17 de ago de 2009

Artesanato: mãos que constroem

Artesanato de palha de adicuri, confecção de esteira e bordado são exemplos da riqueza do artesanato de Pirambu ¹
Texto: Claudomir Tavares
claudomir@infonet.com.br

O município de Pirambu possui um dos mais ricos artesanatos do estado, com destaque para os confeccionados em palha de adicuri, as esteiras e o bordado.

No povoado Alagamar, distante 32 quilômetros da sede do município, são referências para Sergipe os chapéus, bolsas, tapetes e acessórios a base da palha de adicuri, como os confeccionados por Adriana e Denise (foto). Apesar da forte produção deste tipo de artesanato, as mulheres e homens que se dedicam à confecção e venda do produto, encontram muitas dificuldades para manter esta tradição que remonta do século XIX.

As esteiras de junco, produzidas por dezenas de famílias no povoado Aguilhadas, distante de Pirambu 5 quilômetros, podem ser encontradas nas principais feiras de Sergipe. Geralmente vendidas aos preços de 3 a 5 reais, duram até um ano, podendo ultrapassar, dependendo do grau de uso e estado de conservação.

Na sede do município, o grupo de bordadeiras incentivadas pelo Projeto Tamar, confeccionam há mais de dez anos, trabalhos nas modalidades ponto cruz, rendendê, crochê, surgindo daí os tipos: passadeiras, toalhas de rosto, bolsas, lenços, enfim, uma infinidade de produtos cuja procura tem aumentado a cada ano.

Ainda em Pirambu e nos povoados, pode-se encontrar entalhadores, escultores como Paulo Marcelino e familiares, que confeccionam as mais variadas obras de arte, como canoas, barcos, imagens de santo, animais, uma “impressão da nossa cultura”.

Vale a pena conhecer Pirambu e deleitar-se sobre o nosso rico artesanato.

Referências Bibliográficas:

ARTISTA do mês: Paulo Marcelino Lima. Jornal da Cultura, 08 de ago. 2002. p. 2.
FERREIRA, Isabel. In: BRANDI, Cleomar ett alli. Artesãos de Sergipe. Aracaju: Movimento Amigos da Arte, s/d

Nota:

¹ Publicado pela primeira vez em 28/01/2006

Nenhum comentário: