4 de jun de 2008

O Incrível Exército de Brancaleone


I - A História no Cinema

As aulas de História no Colégio Estadual 'José Amaral Lemos', da ciade de Pirambu, ganharam desda a semana última passada um ingrediente agradável, com a introdução da Série 'A História no Cinema', um projeto que utiliza os recursos do cinema como canal de transmissão e reflexão sobre os eventos históricos.


Este projeto apenas reforça a utilização deste importante recurso que é a utilização de vídeos, exercício colocado em prática pelo professor Claudomir Tavares da Silva desde 1988 quando iniciou sua ação pedagógica naquela instituição, mas agora ganha novas dimensões, através de um processo bastante elaborado, e que tem contado com a sensibilidade dos colegas professores de disciplinas como Física, Química, Geografia e Literatura que tem cedido aparte de seus horários para a exibição do filme, o que não seria possível se fosse feito apenas nas aulas de História.

O filme que deu o 'ponta-pé' inicial ao Projeto foi 'O Incrível Exército de Brancaleone', que está sendo exibido nos 1º Anos A, B (Vespertino), C e D (Noturno). A segunda etapa será o discussão do seu conteúdo, a associação com o contexto histórico e elaboração de texto escrito. O resultado tem sido bastante satisfatório, uma vez que é grande o interesse demonstrado pelos alunos, através da concentração, brilho nos olhos e comentários elogiosos tanto sobre a metodologia quanto com relação ao conteúdo da peça audio-visual escolhida.

II - Filme

Título do Filme: O Incrível Exército de Brancaleone
(Lâ?? lncredible Armata Brancaleone, ITA 1965)
Direção: Mário Monicelli
Elenco: Vittorio Gassman, Gian Maria Volonté, Catherine Spaak, 90min, Look Filmes

III - Resumo

Este clássico do cinema italiano, retrata os costumes da cavalaria medieval através de uma demolidora e bem humorada sátira. A figura central é Brancaleone, um cavaleiro atrapalhado que lidera um pequeno e esfarrapado exército, perambulando pela Europa em busca de um feudo. Trata-se de uma paródia a D. Quixote de Cervantes.O filme consegue ser hilário, mesmo na reconstituição dos aspectos mais avassaladores da crise do século XIV, representados pela trilogia "guerra, peste e fome". Utilizando-se sempre da sátira, o filme de Monicelli focaliza a decadência das relações sociais no mundo feudal, o poder da Igreja católica, o cisma do Oriente e a presença dos sarracenos.

IV - Contexto Histórico

A Baixa Idade Média estende-se do século XI ao XIV, caracterizando a crise do feudalismo.

O processo de decadência do sistema feudal tem origem nas próprias contradições inerentes a qualquer modo de produção. No século XI, com a necessidade de aumentar a produção de alimentos, os senhores feudais aumentaram a exploração sobre os servos, que iniciaram uma série de revoltas e fugas, agravando a crise já existente.

As cruzadas entre os séculos XI e XIII representaram um outro revés para o feudalismo, já que Jerusalém não foi reconquistada pelos cristãos e o cristianismo não foi reunificado, com as igrejas Católica Romana e Ortodoxa permanecendo separadas. A reabertura da navegação no Mediterrâneo entre Oriente e Ocidente (principal desdobramento das Cruzadas), resultou no crescimento de relações econômicas mais dinâmicas, representadas pelo Renascimento Comercial e Urbano.

O trinômio "guerra, peste e fome", que marcou o século XIV, afetou tanto o feudalismo decadente, como o capitalismo nascente. A Guerra dos Cem Anos (1337-1453) entre França e Inglaterra devastou várias regiões da Europa, enquanto que a "peste negra" eliminou cerca de 1/3 da população européia. A destruição dos campos, devastando plantações e rebanhos, trouxe a fome e a morte.

Nesse contexto de transição do feudalismo para o capitalismo (passagem da Idade Média para Moderna), além do desenvolvimento do comércio monetário, notamos transformações sociais, com a projeção da burguesia, políticas com a formação das monarquias nacionais, culturais com o antropocentrismo e racionalismo renascentistas, e até religiosas com a Reforma Protestante e a Contra Reforma. Nota-se ainda, o início do processo de expansão ultramarina, que abrirá os horizontes comerciais para os Estados europeus fortalecendo tanto a burguesia como os monarcas absolutistas.

Fonte


Disponível em: <http://www.historianet.com.br/conteudo/default.aspx?codigo=260 - Acessado em: 03 Jun 2008

Nenhum comentário:

TODAS AS NOTÍCIAS