares de fotos comprovando tal acontecimento histórico que acabou mudando os rumos da humanidade.
Mas, após conhecer os diversos indícios de fraude coletados por diversos pesquisadores ao longo de 4 décadas, o sentimento que você poderá ter será o de ter feito papel de palhaço, de ter sido feito de trouxa juntamente com o restante da humanidade, que acredita em tudo que aparece na televisão sem contestar o que está sendo mostrado e o que é dito.
De acordo com a versão oficial, em horário mundial UTC, às 13 horas e 32 minutos de 16 de julho de 1969, os astronautas Neil Armstrong, Edwin 'Buzz' Aldrin e Michael Collins partiram na ponta do foguete Saturno V, de Cabo Canaveral na Flórida, Estados Unidos, tripulando a nave Apollo 11 composta pelo Módulo de Comando Columbia e pelo Módulo Lunar Eagle na presença de centenas de milhares de pessoas que, pelas estradas e campos ao redor do Centro Espacial Kennedy, assistiam ao lançamento do foguete.
A Missão Apollo 11 foi a quinta missão tripulada do Programa Apollo da NASA e teria sido a primeira a pousar na Lua. Após quatro dias de expedição, sob o olhar de milhões de telespectadores em todo o mundo, o Módulo Lunar teria tocado a superfície lunar e Neil Armstrong teria sido o primeiro homem a pisar na Lua em 20 de julho de 1969 dizendo a célebre frase "Este é um pequeno passo para um homem, mas um grande salto para a humanidade".
Armstrong e 'Buzz' Aldrin, que desceu em seguida, teriam caminhado no nosso satélite natural por duas horas antes de retornarem com segurança à Terra em mais quatro dias de viagem cumprindo a promessa do então presidente dos Estados Unidos, John Kennedy, que em 1962, disse que os Estados Unidos mandariam uma missão tripulada com segurança à Lua antes do final da década. Esta estória é muito bonita, repleta de heroísmo e superação. Mas, a verdade pode estar bem longe do que realmente aconteceu nessa missão em julho de 1969.
Para que possamos tirar a nossa própria conclusão sobre este grandioso fato histórico, iremos analisar várias fotos que teriam sido tiradas nas missões Apollo. E antes que alguém diga que estou fraudando as fotos deste site, estou colocando um link em cada foto para a sua original, diretamente no site da NASA, nos Estados Unidos. Portanto, basta clicar sobre cada foto para abrir a foto original da NASA ampliada no vídeo.
Você terá a oportunidade de ver uma série de indícios de que tudo que existe sobre a ida do homem à Lua pode não passar de uma grande fraude muito bem arquitetada, porém, repleta de erros, o que poderá levar várias pessoas a se perguntarem em como puderam ter sido tão ingênuas aceitando a versão oficial divulgada em todos os meios de comunicação sem contestar os fatos por tantos e tantos anos.
Vamos começar, então, uma viagem no tempo para que cada um de nós tire sua própria conclusão se a viagem do homem à Lua foi ou não A Fraude do Século, que originou o nome deste site.
Evitando qualquer processo judicial que poderia ocorrer contra a minha pessoa, declaro, desde já, que o conteúdo deste site pode não corresponder à realidade e expressa apenas as minhas idéias a respeito do assunto, idéias estas publicadas aqui preservando e colocando em uso o meu direito de liberdade de expressão garantido pelos artigos 5o e 200o da Constituição Brasileira.
Leia matéria completa | Clique aqui ...

28 de out de 2010

Livro sobre o Litoral Sergipano

No próximo dia 4 de novembro será lançado na Sociedade Semear (Rua Vila Cristina) o livro “Meio Ambiente, Território e Turismo no Litoral Sergipano”. O livro foi organizado por José Wellington Carvalho Vilar e Hélio Mário de Aracaju. Segundo os organizadores o livro é uma contribuição ao debate sobre o (Des)Ordenamento Territorial dos cenários ambientais existentes no Litoral do Estado de Sergipe. A ocupação territorial e turística do litoral sergipano vem transformando as paisagens naturais com a inserção de novos objetos geográficos provocando impactos positivos e negativos que precisam ser bem avaliados na perspectiva do uso sustentável desse espaço entre a terra e o mar.
Os organizadores do livro entendem que atualmente, a construção das mais variadas infra-estruturas de transporte e comunicação no litoral sergipano evidencia uma nova lógica de estruturação do território com protagonismo para três vetores de ocupação do espaço geográfico: a indústria, a urbanização e o turismo. Ademais, a valorização social das praias e dos ambientes costeiros tem acentuado a ocupação e aumentado a especulação imobiliária, ampliando assim a complexidade territorial desse espaço multidimensional, ambientalmente frágil e socialmente atrativo. O livro tem o prefácio da doutora, geógrafa e professora da UFBA, Teresa Cardoso da Silva.

27 de out de 2010

EDITORIAL: Intervenção na Educação de Pirambu

Professores decidem permanecer em greve, pois o prefeito Zé Nilton não está disposto a dialogar com a categoria e promove o caos absoluto na educação
Por Claudomir Tavares * | claudomir@agenda21.com.br
Provando os prognósticos anunciados em 2008, quando a sociedade pirambuense foi alertada dos métodos udenistas do então candidato a prefeito José Nilton, PMDB (foto 1), investido no cargo de chefe do executivo municipal ele se notabiliza como o mais autoritário, antidemocrático ao longo de seus 47 anos de história política. Não dialoga com servidores (professores, salva-vidas e agentes comunitários de saúde), promove um verdadeiro trem da alegria ao inchar a máquina pública com um exército de cargos comissionados, troca de favores antes condenados pelo crítico dos que lhes antecederam.
Além disso, o prefeito que encerra seu mandato exatamente no dia 31 de dezembro de 2012, quando encerra definitivamente sua desastrosa experiência político-administrativa, tem desrespeitado continuamente o Ministério Público e o Poder Judiciário, não cumprindo quaosquer que sejam os acordos, TAC’s e outros encaminhamentos oriundos daquele poder. Isso tem gerado um constrangimento e um mal está entre os poderes, contando ainda com a maioria de uma câmara municipal de maioria subserviente, uma tragédia completa que tem deixado a sociedade ansiosa por mudanças profundas.
Neste meio, padecem professores, pais de alunos e estudantes da rede municipal, que de uma escola pública outrora fruto de cobiça (pela qualidade de seus professores, salários animadores e prédios atrativos), vê sua política educacional (dele  e da secretária Maria de Lourdes Cardoso Gouveia - foto 2) crescer como rabo de cavalo, inclusive com atribuição de NOTA ZERO a mais baixa de todos os tempos tanto no Brasil, e possivelmente uma das menores do Universo em 5 bilhões de anos desde a formação da Terra quando do Big Bang (que a originou).
Em greve desde o dia 1º de setembro, a partir de uma deliberação da assembléia geral dos educadores realizada em 27 de setembro, os professores reivindicam o reajuste do Piso Salarial Profissional Nacional, que passou de R$ 950,00 para R$ 1.024,67. É lei e o prefeito de Pirambu, ao não cumprir, está fora da lei, conforme argumentam os líderes sindicais do SINTESE em Pirambu. Não foram recebidos pelo prefeito que tem se mostrado pouco afeito ao diálogo.
A categoria, que tem neste movimento uma adesão de 90% dos colegas (alguns que estão trabalhando esclareceram os motivos – ainda que injustificáveis – logo respeitados pelos demais). A população, ainda que reticente diante do caos absoluto que é esta administração, tem apoiado e participado das manifestações, como as ocorridas em 14/10 (em frente a sede da secretaria de Educação), 15/10 na Feira de Pirambu, 19/10 (na marcha até a Prefeitura, indo ao Fórum, onde se reuniram com o promotor de Justiça Nilzir Soares Vieira Júnior) e no mesmo dia participando da  Sessão da Câmara de Vereadores, onde se encontravam além do prefeito, a deputada estadual Ana Lúcia Menezes, PT (foto 3) que intercedeu pela categoria.
Na manhã de ontem, 26/10, depois de reunir-se com o promotor e ouvir deste uma negativa quanto a possivelmente a tentativa de intermediar um diálogo com a administração, os professores reuniram-se em assembléia geral no Clubinho da Tartaruga quando por unanimidade decidiram permanecer em greve e já se mobilizam para uma manifestação a ser realizada na próxima quarta-feira, 03/11. O prefeito que já pediu a ilegalidade da greve (mas o fez na instância legalmente incompetente para tal, o  que mostra despreparo de sua equipe) terá que provar que não parte dele a falta de diálogo para negociação (o que é cada vez menos provável).
O prefeito de Pirambu alega a indisponibilidade de recursos, para reajustar o Piso Salarial dos professores, o que é além de uma mentira, um ato de tamanha irresponsabilidade: ele usa os recursos do Fundeb (Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica) para farra com comissionados, conforma pode ser constatado em uma folha secundária (seria aí o ralo?) que este insiste em guardar a sete chaves (ei, Nilton, cadê a transparência esbravejada em campanha, mostre agora). Não é falta de recursos o problema de Pirambu. Dinheiro tem, e nós sabemos. Pirambu é um município auto-sustentável, o problema é de gestão (ou falta dela) e falta de vontade política desta administração de comprovado caráter antidemocrático, reacionário, que tem contribuído para diminuir a qualidade de vida do sofrido povo de Pirambu que “ainda terá que aturar esta turma mamando por mais  de dois anos”, manifestou-se indignada uma mãe de aluno.
Pirambu recebe governo federal recursos do Fundeb (salários de 120 professores), PDE (dinheiro para manter as nove escolas funcionando – o que mostra um índice degradante aferido pelo INEP), do PNAE (alimentação escolar), PNAT (transporte escolar), entre outros. Além disso, Pirambu ainda recebe recursos para manter o Ensino Médio, mesmo sem ofertar esta modalidade de ensino desde 2009, quando este foi transferido do Mário Trindade Cruz para o José Amaral Lemos (rede estadual). O transporte é falho, a merenda é de qualidade duvidosa, nas escolas temos problemas de gestão, hidráulico, elétrico, falta de carteiras, material didático, entre outros serviços essenciais para que as aulas aconteçam normalmente.
Seria prudente uma Intervenção na Educação de Pirambu, destituindo os gestores (em todos os níveis) que tem promovido sua destruição, chamando-os a responsabilidade civil e criminalmente pelos irreparáveis, progressivos e fatais que tem provocado destroços a vida pirambuense.
* Professor concursado das redes municipal e estadual, perseguido pela atual administração e cidadão pirambuense.

26 de out de 2010

Colégio Atheneu comemora 140 anos

Alunos e professores do Colégio Estadual Atheneu Sergipense comemoraram na manhã desta segunda-feira, 25, os 140 anos de existência da escola. Um dos mais tradicionais colégios do estado, o Atheneu, foi fundado em 24 de outubro de 1870, sendo o primeiro estabelecimento de ensino de Sergipe. O evento contou com a participação do vice-governador e secretário de Estado da Educação, Belivaldo Chagas, além de ex-alunos que foram homenageados.
“Os que fazem o Atheneu de hoje devem seguir o exemplo dos ex-alunos que foram homenageados, porque esta escola é um símbolo de sucesso e orgulho para todos os sergipanos”, disse o secretário. A comemoração foi feita na quadra de esportes da unidade de ensino, onde foi realizada uma missa de ação de graças, celebrada pelo padre Farias. O diretor do Colégio Atheneu, Genaldo Freitas de Lima, falou sobre a importância da escola para a história de Sergipe. “São 140 anos de formação da sociedade sergipana. Os grandes nomes ilustres de Sergipe passaram por aqui, e isso mostra que o Atheneu faz parte da história”, afirmou.
Satisfação
Os alunos mostraram bastante satisfação em fazer parte dessa comemoração. “Gosto daqui porque o Atheneu é um colégio histórico, o melhor de Sergipe. E é um dos que mais aprovam no vestibular”, disse Mirian Angélica de Oliveira Silva, 16, aluna do 1º ano. “Aqui temos a oportunidade de passar o dia todo na escola tendo estudos avançados. É uma grande felicidade poder homenagear a todos que fazem parte do Atheneu”, afirmou o aluno Jorgeval Monteiro Souza, 16.
Já a aluna Helen Luci Bezerra, 13, ressaltou a preparação que o Atheneu oferece aos alunos. “Aqui a escola nos prepara bastante para o vestibular e incentiva os alunos a se dedicarem mais aos estudos para terem um futuro melhor”, disse. Marques Fernandes de Sá Lima, 16, aluno do 1º ano, disse que para ele é uma honra estudar no Atheneu e fazer parte dessa história.
Cidadania
Um dos pontos ressaltados pelos professores é a formação do aluno para a cidadania. “O Atheneu comemora 140 anos de história e cultura, ensinando os alunos a serem cidadãos de bem e preparados para a vida”, disse o professor de geografia João Carlos Costa. A mesma opinião foi compartilhada com a professora de química Patrícia Soares de Lima. “É um momento ímpar, em que o Atheneu mostra a sua história, provando que é uma escola de alto padrão desde o seu início até hoje, formando verdadeiros cidadãos”, afirmou.
Homenagens
Durante a comemoração, os estudantes fizeram uma emocionante homenagem à aluna Carla Manuele Guedes, que faleceu no mês de setembro. Logo em seguida, foi realizada uma entrega de placas para 18 homenageados, entre alunos, ex-alunos, funcionários e professores do Colégio Atheneu Sergipense. Pela tarde haverá um almoço e também apresentações artísticas dos alunos.
Fonte: SEED/SE - Em: 25/10/2010

24 de out de 2010

Professores de Pirambu vão ao Ministério Público ...

... e em seguida reúnem-se no Clubinho da Tartaruga
Em greve desde o dia 1º de Outubro, professores vão nesta semana para 25 dias de paralisação (desconsiderados os dias feriados e interrupções para o período eleitoral) contra a falta de reajuste do Piso Salarial de R$ 950,00 para R$ 1.024,67, conforme determinação da Lei Federal Nº 11.738, de 16/7/2008 que o instituiu e propõe reajuste anual (o prefeito se prepare que deverá pagar não só o reajuste de janeiro de 2010 como o que se aproxima em janeiro de 2011).
A greve por tempo indeterminada foi deflagrada no dia 27 de setembro, em função do prefeito José Nilton de Souza ter encerrado as negociações alegando que o município não poderia atender ao pleito do magistério público municipal (mas pode pagar o exército de comissionados que engordam mensalmente e incha a folha de pagamento). A responsabilidade pela paralisação e as conseqüências deste ato deve ser absolutamente e exclusivamente imputada ao prefeito municipal que tem passou de um alvissareiro para um inibidor do diálogo, que nunca foi prática da atual administração.  
Depois de cumprir uma agenda de mobilização e diálogo com a sociedade (ato em frente a Secretaria de Educação – 14/11, na Feira de Pirambu – 15/11, em frente a Prefeitura, Audiência no Ministério Público e participação da Sessão da Câmara de Vereadores – 19/11, a agenda de luta dos educadores municipais incluem nesta terça-feira uma audiência a partir das 08 horas no Ministério Público, que está encaminhando uma mediação do impasse, seguido de Assembléia Geral a ser realizado no Clubinho da Tartaruga, a partir das 10:30 horas.

Recursos hídricos do Leste Sergipano

A hidrografia do leste sergipano tem como principal bacia de drenagem o Rio Japaratuba e seus afluentes sendo os principais o Rio Siriri e o Japaratuba Mirim. O rio principal nasce na Serra da Boa Vista em Graco Cardoso e desemboca no oceano atlântico, numa drenagem exorréica entre os municípios de Pirambu e Barra dos Coqueiros (FIGURA 06).
FIGURA 06 – Exutório do Rio Japaratuba entre os municípios de Pirambu (à esquerda) e a Ilha de Santa Luzia no município de Barra dos Coqueiros (à direita). (Foto de Samara Santos Ferraz, 2010).
À proporção que o rio desenvolve-se para a jusante, os tributários manifestam a perenidade, pois nessa região há uma maior quantidade de chuva e também pelo caráter litológico presente, embasamento cristalino e bacia sedimentar. A inundação ocorrente neste rio e nos tributários deve-se aos solos impermeáveis e com a topografia plana. O que também vem provocando essas inundações são os desmatamentos, devido à utilização agrícola e atividades industriais. No baixo curso dos afluentes a bacia apresenta locais de exploração de petróleo, gás e potássio. O abastecimento público da região é feito principalmente pelos aqüíferos ressaltando, o aquífero quaternário.

Condições de tempo e clima do Leste Sergipano

(Ecilene Meneses Lucas; Samara Santos Ferraz; Thiagony Hellen de Jesus Santana Vieira; Valdenice Oliveira Alves)
As massas de ar ao se deslocarem provocam mudanças de tempo, e são originadas nas regiões onde o ar apresenta as mesmas características de temperatura, pressão e umidade. Estas podem ser classificadas, como massas tropicais continentais, massas tropicais marítimas, massas polares continentais e massas polares marítimas. Os tipos climáticos no mundo são visíveis através das massas de ar atuantes num determinado local junto com as temperaturas do ar e os índices pluviométricos. Os tipos climáticos presentes são: “Equatorial, tropical, subtropical, desértico, semiárido, mediterrâneo, temperado, frio, polar e frio de montanha” (KOPPEN, apud SANTOS, 2009).
O Brasil situado quase totalmente na zona tropical é representado com tipos climáticos que diferem de uma região para outra, no qual podem ser encontrados o “clima equatorial úmido e equatorial semiúmido (controlados pela ZCIT), clima semiárido (célula de alta pressão sobre a região dificulta a entrada de massas estas sendo dissipadas pela divergência anticiclônica sobre a região), clima tropical de altitude (a altitude acima de 1000m determinam condições especiais de clima) e clima subtropical (domínio de massa polar atlântica e dos sistemas atmosféricos extratropicais)” (ROSS, 2009). No nordeste do Brasil a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), atua de forma preponderante com a presença dos alísios tanto de sudeste como de nordeste originados no hemisfério norte e hemisfério sul. O deslocamento da ZCIT interfere na circulação oceânica e nas correntes costeiras. O Estado de Sergipe, situado no nordeste brasileiro na parte oriental, apresenta como característica climática a atuação anual do “anticiclone semifixo do Atlântico Sul que dá origem as massas de ar Tropical Atlântica e Equatorial Atlântica. Defini-se para Sergipe, três zonas climáticas pelos índices de umidade e temperatura: Litoral úmido, agreste e o Semiárido” (FONTES, 2010).
No território do leste sergipano as chuvas se distribuem durante todo o ano, concentrando-se de março a julho, havendo somente de um a três meses secos, com os totais anuais oscilando entre 1.000 e 1.400 mm anuais. A temperatura se mantém elevada, em torno dos 25° c, e pouco varia ao longo dos meses, pela proximidade do oceano. Os efeitos das secas são pouco observados por se tratar de uma região de rios perenes e chuvas freqüentes, embora seja a parte que menos chove em toda a costa oriental do nordeste brasileiro. “o clima semiúmido com distribuição das chuvas nos meses de março a julho e temperaturas médias em torno de 25°” (SEPLAN, 2008).
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
¹ FRANÇA, Vera Lúcia Alves et al. Atlas escolar Sergipe: espaço geo-histórico e cultural. João Pessoa, PB: Editora Grafset, 2007.
² FONTES, Aracy Losano. Clima e cobertura vegetal. Aracaju: Material didático elaborado para a disciplina de Geografia Regional do Curso de Geografia - UNIT, 2010.
³ ROSS, Jurandyr L. Sanches (org.). Geografia do Brasil. 6. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2009.
4 SEPLAN. Plano de desenvolvimento do território – Leste Sergipano. Secretaria de Estado do Planejamento de Sergipe, 2008.

23 de out de 2010

Jango pode disputar prefeitura de Japaratuba

João Batista Almeida tem uma trajetória de luta irretocável
O professor de Geografia João Batista Almeida, o Jango (na foto, em pé), efetivo das redes estadual e municipal em Japaratuba poderá confirmar em breve suas pretensões de candidatura a prefeitura de cidade. Seu nome é defendido por integrantes dos partidos de esquerda (PCB e PSOL) e estará em discussão na reunião que este grupo fará no próximo dia 30 de Outubro naquela cidade.

Definida data do XX Culturarte

O Projeto Tamar, através da sua coordenação de Educação Ambiental, definiu a data de realização do 20º Culturarte – Encontro de Cultura e Arte de Pirambu. Segundo Jó Souza, do Clubinho da Tartaruga, onde ocorrerão as apresentações culturais de espaço fechado, “o Culturarte acontece nos dias 19, 20 e 21 de Novembro e a programação será anunciada na próxima quarta-feira, 27 de Outubro”, informou.
“A idéia inicial era realizar no final de semana prolongado que se encerraria em 15 de Novembro, data do quinto aniversário das atuais instalações do Clubinho, mas em função da agenda da consultora que está organizando o Culturarte, ele teve que ser programado para outra data”, acrescentou.
Jó disse que “as oficinas acontecem nas escolas e contatos serão mantidos com a professora Tereza Cariri, diretora do Amaral Lemos, no sentido de envolver os estudantes daquela instituição”, completou.

22 de out de 2010

Professores de Pirambu permanecem em greve

Os professores de Brejo Grande, Pirambu, Aquidabã e Itabaianinha continuam em greve. Os motivos para interrupção das atividades são semelhantes: melhores condições de trabalho e Piso Salarial.
Os professores de Pirambu aguardam que a administração municipal faça a atualização do valor do piso. Desde o início do ano que há tentativas de negociação por parte dos educadores, mas a resposta do prefeito José Nilton de Souza é que não há recursos, mas a comissão de negociação do SINTESE quando teve acesso às folhas de pagamento o sindicato percebeu que há condições de fazer a revisão do piso, basta que a administração corrija as irregularidades.
“Em todos os municípios onde os professores estão em greve há condição de pagar o piso o que falta é vontade política dos administradores”, finaliza Lúcia.
Fonte: SINTESE - Em: 20/10/2010

19 de out de 2010

UMA DECEPÇÃO: É assim que se pode avaliar o desempenho do prefeito José Nilton em Pirambu

ma decepção. É assim que se pode avaliar o desempenho do prefeito José Nilton em Pirambu, um dos poucos municípios onde Déda teve menos voto que João Alves. E o detalhe é que lá, João não teve nenhuma liderança expressiva pedindo votos para ele, mesmo assim deu uma lavada no petista colocando quase 1.000 votos de frente. Até mesmo Conceição Vieira, que tinha o apoio do prefeito, acabou sendo atingida negativamente. Em Pirambu, ela ficou somente com a quarta colocação, atrás de Adelson Barreto, Zeca e Garibalde Mendonça.

As urnas mostraram também que o ex-prefeito e candidato eleito a deputado federal André Moura tem forte influência no eleitorado do município do litoral norte. Ele obteve nada menos que 47,28% dos votos válidos. Ou seja, quase metade dos eleitores votou em André para federal. O segundo colocado, Valadares Filho, ficou somente com 8,56%. Para muitos, esse resultado já é uma prévia de que a família Moura, através de André, vem com tudo para recuperar a gestão municipal, abalada após as denúncias do ex-prefeito Juarez dos Santos. Fonte: Jornal da Cidade - Em: 17/10/2010

18 de out de 2010

Professores promovem ato público em Pirambu

Amanhã, 19/10, estaremos mais uma vez nas ruas de Pirambu para manifestar nossa insatisfação com a postura demonstrada pelo gestor desta cidade. Não consigo entender como um prefeito deixa sua cidade "entregue às baratas". A população de Pirambu precisa se manifestar e dar um basta nessa situação, ensinar a este administrador e demais representantes desta gestão que não estão alheios ao que vem acontecendo.
É justamente por isso que convido os pais dos meus alunos para participarem amanhã do nosso Ato. Queremos merenda escolar de qualidade e não uma goiaba de lanche, queremos carteiras p nossos alunos sentarem, queremos a sala de recursos funcionando p dar assistência às crianças com dificuldades especiais, queremos nossa laboratório de mídia funcionando, queremos os banheiros aptos para serem usados, queremos o refeitório higienizado e não apresentando cheiro de fossa, queremos a biblioteca funcionando, queremos só melhorias para nossas escolas e consequentemente a dignidade de trabalharmos com estímulo, com harmonia,pois é assim que a educação tem que caminhar...
Dia do Professor e a falta de compromisso de Zé Nilton

Dia do PROFESSOR... Os professores de Pirambu não tiveram sequer o gosto de comemorar o seu DIA porque o gestor do município é tão atuante que não se incomoda em vê-los nas ruas pedindo para que este prefeito coloque a mão na consciência e veja o caos em que se encontra sua cidade... Prefeito somos profissionais qualificados, temos responsabilidade e queremos voltar para as nossas salas de aula, porém precisamos que VOCÊ tome as rédeas da situação e negocie conosco, nós não estamos pedindo mas sim reivindicando o que é de direito nosso. lembre-se : você é quem tem que servir ao povo e não usá-los para se servir.

Por Veralucia Santana (veralucia.santana@hotmail.com), delegada sindical de base (SINTESE)

DAYSE ROCHA: Um ano se passou

Meus Queridos e Grandes Amigos,
Do Sul, do Norte,Do Nordeste, Do MUNDO.................
Exatamente hoje dia 18 faz 01 ano que chegamos em Porto Alegre e fui recebida no Aeroporto pelos queridos Paulo e Ane, que sem comentários tem sido junto com Régis e sua família e Pedro e Tiago grandes amigos, companheiros de verdade com quem sei que posso contar;;;;como o outros que estão distantes mas que a presença é tão forte em minha vida que é como se estivessem ao meu lado.
Mandei esse email para os que são amigos verdadeiros , inabaláveis e que no momento que estava tomando a decisão desta mudança, me apoiaram, me informaram, me deram colo, atenção, fizeram despedidas calorosas,choraram, sorriram,cantaram e sempre me passaram energias positivas.
Bom só queria dizer que estamos muito bem, já praticamente adaptados ao clima, a comida, a cultura..GGK engordando e trabalhando no Ibge (gostanto muito), Carol estudando, já quase passada, fazendo curso de modelo e realizando oficina de dança com uma grande galera da comunidade, tá agitando a Vila de Itapuã. Fernando crescendo com as mudanças no mesmo dia de temperatura, criando resistência (rs)
Bom é isto espero está sempre com vcs
Beijo Grande
Aos me ajudaram no antes, durante, depois e os que continuam juntos
OBRIGADO DE CORAÇÃO
BEIJOS
segue uma foto da família, do lugar, alguns momentos para vcs amigos irmãos
Dayse Rocha
"Acima de tudo, procurem sempre sentir profundamente qualquer injustiça cometida contra qualquer pessoa em qualquer parte do mundo. É a mais bela qualidade de um revolucionário." Che Guevara"

16 de out de 2010

Professor usa literatura de cordel para ensinar português na Paraíba

Em uma das regiões mais pobres do país e com pouquíssimos recursos, o professor traz as explicações em forma de rimas.
Quinze de outubro é dia do professor. No alto sertão da Paraíba, o Jornal Nacional mostra a ideia que transformou o aprendizado da gramática em diversão.
Semântica, morfologia, sintaxe. Tem estudante que se arrepia só de pensar nesses assuntos: "É uma coisa complicada, são muitas regras que não se encaixam", diz o estudante Carlos Emanuel da Costa.
Numa das regiões mais secas e pobres do país, de cada quatro adultos, um é analfabeto, segundo o IBGE. Mas este cenário vem ganhando novas cores: um dos responsáveis pela mudança é o professor que descobriu na cultura regional uma maneira de chamar a atenção das crianças: “Hoje, o trabalho de casa é meio a meio e dividido. Para ajudar a mulher, homem não faz alarido”, recita.
No início, o objetivo do professor era ajudar os filhos nas lições de casa. Mas não demorou e o projeto chegou às salas de aula de escolas e cursinhos. A idéia fez tanto sucesso que virou livro: lições de gramática em versos de cordel.
Na escola que funciona de maneira quase improvisada, com pouquíssimos recursos, a aula de português é festejada. Quando surge uma dúvida, a explicação vem assim: “O emprego do trema: dos grupos gue, gui, que, qui, até que enfim caiu o trema! Do voto que é vendido, a consequência é o problema. Ante essa novidade, fique tranquilo: não trema", recita o professor.
"O cordel é como se fosse uma música. E é mais fácil de aprender", conta Carlos Emanuel.
"Uma cultura que é milenar, que está enraizada nesse povo. Surte um efeito imediato", diz o professor.
E assim, o medo da língua portuguesa dá lugar à curiosidade. "Mais dá ideia de soma, já o mas é diferente. Indica ideia adversa: dia bonito, mas quente", recita Janduhi Dantas.

15 de out de 2010

Diocese de Propriá completa 50 anos

No próximo sábado, dia 16, a Diocese de Propriá criada no Arcebispado de Dom José Vicente Távora completará 50 anos de Fundada. A sua criação se deu num dia de domingo, aos 16 dias de outubro do ano de 1960, por volta das 17h30, quando chegou à Diocese de Propriá seu primeiro Bispo, Dom José Brandão Castro. Foi um dia de muita festa! O Núncio Apostólico, Dom Armando Lombardi, em frente à Catedral de Propriá, foi quem, em nome do Papa João XXIII, oficializou a criação, instalação e a nomeação do seu primeiro bispo.
De acordo com o padre Isaias Nascimento, da Diocese de Propriá, ela ficou reconhecida ao longo da história de Sergipe e do Brasil por ter sido uma Igreja que, desde o seu primeiro Bispo, Dom José Brandão de Castro, assumiu a evangelização a partir da opção preferencial pelos pobres.
Marcaram a história da Igreja diocesana de Propriá que repercutiram pelo Brasil afora, o movimento em defesa dos posseiros do Betume (em Neópolis), dos posseiros da Fazenda Santana dos Frades (Pacatuba), dos posseiros de Mundéu da Onça (em Neópolis), da Ilha de São Pedro e da Caiçara do povo indígena Xokó (em Porto da Folha), dos sem-terra da Barra da Onça e Pedras Grandes (Poço Redondo), de Ilha do Ouro (em Porto da Folha), Monte Santo (em Gararu) e Morro das Chaves (em Propriá); a luta contra a transposição em defesa do Rio São Francisco e a defesa das comunidades quilombolas. Sem falarmos da atuação da Pastoral da Criança que vem prestando um serviço a mais de 14 mil crianças em toda a região do baixo São Francisco.

A arte que une gerações

Há quase cinco décadas uma família se reúne em frente a residência para fabricar esteiras, uma arte encontrada em um pequeno povoado do município de Pirambu
É na casa da dona Geralda que a família mantem a tradição (Fotos: Portal Infonet)
Há cerca de 8 km do município de Pirambu, as margens da estrada que dá acesso ao município de Japaratuba, mora uma família que transmite um verdadeiro legado de geração a geração. Aos 59 anos, a dona de casa Maria Geralda Santos, se orgulha de ter criado 16 filhos com muito trabalho. Nas palavras de Geralda ‘Sou o homem e a mulher da casa’, não resta dúvida de que essa artesã é quem manda na residência.
A equipe do Portal Infonet encontrou Geralda, como prefere ser chamada, se preparando para mais um dia de trabalho, uma rotina que começa logo nas primeiras horas da manhã e só acaba no final do dia. É na varanda da casa azul que Geralda mostra a sua verdadeira arte. A tecelagem de esteiras, além de terapia é fonte de renda para a família numerosa, composta de filhos, netos, noras e genros.
Dona Geralda trabalha com disposição e bom humor
Sorridente, falante e orgulhosa do trabalho, a artesã conta que fabricar esteiras não é uma arte fácil, começa com a escolha da palha que pode ser encontrada na beira de marés e rios, geralmente distantes da residência. “Para escolher a palha às vezes caminho mais de uma hora, o trabalho é duro, mas compensa porque é um meio de ganhar um dinheiro”, conta a artesã que luta para se aposentar.
Geralda Santos conta que frequentemente pega uma canoa e percorre vários quilômetros até outros municípios para procurar a palha conhecida como junco ou piripiri. “Após pegar o piripiri levamos para casa onde começa o processo de secagem”, detalha a artesã. Para secar completamente o piripiri são cerca de quatro dias no sol, um processo artesanal que dura pelo menos uma semana até a primeira
Ana Claúdia trabalha e cuida da pequena Fernanda de quatro meses
esteira ficar pronta.

“Depois de secar completamente, começa o trabalho de tecer a esteira, isso dura umas duas horas. Após tecer a gente volta a molhar novamente e espera secar por completo”, fala.
Geração unida
A mãe de 16 filhos e vários netos conta com a união da família para continuar o trabalho. Ao lado da netinha Fernanda de apenas quatro meses que descansa embalada com o som da tecelagem da esteira, Geralda lembra que o marido que atualmente mora em assentamento sem terra está longe. “Sou o homem e a mulher da casa, por isso, tenho que orientar todo mundo, todos têm que está unidos, principalmente porque moram juntos noras, genros e filhos”, diz.
A tecelagem faz parte da rotina da família
A nora fala do prazer de contribuir com a arte da família que se tornou um ganha pão. “Meu marido se vira como pode, trabalhando na roça, por isso, ajudo com esse trabalho, afinal agora temos a nossa filha”, fala Ana Claúdia Barbosa.
Encomendas
Para quem desejar encomendar as esteiras, dona Geralda dá uma dica e diz que o artesanato pode ser usado como encosto de cadeiras para varadas das casas, para levar a praia e ainda como tapete. “Nós vendemos por encomenda, quando alguém passa na porta de casa e compra uma vendemos a R$ 8, mas quando encomenda umas 10 dá para fazer até de R$ 6”, ressalta a artesão que trabalha em uma encomenda de esteiras
Uma arte que será ensinada para a nova geração 
para serem vendidas para turistas do Ceará.
Geralda lembra que as encomendas são feitas pessoalmente, por isso, se você ficou interessado poderá fazer uma visita à residência dessa bem humorada pirambuense.  
Por Kátia Susanna (Infonet)

Morador de rua cuida de 10 cães (Filho de DEUS Iluminado)

Rogério é um morador de rua que vive numa carroça coberta, com 10 cães, entre eles, alguns encontrados em condições extremas - espancados pelos antigos donos, jogados pela janela de um caminhão, doentes, abandonados e esfomeados, largados ao léu, amarrados em postes etc.
Vive de doações de ração, remédio e comida. Os cães são muito bem tratados, mas dependem do amor e do carinho que o Rogério tem por eles, e da caridade daqueles que o conhecem e admiram.
Ele fica próximo a pontos de ônibus na avenida Georges Corbusier, após a rua Jequitibás (região do Jabaquara, em São Paulo), os cães não atrapalham ninguém, são super-educados e simpáticos (todos castrados(as)) e passam boa parte do dia dentro da carroça.
Ele é muito querido pelos comerciantes da região, mas o problema é durante a madrugada, quando bêbados no volante, e garotos usuários de droga na região, tem sido uma constante ameaça. Rogério já foi espancado por jovens drogados e chegaram a jogar álcool nele enquanto dormia com os cães dentro da carroça, por sorte não tiveram tempo de acender o fósforo, pois um dos cães latiu e o avisou do perigo.
Ele é um exemplo de como uma pessoa pode se doar. Alguém na condição dele poderia ter escolhido outros caminhos, mas Rogério demonstrou coragem e decidiu perseverar. Além de ser uma pessoa de muito valor, faz caridade prá deixar muito bacana por aí no chinelo. Sua presença ilumina os lugares por onde passa, mas ele já está cansado e também não é mais tão jovem assim.
São muitas as agressões que ele e os cachorros vêm sofrendo, e que vão desde assalto e espancamento, até atentados contra a vida como esfaqueamento e atropelamento. Enfim, é muito sofrimento para alguém que luta tanto. Na região todos o conhecem e apreciam, tanto que na última vez que uma turma veio bater nele porque queriam roubar suas coisas, o dono de um bar próximo saiu para enfrentar os safados e começou a dar tiros, colocando todos em fuga. Assim, mesmo, o Rogério passou dois dias no hospital por conta dos machucados recebidos, e se não fosse pela intervenção do dono do bar, os cachorros já seriam órfãos.
Assim, é diante de tudo isso peço que ajudem a divulgar esta história para que o Rogério possa conseguir uma oportunidade que lhe propicie melhores condições de moradia e de vida, em qualquer cidade, para que ele possa cuidar não somente dos seus, mas de outros tantos cães abandonados por esse Brasil, e que precisam de muitos cuidados e de carinho. Já lhe ofereceram abrigo, mas desde que os cães ficassem para trás, e o Rogério recusou, pois para ele, estes cães são como filhos; são sua familia.
Outro dia ele estava levando todos os cães para um pet shop para tomar banho - eram 11 cachorrinhos felizes – eram originalmente 10, mas agora apareceu mais um, um fox paulistinha que eu não conheci porque no momento que conversamos estava no banho. Ele disse que havia passado remédio contra pulgas nos cachorros, e que o tal remédio é meio melado, e então teve que dar banho em toda a tropa. Perguntei quanto ele iria gastar para dar banho em toda aquela tropa de cachorros, e ele, sorrindo como sempre, disse que a moça do pet shop o ajudava e não cobrava nada. Santa alma! Aí eu perguntei a ele – e você? Onde toma banho? E ele me respondeu que tomava banho no posto de gasolina da esquina, banho frio, gelado mesmo. Disse que como era nordestino, estava acostumado.
As vezes faltam palavras que possam definir a grandeza de uma alma como esta, que mesmo não tendo quase nada para si, dá o pouco que tem para minorar o sofrimento desses pobres animais de rua. Muito mais importante dos que as aparências, a riqueza, e o poder ostentado pelas pessoas, são suas atitudes e seus valores éticos e espirituais.
* Subsídio enviado pela bióloga Dayse Rocha (Viamão/RS)

Professores multiplicam infnito

Professores multiplicam o infinito, são mitos que buscam o além do tempo. Mostre-me um professor e ali está o pensamento.

Professores são anjos, mas que incompletude! Faltam-lhe as asas. Mas não é que voam sem sair do lugar! Basta olhar...

Professores desnudam o luar, a terra e o ar. Caçam estrelas sem saber, apenas pelo sabor de ensinar e aprender.

Professores são a delicadeza e todo o seu além. Reinventam o que não têm e contemplam a súbita beleza de uma pesquisa.

Professores são a vida e todo o seu esplendor, constroem segredos e o amor. São foguetes siderantes e siderados.
Professores são sagrados!
(Autora: Karla Bardanza)

A nós professores, esteja no ponto em que estiver nossa caminhada. Ontem, hoje e sempre, seja reconhecido o nosso valor! Seja honrada e respeitada nossa identidade!

FELIZ DIA DO PROFESSOR!!!

Homenagem da Professora Hilda Bezerra da Silva, pedagoga e pós- graduada, a todos os professores deste imenso Brasil.

14 de out de 2010

50 anos da Diocese de Propriá

Por Andréa Carla Costa Lima
 
Propriá está em festa, um só coração em júbilo, esse é o sentimento eufórico da Diocese de Propriá que no dia 16 de Outubro, completará 50 anos de Caminhada junto aos trabalhadores sem terra, nos sindicatos, nas CEB’s, Cáritas, Pastoral Social ...

Vamos exaltar no Senhor Deus e de Maneira especial a Maria, discípula e missionária, que na nossa igreja local foi a “primeira em todo o mundo a cuidar de todos nós com o título de Nossa Senhora do Rosário de Fátima” a qual a cada dia nos tens abençoado.

A nossa diocese é motivo de orgulho e estudo nas Universidades, onde temos duas monografias apresentadas a Universidade Tiradentes por alunos de Propriá e uma tese de Mestrado pela Universidade do Rio Grande do Norte, belíssimos trabalhos, que servem de sementes para futuros pesquisadores. Parabéns Propriá pelos 50 anos de luta em defesa dos mais fracos.

"As eleições brasileiras"

No Brasil, as eleições presidenciais de domingo 3 deram os resultados previsíveis. Os três candidatos sistémicos (Serra, Dilma & Marina) tiveram uma votação aparentemente esmagadora. Dispondo de recursos milionários e com o apoio de todos os media, fizeram uma campanha morna evitando cuidadosamente falar de tudo o que fosse importante. Nenhum deles sequer aflorou questões "polémicas" como a Reforma Agrária, a política económica e monetária neoliberal, a ruptura com o imperialismo, o modelo exportador baseado no agrobusiness, a defesa do petróleo brasileiro, etc. Palavras como "neoliberalismo" e "capitalismo" nunca foram ouvidas na boca de tais candidatos. Os media corporativos centraram-se sobre os casos habituais de pequena e média corrupção, explorando o moralismo das camadas médias. Os marqueteiros e as agências de publicidade ganharam dinheiro com estes candidatos. Aquela apoiada por Lula teve mesmo de fazer contorsionismos para dar o dito por não dito (acabou por capitular na questão da despenalização do aborto, renegando declarações anteriores).

Os quatro candidatos progressistas foram praticamente "invisibilizados" nestas eleições. Fizeram campanhas pobres em recursos mas ricas em ideias. Foram os únicos que realmente levantaram problemas sérios e utilizaram as suas campanhas para fazer esclarecimento e romper o bloqueio hegemónico imposto pelos media das classes dominantes. Apesar disso, mesmo com todas as limitações, estes quatro candidatos (Plínio de Arruda Sampaio, Ivan Pinheiro, Zé Maria e Rui Pimenta) conseguiram uma votação somada de 1.022.767 votos . Em termos quantitativos parece pouco. Mas em termos qualitativos estes votos mostram que há mais de um milhão de brasileiros que não se deixam enganar pela demagogia eleitoralista e pela burla do voto dito "útil" que acaba por ser inútil. Este milhão de cidadãos conscientes poderá vir a constituir a base para a frente anti-capitalista e anti-imperialista de que o Brasil precisa".

Por Resistir.Info - Em: 08/10/2010

Derrotar Serra nas urnas e depois Dilma nas ruas

O PCB apresentou, nas eleições de 2010, através da candidatura de Ivan Pinheiro, uma alternativa socialista para o Brasil que rompesse com o consenso burguês, que determina os limites da sociedade capitalista como intransponíveis. As candidaturas do PCO, do PSOL e do PSTU também cumpriram importante papel neste contraponto.

Hoje, mais do que nunca, torna-se necessário que as forças socialistas busquem constituir uma alternativa real de poder para os trabalhadores, capaz de enfrentar os grandes problemas causados pelo capitalismo e responder às reais necessidades e interesses da maioria da população brasileira.

Estamos convencidos de que não serão resolvidos com mais capitalismo os problemas e as carências que os trabalhadores enfrentam, no acesso à terra e a outros direitos essenciais à vida como emprego, educação, saúde, alimentação, moradia, transporte, segurança, cultura e lazer. Pelo contrário, estes problemas se agravam pelo próprio desenvolvimento capitalista, que mercantiliza a vida e se funda na exploração do trabalho. Por isso, nossa clara defesa em prol de uma alternativa socialista.

Mais uma vez, a burguesia conseguiu transformar o segundo turno numa disputa no campo da ordem, através do poder econômico e da exclusão política e midiática das candidaturas socialistas, reduzindo as alternativas a dois estilos de conduzir a gestão do capitalismo no Brasil, um atrelando as demandas populares ao crescimento da economia privada com mais ênfase no mercado; outro, nos mecanismos de regulação estatal a serviço deste mesmo mercado.

Neste sentido, o PCB não participará da campanha de nenhum dos candidatos neste segundo turno e se manterá na oposição, qualquer que seja o resultado do pleito. Continuaremos defendendo a necessidade de construirmos uma Frente Anticapitalista e Anti-imperialista, permanente, para além das eleições, que conquiste a necessária autonomia e independência de classe dos trabalhadores para intervirem com voz própria na conjuntura política e não dublados por supostos representantes que lhes impõem um projeto político que não é seu.

O grande capital monopolista, em todos os seus setores - industrial, comercial, bancário, serviços, agronegócio e outros - dividiu seu apoio entre estas duas candidaturas. Entretanto, a direita política, fortalecida e confiante, até pela opção do atual governo em não combatê-la e com ela conciliar durante todo o mandato, se sente forte o suficiente para buscar uma alternativa de governo diretamente ligado às fileiras de seus fiéis e tradicionais vassalos. Estrategicamente, a direita raciocina também do ponto de vista da América Latina, esperando ter papel decisivo na tentativa de neutralizar o crescimento das experiências populares e anti-imperialistas, materializadas especialmente nos governos da Venezuela, da Bolívia e, principalmente, de Cuba socialista.

As candidaturas de Serra e de Dilma, embora restritas ao campo da ordem burguesa, diferem quanto aos meios e formas de implantação de seus projetos, assim como se inserem de maneira diferente no sistema de dominação imperialista. Isto leva a um maior ou menor espaço de autonomia e um maior ou menor campo de ação e manobra para lidar com experiências de mudanças em curso na América Latina e outros temas mundiais. Ou seja, os dois projetos divergem na forma de inserir o capitalismo brasileiro no cenário mundial.

Da mesma forma, as estratégias de neutralização dos movimentos populares e sindicais, que interessa aos dois projetos em disputa, diferem quanto à ênfase na cooptação política e financeira ou na repressão e criminalização.

Outra diferença é a questão da privatização. Embora o governo Lula não tenha adotado qualquer medida para reestatizar as empresas privatizadas no governo FHC, tenha implantado as parcerias público-privadas e mantido os leilões do nosso petróleo, um governo demotucano fará de tudo para privatizar a Petrobrás e entregar o pré-sal para as multinacionais.

Para o PCB, estas diferenças não são suficientes qualitativamente para que possamos empenhar nosso apoio ao governo que se seguirá, da mesma forma que não apoiamos o governo atual e o governo anterior. A candidatura Dilma move-se numa trajetória conservadora, muito mais preocupada em conciliar com o atraso e consolidar seus apoios no campo burguês do que em promover qualquer alteração de rumo favorável às demandas dos trabalhadores e dos movimentos populares. Contra ela, apesar disso, a direita se move animada pela possibilidade de vitória no segundo turno, agitando bandeiras retrógradas, acenando para uma maior submissão aos interesses dos EUA e ameaçando criminalizar ainda mais as lutas sociais.

O principal responsável por este quadro é o próprio governo petista que, por oito anos, não tomou medida alguma para diminuir o poderio da direita na acumulação de capital e não deu qualquer passo no sentido da democratização dos meios de comunicação, nem de uma reforma política que permitisse uma alteração qualitativa da democracia brasileira em favor do poder de pressão da população e da classe trabalhadora organizada, optando pelas benesses das regras do viciado jogo político eleitoral e o peso das máquinas institucionais que dele derivam.

Considerando essas diferenças no campo do capital e os cenários possíveis de desenvolvimento da luta de classes - mas com a firme decisão de nos mantermos na oposição a qualquer governo que saia deste segundo turno - o PCB orienta seus militantes e amigos ao voto contra Serra.

Com o possível agravamento da crise do capitalismo, podem aumentar os ataques aos direitos sociais e trabalhistas e a repressão aos movimentos populares. A resistência dos trabalhadores e o seu avanço em novas conquistas dependerão muito mais de sua disposição de luta e de sua organização e não de quem estiver exercendo a Presidência da República.

Chega de ilusão: o Brasil só muda com revolução!
PCB - Partido Comunista Brasileiro
Comitê Central
Rio de Janeiro, 13 de Outubro de 2010

13 de out de 2010

Projeto ‘Sociedade Canudos’

Idéia surgiu em 1994 na cidade de Pirambu e poderá ser colocada em prática em 2011, incluindo a cidade de Propriá
Por Claudomir Tavares | claudomir@tribunadapraia.net
 
Um sonho antigo começa a se transformar em realidade. Há 16 anos, no Colégio Estadual “José Amaral Lemos” era iniciado o Projeto “Canudos: Ontem e Hoje”, uma extensão das celebrações pelos “100 Anos de Luta pela Terra”, que se deu no ano anterior. O Amaral Lemos foi a primeira escola do interior de Sergipe a se incorporar ao estudo do tema. Um Concurso de Poesia e Redação, estudo de cordel produzido pelo professor e cordelista Zé Antônio e da cartilha produzida pelo MST na sala de aula. Nascia ali o indicativo de construção da Sociedade Canudos.

Nos anos seguintes, o Ciclo de Estudos Canudos Ontem e Hoje teve prosseguimento naquela instituição. Em 1999 a escola recebeu o Grupo de Teatro Canudos em Movimento, a época dirigido pelo professor Jorge Ramos, que apresentou o espetáculo “1999: 499 anos: negros, índios e mestiços – colonização e genocídio (ou algo parecido)”. No ano 2001 foi a vez da Escola Municipal Mário Trindade Cruz se incorporar ao estudo do tema, através da realização do Seminário “Canudos Ontem e Hoje”, com a palestra ministrada pelo professor Claudomir Tavares, apresentação do espetáculo “Guerra da Canudos”  encenada pelo Grupo de Teatro Canudos em Movimento, agora sediado no povoado São José da Caatinga.

A proposta de montar um grupo heterogêneo composto por estudantes, professores, pesquisadores e estudiosos do tema em Propriá e Pirambu (cidades onde atuamos profissionalmente) surgiu em 2007, mas ficou apenas na idéia, a partir da presença da Tribuna da Praia na celebração daquele ano. O Portal esteve participando esse ano e se aquece a proposta de montar este grupo, a partir de uma organização, movimento ou algo parecido, podendo ser mesmo a Sociedade Canudos. Permanecerá a parceria com o Centro Canudos em Movimento, que seria assim nosso parceiro imediato e padrinho dos novos membros.

Ainda esta semana estaremos apresentando a proposta a personalidades e instituições que posam se integrar ao novo grupo ou contribuir financeiramente para viabilizar o projeto que seria construído nos próximos meses, devendo incluir reuniões preparatórias, seminários, exibição de vídeos, teatro, poesia, entre outros temas que teriam um cronograma de realização a ser cumprido no período de Novembro de 2010 a Outubro de 2011 com a participação da XXVIII Celebração Popular pelos Mártires de Canudos. Informações adicionais podem ser obtidas através do celular (079) 9917.0510 (Tribuna da Praia) ou 8834.1483 (Claudomir Tavares).]

Agenda de Luta dos professores de Pirambu

Categoria continua em luta mobilizada na luta pelo Piso Salarial
Por Claudomir Tavares  | claudomir@tribunadapraia.net
 
Os professores de Pirambu tem dado provas inequívocas de sua incansável capacidade de luta, sempre em defesa de uma causa justa. Desta vez a luta é pelo pagamento da integralidade do Piso Salarial, que a administração municipal deveria já ter efetuado desde janeiro de 2010 e que o prefeito José Nilton (PMDB) insiste em desrespeitar a lei, o Ministério Público e a nobre categoria do magistério municipal, pagando vencimentos inferiores a R$ 1.024,67.

A última Assembléia Geral dos professores, realizada em 27/09, definiu por uma paralisação iniciada em 1º de Outubro (na prática teve início em 05/10, em função do recesso do período eleitoral) e que as atividades laborais pedagógicas “só retornarão assim que a administração municipal, que encerrou as negociações, reabra o processo de discussão e, principalmente, sinalize para a perspectiva de cumprimento da lei”, afirmou a professora Veralúcia Santana, delegada sindical de base do SINTESE em Pirambu.

Ações dos Professores – Ao longo da última semana algumas ações foram encaminhadas, como encaminhamento ao Ministério Público de ofício com uma série de denúncias de irregularidades praticadas pela administração municipal e secretaria municipal de educação. Da mesma forma foi encaminhado ao promotor de justiça Nilzir Soares Vieira Júnior, representante do MP em Pirambu, intermediação nas negociações com o prefeito José Nilton de Souza.

Agenda de Luta – Para esta semana estão previstas algumas ações e lutas dos professores, destacando-se um Ato em Frente a Secretaria Municipal de Educação a ser realizado na quinta-feira, 14/10 e um Ato na Feira da cidade, na sexta-feira, 15/10. Os professores de Pirambu cuja categoria aderiu em mais de 90% de sua totalidade, tem recebido inúmeras manifestações de solidariedade de pais de alunos, de estudantes, dos movimentos sociais na cidade e vindos de todo o estado de Sergipe.

Manifestações artísticas e culturais celebram os 180 anos de Antônio Conselheiro

Atividade constou de peças teatrais, poesia, religiosidade  popular e muita música
Por Claudomir Tavares | claudomir@tribunadapraia.net
 
A cidade de Uauá, no sertão da Bahia, foi palco na noite de sexta-feira, 08/10, de manifestações artísticas e culturais. A programação foi parte integrante da XXVII Celebração Popular pelos Mártires de Canudos, em que comemorou os 180 anos de Antônio Conselheiro: semeando idéias, construindo identidades.

Teatro, exposições de fotografias, poesias, apresentações folclóricas, forró, banda de pífano e cantoria com Paulinho Jequié, Wilson Aragão, Rose, Tato Lemos, Dinho Oliveira e outros. As atividades aconteceram no Colégio Estadual “Antônio Conselheiro” (CEAC), onde ficaram hospedadas as delegações de Sergipe e Bahia, e integraram a programação da IV Semana Cultural daquela instituição de ensino.

As atividades do sábado, 09/10, tiveram início no povoado de Bendegó (Canudos), com uma homenagem póstuma a Doma Maria de Pedrão, falecida recentemente, em frente a residência onde a adorável e receptiva senhora residia. Falações, poesias, reza, cantoria e apresentação do Reisado de São José marcaram a atividade que foi mais um gesto de gratidão a quem recebia com tanta gentileza as delegações que há 26 anos (seria 27 se ela estivesse viva este ano) celebram os mártires de Canudos.

No final da manhã, sergipanos e baianos foram ao Mirante de Canudos, no Parque Estadual de Canudos (mantido pela Universidade Estadual da Bahia – UNEB). Em seguida as atividades aconteceram no Açude de Cocorobó, no povoado de Canudos Velho, no município de Nova Canudos. A tarde aconteceu a Alvorada do Bom Jesus: celebração popular, atividades artísticas e culturais – teatro, poesia, debate e cantoria. Na noite de sábado para domingo, a delegação de São José (Japaratuba) ficou hospedada na Escola Municipal Maçônica Acácia.
A programação da XXVII Celebração Popular pelos Mártires de Canudos prosseguiu no domingo, 10/10, na cidade de Monte Santo, com Subida ao Santuário da Santa Cruz (não tivemos coragem de fazê-lo) com parada no Centro de Lazer Amélia Andrade, local em que os participantes participaram de atividades artísticas: poesia, teatro, reisado (de São José), cantoria com Fábio Paes, Gereba, Joaquim Antônio, Wilson Aragão e outros. No local foi realizado o Bingo dos Amigos de Canudos, em prol Grupo de Teatro Canudos em Movimento

Luiz Alberto

O professor e antropólogo Luiz Alberto Santos (UFS), ex-secretário de estado da Cultura e atual responsável pelo setor de Patrimônio Cultural, está participando da XXVII Celebração Popular pelos Mártires de Canudos. Ele se integrou as atividades desde Uauá, esteve no Açude de Cocorobó e hoje estará em Monte Santo.

Mestre Marlene

Líder do Grupo Folclórico São João na Roça, a mestre Marilene Moura tem se apresentado da celebração com seu grupo de forma ininterrupta desde 2007. A cada ano, o grupo que se transforma em Reisado, encanta com seu místico cultural das mais diversas atividades. Este ano, além das homenagens a Dona Maia de Pedrão, o Reisado de São José se incorporou as apresentações da Alvorada do Bom Jesus, as margens do Açude de Cocorobó e no encerramento proporcionou um dos momentos mais significativos da celebração: uma homenagem ao grande mestre Josa, o Vaqueiro do Sertão, presente ao evento no Centro Amélia Andrade.

Reisado da Barra

O Reisado da Barra, cujos integrantes residem na fazenda do mesmo nome, no município de Monte Santo, esteve se apresentando na tarde de ontem da Alvorada do Bom Jesus. Segundo dona Rosa, líder do grupo, a tradição teve início com seu pai, e hoje o grupo se apresenta de forma ‘atrevida’ (de surpresa, em uma residência previamente escalada pelo grupo) e como convidada, quando solicitada por pessoas ou comunidades. Difere dos reisados conhecidos dos sergipanos, mas mantém o colorido e o belo que é a espontaneidade e extemporaneidade  cultural.

Joaquim Antônio

O músico Joaquim Antônio, que há mais de 10 anos participa da celebração de Canudos, esteve participando da cantoria de Cocorobó. O líder do grupo Casaca de Couro (forró, folclore e vaquejada), cuja parceria com o Reisado de Maribondo, selou definitivamente sua ligação com a cultura de Pirambu, foi o primeiro ‘cantador de Canudos’, e deu o tom do fundo musical da celebração de religiosidade popular,enquanto teatro, São João na Roça e caravana de Japaratuba se apresentava.

Estudantes presentes

Estudantes de escolas sergipanas estão participando da XXVII Celebração Popular pelos Mártires de Canudos. São 10 da Escola Municipal Vereador João Prado (povoado São José), 7 do Colégio Estadual José de Matos Teles (Japaratuba) e 1 do Colégio Estadual José Amaral Lemos (Pirambu). Além de estudantes, participam da celebração professores de ambos os municípios, entre os quais Luciano Acciole (Japaratuba) e Claudomir Tavares (Pirambu).

Carlos Liberato

Professor do Departamento de História da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Carlos Franco Liberato participou das atividades alusivas a XXVII Celebração Popular pelos Mártires de Canudos. Ele preserva assim a presença da nossa universidade que sempre disse sim ao Movimento Popular e Histórico de Canudos, através de José Paulino da Silva, Chico Buchinho, entre outros.

Nossa presença

A Tribuna da Praia participou pela terceira vez da Celebração. A primeira aconteceu em 1999 (16ª Celebração), a segunda em 2007 (24ª  Celebração)) e este ano retorna a terra da cenário da Guerra de Canudos nos 180 anos de nascimento do cearense Antônio Vicente Mendes Maciel, o Antônio Conselheiro.

8 de out de 2010

Vem aí o VI Caatingart

 Povoado São José se prepara para realizar o seu festival de cultura e arte
Por Claudomir Tavares | claudomir@tribunadapraia.net

O povoado São José da Caatinga é um dos maiores pólos culturais do Estado. Alí a cultura popular é efervescente. Foi com este ingrediente que nasceu s se consolidou um dos mais representativos encontros culturais do estado, o Caatingart, que este ano vai para sua VI edição. De acordo com o professor Luciano Acciole Gomes, o Caatingart acontece concomitante com as reflexões alusivas ao Dia Nacional da Consciência Negra, em homenagem a Zumbi dos Palmares.

Na sexta-feira, 19/11, teremos um Cortejo Folclórico seguido de apresentações de palco (música, dança, teatro, poesia, etc.). No sábado, 20/11, teremos show musical no Centro Social Affonso Oliveira Souza, que celebra em 2010 25 anos. No domingo, 21/11, teremos a grande roda folclórica, tipo de apresentação iniciada naquele povoado em 2007, que a fez única em encontros culturais de Sergipe.

Sergipanos a caminho de Canudos

Neste momento caravana está em Caldas do Jorro, no município de Tucano (BA)
Por Claudomir Tavares | claudomir@tribunadapraia.net

As primeiras horas da manhã desta sexta-feira já encontram um grupo de sergipanos a caminho de Canudos. Eles irão participar da XXVII Celebração Popular pelos Mártires de Canudos, que acontece de 08 a 10 de Outubro no sertão baiano, e que esse ano maca os “180 anos de Antônio Conselheiro: Semeando ideais, construindo identidades”. Eles se juntam a outras delegações que sairão de Sergipe, Bahia, Pernambuco e outros estados, que se reúnem nesta sexta-feira (08/10) em Uauá (Colégio Antônio Conselheiro), sábado (09/10) em Bendengó, Mirante de Canudos e Açude de Cocorobó/Nova Canudos e domingo (10/10) em Monte Santo.

O grupo de sergipanos saiu a 1h50min do povoado São José, reunindo-se a outra parte a delegação que já os esperavam em Japaratuba. Nesse momento eles estão no balneário Caldas do Jorro, distrito de Tucano (BA), onde depois do almoço dirige-se a cidade de Uauá. Lá teremos manifestações artísticas e culturais (teatro, exposição de fotografias, poesias, reisado, forró, banda de pífano e cantoria com Fábio Paz, Dinho Oliveira, Zé Costa, Joaquim Antônio, Roze, Tato Lemos, Paulino Jequié, Gereba e Luizinho Calixto.
A delegação de São José e Japaratuba, eu inclui ainda este que vos escreve, é composta por membros do Grupo Folclórico ‘São João na Roça’ (tradicional grupo resgatado em 2006) e do Grupo de Teatro ‘Canudos em Movimento’, além de estudantes dos colégios João Prado e José de Matos Teles, professores, pesquisadores e ativistas culturais.

Segundo o professor Luciano Acciole Gomes, principal líder da expedição a Canudos, “há 12 anos participamos da celebração de Canudos e nos últimos 10 anos a viagem vinha sendo bancada pela prefeitura de Japaratuba. Este ano estamos indo a Canudos graças a amigos que acreditam na dimensão cultural do projeto”, disse. “A gente vai de ousado. Mas gostaríamos de afirmas aos que participam pela primeira vez, que vocês nunca mais serão os mesmos depois de uma viagem a Canudos, pois aqui não se trata de uma farra e sim de uma celebração popular”, completou.

7 de out de 2010

XXVII Celebração Popular pelos Mártires de Canudos

27ª CELEBRAÇÃO POPULAR PELOS MÁRTIRES DE CANUDOS
180 ANOS DE ANTONIO CONSELHEIRO: SEMEANDO IDEAIS, CONSTRUINDO IDENTIDADES


Dia 08 de outubro (sexta-feira/noite) - Euclides da Cunha - BA
Manifestações artísticas e culturais - teatro, exposição de fotografias, poesias, reizado, forró, banda de pífano e cantoria.
Dia 09 de outubro (sábado manhã e tarde) - Bendegó, Mirante do Cocorobó e Açude do Cocorobó - BA
Alvorada do Bom Jesus, Caminhada pelos Mártires, Celebração Popular e atividades artísticas e culturais: teatro, exposição de fotografias, poesias, reizado e cantoria.
10 de outubro - (domingo manhã e tarde) - Subida ao Santuário da Santa Cruz/Monte Santo com parada no Centro de Lazer Amélia Andrade - atividades artísticas: poesia, teatro, reizado, cantoria.

EM SALVADOR
Dia 22 de outubro -(sexta-feira à noite) Canudear Memória e Cantoria - Espaço Cultural Idearium/Rio Vermelho
Evento cultural: palestra, teatro, poesia, projeção das imagens Celebração 2010 e cantoria

Américo foi o grande vencedor das eleições 2010

Vice-prefeito consolida-se como a mais expressiva locomotiva rumo à prefeitura de Propriá em 2012

Por Claudomir Tavares | claudomir@tribunadapraia.net
 
Ao lançar sua candidatura a deputado federal, o vice-prefeito de Propriá, José Américo (PSC) surpreendeu a todos e a todas pelo caráter independente do seu projeto solo, despertando em muitos certa incredibilidade do quanto de votos que lhe renderia, o que poderia significar um absoluto suicídio político. E foi, possivelmente em função deste fato, que aumentou consideravelmente a solidariedade em torno de sua candidatura que cresceu ao ponto desta alavancar seu nome em uma pesquisa divulgada por um semanário de Sergipe.

Ao alcançar exatos 11.495 votos, equivalente a 1,26%, o que lhe proporcionou a terceira suplência (atrás do ex-deputado estadual e federal Bosco Costa e do atual deputado federal Iran Barbosa), Américo consolida-se como a mais expressiva locomotiva rumo à prefeitura de Propriá em 2012, suplantando de forma quilométrica os possíveis concorrentes dentro do grupo do prefeito Paulo Britto (PT), o ex-prefeito e ex-deputado estadual Renato Brandão (PMDB e o vereador Fernandinho Britto (PT).

Américo obteve 4.982 votos (37,91%) em Propriá, onde foi o campeão absoluto, 2.333 votos (5,39%) em Itabaiana, sua terra natal onde foi o quarto mais votado, 1.125 votos (0,46%) em Aracaju, sendo o vigésimo mais votado. Em Sergipe Américo alcançou a décima segunda posição, o que lhe consagra como uma ascendente força política.

Considerando que Américo contribuiu para fazer de Eduardo Amorim (PSC) o senador mais votado também em Propriá, com 7.71328,84%, superando os candidatos de Paulo Britto, Renatinho, Valadares (2º) e Albano Franco (4º) e de Luciano de Menininha (DEM), José Carlos Machado (3º), o atual vice-prefeito de Propriá larga na frente e nem um trem fará persuadi-lo de seu legítimo pleito de dirigir a cidade que há 23 anos escolheu para viver. É um nome que pesa em todas as bolsas de apostas, da situação e da oposição, que venceu as eleições em Propriá.

Avaliação – Em função de compromissos e outras ocupações (programando aula e preparando viagem a Canudos/BA), ainda não tivemos tempo de fazer uma avaliação detalhada das eleições em Propriá, o que faremos a partir da próxima semana, quando concluiremos a avaliação de Pirambu e iniciaremos a de Japaratuba. Aguardem!

Vida de Arthur Bispo do Rosário leva troféu de melhor filme de ficção brasileiro

O filme “O Senhor do Labirinto” ganhou o Troféu Redentor de Melhor Filme de Ficção Brasileiro Eleito pelo Juri Popular no Festival do Rio de 2010, durante solenidade realizada nesta terça-feira (05/10) no Odeon Petrobrás. A película retrata a história do artista plástico, natural de Japaratuba/SE, Arthur Bispo do Rosário, e foi gravada, quase em sua totalidade, em Sergipe com o apoio do Banese.

O Festival do Rio 2010, além do voto da crítica especializada, também escolhe seus filmes preferidos por meio do voto popular, recolhido ao final da sessão de cada filme concorrente. O resultado foi apurado e anunciado na cerimônia de encerramento, com entrega dos troféus para os vencedores.

O prêmio de Melhor Longa Metragem de Ficção pelo Voto Popular ficou com “O Senhor do Labirinto”, de Geraldo Motta, que levou ao grande público a história de Arthur Bispo do Rosário, artista esquizofrênico que passou 50 anos de sua vida internado em um manicômio, realizando um trabalho artístico com bordados, textos e ready-mades mumificados – objetos enrolados em linhas desfiadas do uniforme hospitalar.

O Bispo, interpretado pelo ator Flávio Bauraqui, foi um homem que a partir de seu trabalho, realizado depois dos anos 1960, lançou um novo olhar sobre os limites em que a sensibilidade artística cruza caminhos com a insanidade clínica. Rodado quase que totalmente em Sergipe, o filme conta, em seu elenco, com novas promessas como Irandhir Santos e atores consagrados como Maria Flor, além de talentos sergipanos como: Andréia Vilella e Diane Veloso.

De acordo com a produtora da Tibet Filmes, Thais Mello, a realização do filme só foi possível graças ao apoio incondicional ao projeto por parte do Governo de Sergipe e do Banese, segundo ela grandes parceiros. “Esse prêmio é para todos os que participaram direta ou indiretamente da produção do filme ‘O Senhor do Labirinto’, a todos aqueles que acreditaram nele e que não mediram esforços para a sua realização, dentre eles o Banese”, ressaltou Thaís Mello.

Para o Superintendente do Instituto Banese, José Edson Pereira Lima, o banco dentro de sua responsabilidade com a cultura não podia estar de fora desse grande projeto que retrata a vida e obra de uma importante personalidade sergipana que era desconhecida por muitos. “O resultado do filme é muito satisfatório para o Banese que tem investido na cultura sergipana de forma bastante significativa", concluiu Édson Lima.

5 de out de 2010

Carlos Britto, uma bússola moral

O jurista sergipano Carlos Ayres Britto chegou ao Supremo Tribunal Federal (STF) em 2003, após mais de três décadas dedicadas ao direito - seja como procurador do Tribunal de Contas do Estado (TCE), seja como advogado de causas memoráveis, seja, enfim, como professor da Universidade Federal de Sergipe (UFS), onde formou gerações de brilhantes profissionais que sempre souberam reverenciar o mestre e nele reconhecer um exemplo a ser seguido, uma bússola moral a guiar aqueles que davam os primeiros passos em um terreno marcado pela competitividade e pela ambição desenfreada, que, não raro, contaminam consciências e pervertem caracteres.
Como ministro do STF, a atuação de Carlos Britto vem se notabilizando pela defesa intransigente dos direitos fundamentais da pessoa humana, da moralidade administrativa e pelo fortalecimento das instituições públicas. Coube a ele relatar, dentre outros processos, a ADPF que derrubou a antiquada Lei de Imprensa, a ADI que reconheceu a constitucionalidade da lei autorizadora das pesquisas com células-tronco e a ADI que proibiu o nepotismo no Poder Judiciário.
Demonstrando total independência em relação ao presidente que o nomeara, votou contrariamente aos interesses do braço direito de Lula e ex-ministro Chefe da Casa Civil, José Dirceu, nas demandas decorrentes do escândalo do mensalão petista. Como presidente do TSE, conduziu com denodo e transparência alguns processos que culminaram na cassação de governadores que se elegeram por meio do abuso de poder político e econômico.
Esta semana foi divulgado um vídeo no qual o então candidato ao governo do Distrito Federal, Joaquim Roriz, e o advogado Adriano Borges, genro do ministro Carlos Britto, negociam as condições e os valores dos honorários para que Borges o defenda no processo submetido ao STF, que decidirá se a Lei Ficha Limpa será aplicada às eleições deste ano.
O diálogo é sórdido e só vem a reforçar o estado deplorável em que se encontram nossas instituições. Nele, vê-se que Roriz, candidato "ficha suja" quer contratar Borges para que este lhe garanta o voto favorável de Carlos Britto. Borges, por sua vez, sabendo que isto é impossível pelas razões que todos nós conhecemos, promete-lhe o impedimento de Carlos Britto - que adviria naturalmente da sua contratação, dada a relação de parentesco entre advogado e ministro.
É impossível ao cidadão comum, escandalizado com os fatos ocorridos recentemente no Ministério da Casa Civil, não associar um fato ao outro, concluindo, erroneamente, que exista uma relação ilícita entre o ministro e seu genro. Afinal, este seria apenas mais um caso entre tantos ocorridos em nossa combalida República.
Mas é necessário separar o joio do trigo. E, nesse particular, Universo Político.com quebra a isenção necessária para declarar, em alto e bom som, que acredita na completa inocência do ministro Carlos Ayres Britto, ao mesmo tempo em que espera uma célere e cabal apuração dos fatos, a fim de que sejam responsabilizados todos aqueles que trocaram a ética por interesses escusos.
Ao tornar pública sua posição, é bom que fique bem claro, Universo Político.com tem plena consciência que não está a prestar favor algum ao ilustre magistrado. Da mesma forma, faz questão de enfatizar que não age movido por questões provincianas ou bairristas. A crença na inocência de Carlos Britto decorre, acima de tudo, da sua postura retilínea ao longo de toda a vida, do seu caráter idôneo e do seu valor como jurista e homem público.
Ademais, Universo Político.com jamais ofuscaria o orgulho de pautar-se na integridade moral de homens ímpares como Carlos Britto. Entendemos como algo fundamental para fazermos um jornalismo lúcido. Verdadeiramente voltado à cidadania, e em total sintonia com a verdade factual.
Fonte: Universo Político - Em: 02/10/2010

TODAS AS NOTÍCIAS