12 de abr de 2010

Sessão da Câmara de Pirambu dura apenas 28 minutos

Foi o tempo necessário para a bancada da situação sacramentar voto contra professores
Por Claudomir Tavares * | claudomir@tribunadapraia.net
A última sessão da Câmara Municipal de Pirambu, realizada na noite da última quinta-feira, 08/04, foi mais uma que ficará marcada em nossa memória, não pela qualidade da intervenção dos seus integrantes, mais pelo espetáculo proporcionado. Além do presidente da casa, vereador Juarez de Deus Alves, PMDB, ter impedido a assinatura de sua presença no livro reservado para tal e a conseqüente participação do vereador Claudio Ferreira Pinto, PDT, que chegou ao recinto exatos 9 minutos (o atraso nas sessões, que sempre começam depois das 20 horas, é algo comum naquela casa) depois do início da fatídica sessão que preservou o veto do prefeito Zé Nilton as emendas dos professores ao Projeto Nº 17/2009, já exaustivamente discutidas neste espaço, esta estendeu-se das 20h10min até às 20h38min, exatos 28 minutos, quando o comum é que as sessões durem, pelo menos uma hora, algo razoável.

É comum, ao ser lida a pauta ouvirmos: “expedientes do Executivo: não tem, expedientes Legislativo: não tem, expedientes de Outros Órgãos: ofício, etc.” São ações (ou falta delas) como estas, que tem credenciado aquela Casa do Povo, que deveria ser a Casa da Cidadania, em Casa da Prosperidade, conforme definiu em artigo publicado neste portal em 2009 o agora presidente municipal do PT, estudante Elder Muniz. Ali tem sido constante o exercício de práticas inconstitucionais, votos contra os servidores municipais, sempre para agrado exclusivamente do chefe do executivo. Aquela casa, tem se transformado em uma extensão do Poder Executivo, tendo alguns parlamentares (felizmente, não todos) atuando como meros satélites da prefeitura, está mais para Parlamento Municipal, que Poder Legislativo.

O curioso é que a matéria não é importante (e tem matéria que não é importante?), parlamentares tem atrasado 10, 20, 30,... ou se quer comparecem as sessões para as quais recebem muito mãos do que merecem e depois aparecem lá no espaço reservado as anotações a justificativa para suas faltas. Aqui não sabemos se incentivamos a população para comparecer as sessões para ficar vigilante diante da atuação (ou falta delas) de parte dos parlamentares, ou incentivamos o contrário, pelos espetáculos deploráveis que tem acontecido na atual legislatura e que tem superado outros vividos ao longo dos últimos 45 anos de História Política de Pirambu. Lamentável!

Nas próximas postagens, continuaremos registrando os melhores (e piores) momentos da Casa da Prosperidade, ou melhor Câmara Municipal de Pirambu.

Nenhum comentário:

TODAS AS NOTÍCIAS