21 de out de 2008

Professor Claudomir apresenta experiência no Rio de Janeiro

Ele irá apresentar o Projeto ‘Canal do Pomonga: Importância Sócio-Econômica“ durante o X Encontro Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas
Da Redação


O professor Claudomir Tavares da Silva, presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Japaratuba (CBHJ), estará participando no período de 10 a 14 de novembro de 2008 do X Encontro Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas, no Rio de Janeiro (RJ). Junto com ele, mais quatro membros do CBHJ (Ângela Lima, Ronaldo Silva, Ademilson Vieira e Alisson Braga), que se juntarão aos representantes dos comitês dos rios São Francisco, Sergipe e Piauí.

Dentro da Seção ‘Experiências de Comitês’, Claudomir Tavares da Silva irá apresentar o Pré-Projeto de Pesquisa de Mestrado em Geografia apresentado em 2005 junto ao Núcleo de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal de Sergipe (UFS), cujo título ‘CANAL DO POMONGA: IMPORTÂNCIA SÓCIO-ECONÔMICA - DESAFIOS E PERSPECTIVAS NA VIRADA DO SÉCULO (Século XX para o XXI)’ está aguardando avaliação da Comissão Científica do Encontro.

Claudomir Tavares efetuou sua inscrição na última quarta-feira, 15, sendo confirmada na manhã de ontem, 16. Só a partir daí, foi possível o envio da trabalho.

Dados Gerais:

Situação: AGUARDANDO AVALIAÇÃO
Autor 01: CLAUDOMIR TAVARES DA SILVA
Nome do Trabalho: CANAL DO POMONGA: IMPORTÂNCIA SÓCIO-ECONÔMICA - DESAFIOS E PERSPECTIVAS NA VIRADA DO SÉCULO (Século XX para o XXI)
Tema do Trabalho: Outros

Descrição do Trabalho:

"O Canal do Pomonga pela sua importância histórica e econômica, tem sido considerado um elo fundamental de ligação entre os rios Sergipe ao Japaratuba. Fazia parte de uma estratégia de “ligar no século XIX os rios Real ao São Francisco através de canais”.

Com 32 Km de extensão e 1.30 m de profundidade o Canal do Pomonga foi fruto de uma lei provincial datada de 16 de março de 1835 que autorizava o Presidente da Província a abrir um canal através do Pomonga, ligando os rios Sergipe ao Japaratuba.

Justificava tal esforço o escoamento da produção do açúcar em nossos vales. Ao longo dos seus 151 anos o Canal do Pomonga cumpriu uma função de tamanha grandeza. Foi uma das principais vias de transporte de produtos e de passageiros e até início da década de 80 do século XX servia de importante canal de comunicação entre os povoados Canal de São Sebastião e Touro com a capital Aracaju, deslizando em seu leito balsas e canoas tipo tó-tó-tós que transportavam coco, casca de coco para as fábricas do Bairro Industrial, trazendo mercadorias para abastecer as “bodegas” dos dois povoados.

Na procissões fluviais do povoado Aguada (Carmópolis), dia 1º de janeiro e do Canal de São Sebastião (Barra os Coqueiros) em 20 de janeiro vinham várias canoas de Barras dos Coqueiros e barcos de pesca de Pirambu para levar os santos que motivavam as festas e os fiéis nos leitos do Canal do Pomonga e Rio Japaratuba".
.

18 de out de 2008

PV denuncia manobras contra Gabeira

A Executiva Nacional do Partido Verde e a bancada do PV na Câmara dos Deputados vêm a público manifestar o seu veemente repúdio contra as recentes manobras que pretendem desestabilizar a campanha do Deputado Fernando Gabeira à Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro.

Merecem destaque três fatos hoje de amplo conhecimento público que estão circulando na campanha do Rio de Janeiro:

1 – A distribuição de panfletos difamatórios e apócrifos contra Gabeira;

2 – O uso da máquina pública em favor do candidato adversário;

3 – A instrumentalização da mentirosa versão de que Gabeira é preconceituoso com o subúrbio do Rio de Janeiro, patrocinada ilegalmente pela máquina do estado através de cabos eleitorais do PMDB.

O candidato do PV, Fernando Gabeira, desde o primeiro turno, vem sofrendo com a distribuição criminosa de panfletos apócrifos, numa clara tentativa de desestabilizar sua candidatura. São panfletos de conteúdo preconceituoso, com insultos à sua pessoa e informações mentirosas sobre possíveis atos de sua gestão, tais como o fechamento de templos evangélicos e liberação de drogas, entre outros absurdos.

Outra denúncia que o PV leva ao conhecimento da população é o uso abusivo da máquina pública pelo candidato adversário, numa verdadeira afronta à legislação eleitoral: no jogo entre Flamengo e Atlético no Maracanã, o placar eletrônico fazia propaganda negativa contra o candidato Gabeira, ao mesmo tempo em que enaltecia o seu concorrente.

Também chamou atenção a divulgação de dados pessoais a respeito de um militante verde que foi brutalmente espancado por membros da comitiva do candidato concorrente. Nesse caso, os dados da vítima foram passados em tempo recorde pelo próprio secretário de Segurança ao comitê de campanha do PMDB.

Tais atos ferem a ética política e o verdadeiro exercício da cidadania do nosso povo. Por esse motivo, pedimos às autoridades da Justiça Eleitoral que tomem imediatas e consistentes medidas no sentido de respeitar a vontade do povo para que as eleições na cidade do Rio de Janeiro sejam realizadas com lisura e isenção, de forma a refletir o verdadeiro desejo da sua população.

Fonte: Sarney Filho - Líder do Partido Verde
.

17 de out de 2008

X Encontro Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas - Parte II

Histórico

O Fórum Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas, formado pelo conjunto dos Comitês de Bacias Hidrográficas, legalmente instituídos no âmbito dos Sistemas Nacional e Estaduais de Recursos Hídricos, foi organizado em 1999, ano em que realizou-se o Primeiro Encontro Nacional de Comitês, na cidade de Ribeirão Preto - SP.

Posteriormente, estes Encontros anuais aconteceram nos estados do Ceará (Fortaleza, 2000), Minas Gerais (Belo Horizonte, 2001), Santa Catarina (Camboriú, 2002), Sergipe (Aracaju, 2003), Rio Grande do Sul (Gramado, 2004), Bahia (Ilhéus, 2005), Espírito Santo (Vila Velha, 2006) e Paraná (Foz do Iguaçu, 2007), com destaque para este último Encontro, o qual contou com a presença de 1250 participantes e representantes de 122 Comitês do Brasil e de Sistemas de Recursos Hídricos de 22 Estados.

Sua missão primordial é articular os Comitês de Bacias Hidrográficas em nível nacional, visando ao fortalecimento dos mesmos como parte do Sistema de Gerenciamento de Recursos Hídricos, de forma descentralizada, integrada e participativa, trabalho este que faz através de seu braço executivo representado pelo Colegiado Coordenador.

O trabalho desenvolvido pelo Fórum Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas – FNCBH ganha maior importância a cada ano. Seus objetivos e metas são alcançados, fundamentalmente, em função das parcerias nas ações e no profícuo trabalho que os Comitês de Bacias Hidrográficas desenvolvem no país, direta e indiretamente, juntamente com os Governos Estaduais, Federal e Municipais, Usuários e Sociedade Civil organizada.

1999 - Ribeirão Preto SP
2000 - Fortaleza CE
2001 - Belo Horizonte MG
2002 - Balneário Camboriú SC
2003 - Aracaju SE
2004 - Gramado RS
2005 - Ilhéus BA
2006 - Vila Velha ES
2007 - Foz do Iguaçu PR
2008 - Rio de Janeiro RJ

Fonte: www.ecbhs.com.br/historico.asp
.

16 de out de 2008

X Encontro Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas - Parte I

Apresentação

Neste ano de 2008, o Fórum Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas realiza seu décimo Encontro Nacional com a expectativa da presença de 2.000 participantes e representantes dos 150 Comitês de Bacia atualmente instalados no território brasileiro.

O seu Colegiado Coordenador definiu, como tema principal para o evento, “O Fortalecimento da Gestão Participativa das Águas – 10 anos de Articulação dos Comitês de Bacia no Brasil”, justamente para caracterizar a importância dos Comitês de Bacias Hidrográficas dentro do Sistema Integrado de Gerenciamento de Recursos Hídricos do Brasil.

Implantados em 18 Estados da Federação e em discussão para serem instalados nos demais Estados, os Comitês de Bacias Hidrográficas ganham maior importância dentro do Sistema quando se constata que, dentro destes plenários, encontram-se representantes de todos os segmentos, seja o poder público, usuários ou a sociedade civil organizada, que, em discussão integrada, participativa e compartilhada, definem o futuro de suas bacias hidrográficas, buscando sempre a melhoria para a qualidade e quantidade de suas águas.

O X Encontro Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas, portanto, além de apontar para uma simbólica reflexão pelos dez anos de articulação dos Comitês de Bacia dentro dos Sistemas Nacional e Estaduais, retrata o fortalecimento da gestão participativa e compartilhada, evidenciada assim como único caminho para a sustentabilidade dos recursos hídricos dentro do solo brasileiro.

:: Os objetivos do Encontro são:

- Possibilitar que os Comitês de Bacias Hidrográficas identifiquem as oportunidades e desafios para a promoção da gestão integrada das águas, de forma participativa e descentralizada, de modo a apontar para a toda a sociedade a efetiva sustentabilidadedos recursos hídricos.

- Integrar todos os organismos e segmentos que compõem e participam do Sistema Nacional de Recursos Hídricos, sejam públicos ou privados, visando possibilitar a discussão participativa e compartilhada no setor.

- Discutir os cenários futuros no que se refere aos recursos hídricos no Brasil visando estabelecer metas e diretrizes para a efetivação das políticas públicas ligadas à água em interface como desenvolvimento.

Acesse: www.ecbhs.com.br
.

15 de out de 2008

Mais de 2.879 professores vão receber computadores

Do Portal CNotícias

O Governo de Sergipe vai promover de 22 a 24 de outubro, a 1ª Exposição de Tecnologia Educacional (Expotec), no Complexo do SESI da Avenida Tancredo Neves. Na ocasião, 16 empresas apresentarão os computadores que serão disponibilizados para 2.879 professores da rede estadual, cadastrados no Programa de Inclusão Digital dos Profissionais do Magistério Público Estadual (Proid). Em parceria com o Banco do Estado de Sergipe (Banese), o governo vai financiar 100% do valor do equipamento. O investimento total será de R$ 3,7 milhões.

A exposição também será palco para apresentação de outras ferramentas de tecnologia educacional, utilizadas pela Secretaria de Estado da Educação (SEED) no âmbito dos setores e das unidades escolares, com vistas à melhoria da qualidade do ensino e da administração.

O Proid foi suspenso em outubro de 2006, e reestruturado pela Lei Nº 6.422 de maio de 2008 e Decreto Nº 25.419, de 16 de julho de 2008. O objetivo do programa é promover a inclusão digital entre os profissionais do magistério estadual. Dentre os critérios estabelecidos pelo novo decreto governamental, para ter direito ao computador o profissional do magistério tem que se encontrar em sala de aula.

Nos estandes da Expotec, os beneficiados pelo Proid terão acesso às explicações sobre as configurações dos equipamentos, formas de financiamento do programa e encaminhamento das propostas. Representantes da Secretaria da Educação, do Banese e das 16 empresas especializadas em equipamentos de tecnologia de informática, habilitadas pela Engetis e Compranest, serão os responsáveis pelo repasse das informações.

O programa permite que seja disponibilizado um computador ou um notebook, desde que atenda a configuração mínima estabelecida no decreto governamental e não ultrapasse R$ 1 mil. Caso o beneficiado escolha um computador de preço mais elevado, deve se responsabilizar pela diferença no valor do produto.

:: Outras ferramentas

Durante a Expotec, a SEED apresentará projetos e programas que estão sendo desenvolvidos para acompanhar as novas ferramentas tecnológicas que garantem a agilização das demandas administrativas, em benefício do aluno, professor, servidores e gestores. Serão também apresentados programa que estão sendo aplicados em sala de aula com o propósito de elevar a aprendizagem.

Dentre os programas serão apresentados o Sistema Integrado de Gestão (Siga), Serviço de Atendimento ao Cidadão (GESAC), os programas Oitonomundo, TV Pendrive e TV Escola, o Núcleo de Tecnologia Educacional (NTE´s), o Programa de Inclusão nas Tecnologias para alunos com Necessidades Especiais (PROINESP) e o PROINFO, programa da Secretaria de Educação à Distância do MEC, que visa atender a todas as escolas públicas da zona urbana e rural, com a inserção de equipamentos tecnológicos.
.

14 de out de 2008

Água: fonte de vida

O desafio de preservar é nosso ¹
Por Claudomir Tavares *
claudomir@infonet.com.br

Você precisa lutar por melhor qualidade de vida para a sua comunidade. Precisa se mobilizar pela água. Precisa exigir saneamento, saúde e bem-estar. Como chegar lá? Sugerimos algumas informações:

I – O mundo precisa acordar para a questão da água

Você sabia?

. Apenas 1% de toda a água existente no mundo é doce e está disponível para o uso. Do restante, 97% é água salgada e 2% formam as geleiras inacessíveis.
. Apenas 1/3 dos recursos hídricos disponíveis hoje no planeta podem ser aproveitados.
. No ano 2020 a carência de água vai afetar 2/3 da população mundial.
20% da população do planeta não tem acesso à água potável para beber.
. De 1900 a 1997 população do planeta dobrou, e o consumo da água cresceu sete vezes.
. O consumo de água em uma família de classe média nos Estados Unidos chegou a 2 mil litros por dia. Na áfrica, esse consumo é de apenas 150 litros, e milhões de famílias ainda precisam carregar água por longas distâncias.
. 70% de toda a água doce consumida no planeta destina-se ao uso agrícola em irrigação. Com o crescimento da população, esse número, já muito alto, tende a aumentar.
. 90% da água utilizada no Terceiro Mundo é devolvida à natureza sem nenhum tipo de tratamento.
. 50% dos rios do mundo estão poluídos com despejos de esgotos, resíduos industriais e agrotóxicos ou em via de serem exauridos devido ao desperdício e a má gestão dos recursos hídricos nas bacias fluviais.
. 30% das maiores bacias hidrelétricas perderam mais de metade de cobertura vegetal original, o que levou à redução da qualidade de água.
. Águas poluídas afetam a saúde de aproximadamente 1,2 milhões de pessoas e contribuem para a morte de 15 milhões de crianças com menos de 5 anos.
. A desertificação já atinge cerca de 70% das terras secas do planeta.

II – O Brasil tem muita água e precisa cuidar bem dela

Você sabia?

. Mantenha sua comunidade limpa, recicle e não jogue lixo nas ruas e nos rios. Você estará evitando a poluição da água.
. Estimule seus amigos e famílias a serem mais conscientes também. Você pode mudar suas atitudes em sua casa, em seu trabalho, em sua vida.
. Tome decisões ambientalmente corretas em sua vida diária, em termos do que consome e usa. Coma produtos que venham de uma agricultura que respeite o ambiente e que use menos pesticidas e químicos, que poluem lençóis freáticos, lagoas e rios.
. Em casa: em média, 79% do consumo de água é gasta no banheiro.
. No banho: Tome banhos cursos. Um banho demorado chega a gastar de 95 a 180 litros de água limpa. Banhos de 5 a 15 minutos economizam água e energia elétrica. Abra o chuveiro, molhe-se, feche-o, ensaboe-se e depois abra-o para enxaguar, em vez de passar o tempo todo com o chuveiro ligado.
. Na escovação dos dentes: escovar os dentes com a torneira aberta gasta até 25 litros. . Abrindo a torneira somente no início e no final da escovação, o consumo da água é de apenas 3 litros. Se usar um copo apenas para enxaguar, o consumo cai para 350 ml. Escove primeiro. Depois, abra a torneira apenas o necessário para encher um copo com a quantidade adequada para o enxágüe. É mais do que suficiente.
. Na descarga: uma válvula de vaso sanitário no Brasil chega a consumir 20 litros de água tratada quando acionada uma única vez. Aperte a válvula apenas o tempo necessário e não jogue lixo no vaso.
. No barbear: fazer a barba com a torneira aberta pode chegar a gastar 65 litros de água. Feche a torneira enquanto estiver se barbeando. Só abra no final, para enxaguar.
. Na torneira: conserte as torneiras que pingam e as privadas que vazam. Uma torneira aberta gasta de 12 a 20 litros/minuto. Pingando, chega fácil a 46 litros/dia e 16 mil litros/ano.
. Vazamentos externos: normalmente observamos mais vazamentos dentro de casa, mais lembre-se de checar torneiras externas, encanamentos e mangueiras que pingam. Eles causam enormes desperdícios.
. Verifique sempre sua conta de água e observe a média gasta a cada mês. Uma variação acentuada pode indicar vazamentos ou uso indevido, com desperdício deste precioso bem.
. Na lavagem de louça: lavar louças, panelas e talheres com a torneira aberta o tempo todo acaba desperdiçando até 105litros. O certo é primeiro escovar e ensaboar tudo e depois enxaguar tudo de uma vez.
. Use a máquina de lavar roupas e a lavadora de pratos apenas quando estiverem cheias.
. Na lavagem de carros: com a mangueira aberta o tempo todo se consome, em média, 6000 litros. Com balde, aproximadamente 60 litros.
. Limpeza de aquários: quando limpar o aquário, use a água para regar as plantas. A água está enriquecida com nitrogênio e fósforo, proporcionando um fertilizante gratuito e efetivo.
. Em geral, nunca jogue fora a água que poderia ser usada mais de uma vez.
. No jardim: sempre regue seu jardim e gramado durante as primeiras horas da manhã, quando as temperaturas são mais frias, para minimizar a evaporação. Trnha em mente que em algumas famílias isso representa 50% do seu consumo de água.
. Não use a mangueira para limpar a calçada. Prefira uma vassoura, é mais adequada para a tarefa.

III – Acabar com a poluição nos rios e marés é uma questão de tempo

Veja quanto tempo à natureza leva para decompor cada material:

. Papel: de 3 a 6 meses.
. Vidro: 1 milhão de anos.
. Pano: 6 meses a 1 ano.
. Borracha: tempo indeterminado.
. Metal: mais de 100 anos.
. Nylon: mais de 30 anos.
. Chiclete: 5 anos.
. Filtro de cigarro: 5 anos.
. Plástico: mais de 100 anos.
. Madeira pintada: 13 anos.

IV – Sobre o lixo:

Cada brasileiro produz, em média, 365 kg de lixo por ano:

. O Brasil joga no lixo 4,5% do seu PIB (Produto Interno Bruto).
. Cada brasileiro gera entre meio e um quilo de lixo por dia.
. O país produz 90 mil toneladas de lixo por dia, o que corresponde a uma fila de 90 km com 12 mil caminhões de lixo cheios de lixo.
. Quase 60% dos municípios não dão um destino final ao seu lixo.
. Atualmente já reciclamos do lixo que produzimos 40% do alumínio, 37% do papel, 35% do vidro e 15% do plástico.
. O Brasil recicla somente 1,5% do lixo orgânico urbano.
. Apenas 140 cidades brasileiras possuem um programa de coleta seletiva do lixo.
. Na destinação final do lixo, 76% vão para o “Céu Aberto”, 13% para o aterro controlado, 10% para o aterro sanitário e 1% para usina de compostagem.
. Cerca de 20 milhões de toneladas de alimentos foram jogados fora no País.

V – Ecodicas para reduzir o lixo:

Todo mundo, enquanto cidadão, pode fazer uma grande diferença com pequenas ações. Não perca tempo e adote essas idéias:

. Pense duas vezes antes de jogar alguma coisa no lixo. Você pode reutilizá-la? Pode ser útil a outra pessoa?
. Consuma somente o que for realmente necessário.
. Tente reduzir a quantidade de materiais que são utilizados e comprados.
. Compre itens com menos embalagens ou com embalagens recicláveis e não tóxicas.
. Reutiliza recipientes e qualquer outro item que puder.
. Utilize os papéis dos dois lados.
. Sempre que possível, procure produtos com pepel reciclado.
. Dê preferência às sacolas de papel quando for fazer compras.
. Promova ações para cobrar dos responsáveis a garantia do destino final e adequado dos materiais.
. Implante em sua casa, condomínio, escola ou escritório atividades voltadas para o combate ao desperdício (água, luz), redução de lixo, reutilização de materiais e coleta seletiva.
. Se puder localizar uma cooperativa de catadores ou algum tipo de organização que recolha materiais recicláveis, use e combine os períodos de coleta.
. Divulgue seus pontos de vista, escreva cartas a jornais, rádio e órgãos públicos enfatizando a necessidade de reduzir o lixo e estimular a reciclagem.
. Motive as escolas a criarem cursos, centro de informação e programas de reciclagem.
. Repense seus valores. A natureza agradece.
________________________________
* Secretário Geral do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Japaratuba (CBHJ) e da Sociedade Sócio-Ambiental do Vale do Japaratuba (SOS Rio Japaratuba)

Nota:

¹ Com informações da Cartilha ‘DE OLHO NO AMBIENTE’ (Petrobrás).
.