7 de nov de 2010

“Meio Ambiente, Território e Turismo no Litoral Sergipano”

Os interessados em estudar as questões do espaço sergipano já têm à disposição, o livro “Meio Ambiente, Território e Turismo no Litoral Sergipano”, que tem como objetivo principal “puxar” e contribuir com um debate sobre o (des)ordenamento territorial dos cenários ambientais existentes no litoral do Estado. O livro, organizado pelos professores José Wellington Carvalho Vilar e Hélio Mário de Araújo, foi lançado na última quinta-feira, 4, na Sociedade Semear.

O livro é uma coletânea de textos produzidos por uma equipe da Universidade Federal de Sergipe e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe (IFS), composta por pesquisadores pós-graduados e especialistas em diversos ramos das Ciências Geográficas, e foi desenvolvido na perspectiva de contribuir para a discussão sobre o ordenamento territorial dos cenários ambientais existentes no litoral sergipano.

De acordo com os textos, a ocupação territorial e turística do litoral sergipano vem transformando as paisagens naturais com a inserção de novos objetos geográficos, provocando impactos positivos e negativos que precisam ser bem avaliados na perspectiva do uso sustentável desse espaço entre a terra e o mar.

Os organizadores da publicação dizem que “atualmente, a construção das mais variadas infraestruturas de transporte e comunicação no litoral sergipano evidencia uma nova lógica de estruturação do território com protagonismo para três vetores de ocupação do espaço geográfico: a indústria, a urbanização e o turismo. Ademais, a valorização social das praias e dos ambientes costeiros tem acentuado a ocupação e aumentado a especulação imobiliária, ampliando assim a complexidade territorial desse espaço multidimensional, ambientalmente frágil e socialmente atrativo”.

A estruturação dos temas foi feita de acordo com os seguintes eixos: perspectivas de ordenamento territorial, dinâmica ambiental e turismo e desenvolvimento territorial. O conteúdo do livro está distribuído em capítulos nos quais são analisadas as características das dinâmicas socioambientais e os cenários territoriais, suas potencialidades e limitações geoambientais.

Para a adequação das atividades relacionadas ao turismo, à pesca e aos recursos hídricos, foram confrontadas as características demográficas e sócio-econômicas com as políticas territoriais vigentes sob a ótica do desenvolvimento territorial.

O Zoneamento Ecológico-Econômico é indicado como um instrumento técnico-político necessário para a identificação das diversidades espaciais contidas no território, considerando as estruturas geográficas, as dinâmicas próprias e o prognóstico de mudanças previstas nas paisagens litorâneas em função de futuras ações de ordenamento e sugestão de ações corretivas e preventivas.

De acordo com a Prof. Dra. da Universidade Federal da Bahia, Teresa Cardoso da Silva, autora do prefácio da obra, o bom resultado alcançado pela publicação do compêndio deve-se “ao nível elevado de competência da equipe executora e dos organizadores, pautados no ideário do desenvolvimento territorial sustentável com os quais me confraternizo”, explicitou.

Nenhum comentário:

TODAS AS NOTÍCIAS