11 de mar de 2010

CE José Amaral Lemos: 40 anos do berço cultural de Pirambu

Escola é considerada berço cultural de Pirambu, uma referência em educação públuca no estado de Sergipe
Por Claudomir Tavares | claudomir@tribunadapraia.net


A História do Colégio Estadual José Amaral Lemos (que já foi Grupo Escolar e Escola Estadual) rendeu ao município de Pirambu algumas das mais belas páginas da História da Educação na região do Vale do Japaratuba. Aqui registramos alguns destes momentos que ficaram marcados definitivamente na trajetória de nossa cidade, a partir de textos e depoimentos de professores, alunos e ex-alunos desta que é considerada o berço cultural de Pirambu.

1.1.1 – José Amaral Lemos ¹

Nasceu na cidade de Maruim, onde no início do século XX era um dos maiores centros econômicos do Estado de Sergipe. Talvez por este motivo José Amaral Lemos transformou-se num comerciante de sucesso onde viajava periodicamente por todo o Vale do Cotinguiba com um comboio de animais vendendo mercadorias como mascate, nome dado ao profissional de vendas da época.

Nas suas andanças como mascote, conheceu Pirambu. Já viúvo, casou-se pela segunda vez onde fixou residência no então distrito de Japaratuba, mas precisamente em Pirambu. Tinha oito filhos do primeiro casamento, e mais quatro do segundo consórcio. Nunca exerceu cargo público, mas tinha grande influência nas decisões políticas do município.

Era proprietário de uma grande extensão de terras nas margens do rio Japaratuba, onde dentro de sua propriedade um pretendente quisesse fixar residência era obrigado a pagar uma espécie de taxa de uso da terra, como se fosse um imposto. Algumas pessoas dizem que ele cobrava a referida taxa somente para algumas pessoas, pois alegava que algumas provocavam danos a terra.

Era um homem católico, prestativo, humilde e honesto.

1.1.2 – A escola ²

A escola surgiu na gestão de dois grandes administradores, sendo um o governador Lourival Batista e o outro o prefeito Walter Amaral, que homenageava assim seu pai “José Amaral Lemos”, emprestando o seu nome para este estabelecimento de ensino.

A história do Amaral (como atualmente é conhecido), será contada através de décadas:

• Dia 11 de março de 1970 ela entra em atividade, como Grupo Escolar José Amaral Lemos;
• Nos anos 80 começa a fase de desenvolvimento da escola, com a mudança da cor da farda, ampliação da escola, fundação do 1º Grêmio em 23/08/1983 (embrião da Tribuna da Praia, hoje o mais acessado portal de notícias do interior de Sergipe) e o principal, a implantação do chamado Ginásio, de 5ª a 8ª séries (gradualmente, uma série por ano de 1981 a 1984, quando forma a primeira turma do 1º grau - da qual fazíamos parte);
• A formação da primeira turma do 1ª Grau em 1984 foi um dos mais significativos momentos da História do Amaral Lemos e em 2005 marcou as bodas de prata desta marca inapagável, uma das mais belas páginas da história desta escola que é um orgulho para a sociedade pirambuense;
• Anos 90, na busca da interdisciplinaridade a escola trabalha formas diferentes no processo de aprendizagem através de gincanas sócio-culturais, esportivas e ambientais;
• Ao longo deste período a escola não deixou de prestar algumas homenagens e agradecimentos especiais às pessoas que contribuíram para o sucesso desses anos todos, a exemplo de dona Ester do Amparo, ex-diretora, dona Júlia Cruz, ex-professora (in memorian) e dona Maria Macambira, ex-merendeira (in memorian).
• O Amaral Lemos entrou no 3º Milênio com o universo de seus estudantes representando a esperança de um mundo melhor para todos.
• Atualmente o Colégio Estadual José Amaral Lemos é o maior referencial em esporte estudantil, conseguindo em 2009 a primeira colocação entre todas as escolas da rede estadual participantes dos XXVIJogos da Primavera.
• Em 1992 o Amaral Lemos aprovou seus primeiros ex-alunos no Vestibular da Universidade Federal de Sergipe (UFS), a saber, João Batista Almeida (Geografia), Claudomir Tavares (História) e Edjânio Souza de Vasconcelos (Matemática).
• Dentro da politica de quotas, que veio corrigir uma distorção e democratizar o acesso ao Ensino Superior, a instituição conseguiou superar todos os seus recordes e aprovou vários alunos (oito no total) e ex-alunos para o Vestibular 2010 desta instituição.

1.1.3 – Berço Cultural de Pirambu ³

Ao longo destes anos, o Colégio Estadual José Amaral Lemos conseguiu para si o sugestivo título de ‘berço cultural de Pirambu’, em função das grandes iniciativas que foram desenvolvidas em seu interior, ou por iniciativa de seus atores sociais (alunos, professores, coordenação, equipe de apoio e direção) fora de seu ambiente físico.

A escola foi referencial em apresentações culturais e desportivas, conquistando vários prêmios dentro e fora do estado, numa prova inequívoca do seu compromisso com a educação emancipatória, muitas vezes amordaçadas, mas sempre encontrando os elos da liberdade que insistiam em levar adiante esta bandeira que é um orgulho de instituição cravada na História de Pirambu.

Comunidade no Orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=36796412
Blog do Amaral: http://amarallemos.blogspot.com/
Notas:

¹ Trabalho desenvolvido pelos alunos Ykaro Barreto, Delane Calheiros e Ricardo Santos, alunos do Colégio Estadual José Amaral Lemos, sob orientação da professora Valderina Ferreira Oliveira de Andrade
² Adaptado do texto elaborado por ocasião dos 32 anos do Amaral (2002) pela professora Maria Izabel do Carmo, coordenadora pedagógica do ensino fundamental do Colégio Estadual José Amaral Lemos.
³ Texto elaborado pelo professor Claudomir Tavares da Silva, professor de História do Colégio Estadual José Amaral Lemos (1988/2002 - 2007/2008)

_______________________________
* Claudomir Tavares (41) é professor de Sociedade e Cultura da Escola Municipal Mário Trindade Cruz (Pirambu), de Filosofia, Filosofia da Educação e de Cultura Sergipana no Colégio Estadual Joana de Freitas Barbosa (Propriá) – Situação em 2010. Licenciado em História pela UFS (2002), com Pós Graduação em Gestão de Recursos Hídricos (Aperfeiçoamento – Concluído - 2007/2008 / Cursando Especialização – 2009/2010) pela UFS e Didática e Metodologia do Ensino Superior pela Faculdade São Luís de França (2006). Foi secretário geral (2007/2008) e presidente (2008/2010) do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Japaratuba, membro fundador da Sociedade Sócio-Ambiental do Vale do Japaratuba - SOS Rio Japaratuba (desde 1998), presidente municipal (desde 2008) e secretário estadual de Assuntos Parlamentares do Partido Verde (da Executiva Estadual desde 2005) e Diretor-Fundador do Jornal Tribuna da Praia (Impresso desde 1983 e Online desde 2004). Mantém site, blog, twitter, perfil e comunidade no Orkut.

PSIU: A utilização deste e outros artigos (o que deve ser feito na íntegra, sem cortes e ou edições) devem respeitar a Lei dos Direitos Autorais. Sua veiculação deve ser previamente autorizada por escrito e as informações autorais devem ser preservadas.

Nenhum comentário:

TODAS AS NOTÍCIAS