15 de jun de 2008

Panorama Político

Por Cícero Mendes cicero@infonet.com.br

PT e os Moura

Hoje (domingo) o PT de Pirambu decide oficialmente se terá candidatura própria a prefeito ou se apóia uma chapa majoritária formada por partidos da base de apoio ao governo estadual. Há uma divisão dentro do partido. De um lado os companheiros comandados pelo presidente Antônio Zacarias (leia-se Rogério Carvalho) e do outro os ligados ao vereador Badinho e seu irmão Vado de Gago (leia-se Ana Lúcia e Nilson Lima). O primeiro grupo defende que a escolha do candidato seja feita em consenso com todos os partidos aliados através de uma pesquisa. Já o segundo não abre mão da candidatura de Vado de Gago.

PT e os Moura 2

A segunda opção divide e expõe o bloco a uma possível derrota para Élio Martins (DEM), cunhado de André Moura (PSC). O estranho é que tanto Vado como Badinho nutrem uma amizade muito próxima a Guilherme Zacarias (DEM), vice-prefeito afastado, e Valdir, presidente do PTB e irmão do ex-secretário de Finanças nas gestões André Moura, Antônio Carlos. Badinho, por sinal, foi o único vereador que fez questão de visitar Guilherme quando ele assumiu, de forma relâmpago, a prefeitura do município com a saída de Juarez. Para alguns, a estratégia dos Moura passa por incentivar a candidatura do petista, facilitando o retorno da família ao poder.

Tentáculos de Gilton

O empresário Gilton Andrade, da banda Calcinha Preta e do Sistema Liberdade de Comunicação, acostumado a agir nos bastidores financiando candidaturas do seu interesse, principalmente na região do Vale do Cotinguiba, começa a dar as caras na escolha dos postulantes aos cargos majoritários da eleição de outubro. Sua mais recente investida é em Japaratuba. Sua intenção é indicar o radialista Márcio Campos, da Rádio Ouro Negro FM, de sua propriedade, como vice na chapa encabeçada por Lara Moura (PRB).

Tentáculos de Gilton 2


O empresário já avisou que investirá todas as forças e recursos necessários para garantir a eleição da dupla, que terá como principal adversário o ex-prefeito Hélio Sobral (PMDB). Aliás, não se entende como o Ministério Público Estadual ainda não abriu a caixa preta da Miami Eventos, a empresa que mandava e desmandava em vários contratos artísticos nas prefeituras da região e que foi fechada recentemente sem muita explicação. Zé de Helena, aquele que ficou famoso por agenciar shows com quantias fabulosas, é fichinha perto do poderoso homem da Calcinha Preta.

Conversando

Lideranças políticas do PT e PSC de Graccho Cardoso têm se reunido para construir uma alternativa viável à sucessão da prefeita Maria Crizabete (DEM). O PT defende que a composição tenha como candidato a prefeito o vereador Francisco Pipio, e que o PSC indique o ex-prefeito Liro para vice. Na opinião dos petistas, há diversas razões para essa formatação: o poder precisa ser alternado em Graccho Cardoso, pois desde 1982 a cidade é administrada pela família do deputado João da Graças; e o município precisa conhecer a experiência de ser administrado simultaneamente pelo partido do governador e do presidente da República.

Caminho próprio

Enquanto o empresário Jorge Mitidieri (DEM) resolveu desistir de ser candidato em Boquim, o PT resolveu rachar de vez com o bloco do prefeito Pedro Barbosa (PMDB). No último final de semana, os petistas ratificaram apoio à pré-candidatura do bancário Chicão Almeida (PCdoB), tendo como vice Antonio Fernandes (PT). Atualmente os comunistas ocupam a vice do prefeito com Genivaldo Menezes. As lideranças dos dois blocos estão conversando com outros partidos a fim de fortalecer o projeto político, tornado-o viável para a apresentação de um nome alternativo aos Barbosa e aos Fonseca no município.

Indefinido

O PPS de Simão Dias ainda não decidiu qual rumo tomar na sucessão municipal. Segundo seu presidente, o ex-vereador Lero, existem três caminhos a seguir. Primeiro sair com uma pré-candidatura. Neste caso, o nome mais provável é o de Lenivaldo Nunes, irmão do ex-prefeito Luiz Albérico (PMDB), que será o vice de Denisson Déda (PT). Segundo indicar o vice numa chapa majoritária. E terceiro, sair só com candidatos ao Legislativo, liberando seus filiados para votarem em qualquer um dos candidatos a prefeito.

Definindo-se


Em Nossa Senhora das Dores, oposição e situação começam a definir a composição das chapas. A novidade é a possibilidade do PRB do Pastor Heleno indicar o vice do ex-prefeito José Américo (PMDB). Neste caso, o nome seria do empresário César Batalha. Do bloco governista, a escolha ficará entre Aldon Luiz (PSB) e Doutor Gilberto (PT). Em consenso, eles definiram que quem estiver melhor irá para a disputa contra Zé Neto, candidato do prefeito Fernando Lima (PDT), e José Américo. Mais novidades surgirão nos próximos dias.

Aberta a discussão

Quatro nomes disputam a indicação de vice na chapa da prefeita de Itabaiana, Maria Mendonça (PSB). Eduardo Amorim (PSC) tem duas sugestões: a irmã Edilma Amorim e a vereadora Edilene Barros, ambas do PSC. A atual vice, Maria José Melo (PDT), permanece como uma forte candidata ao cargo. Já o PT quer indicar Gilmar Passos, e vai pedir a intervenção do governador Marcelo Déda. A prefeita já declarou em público que não tem nenhum problema em permanecer com a atual vice, mas se o conjunto dos partidos que irão compor a base da aliança entender que existe outro nome, ela está aberta para discutir.

Renúncia?

José Teixeira (PSB) disse que a informação que circulou no município de que renunciaria ao cargo é pura especulação. No entanto, ele não descartou a possibilidade dele optar pela renúncia nos próximos dias. A saída seria seu desinteresse em administrar o município. “Estou me sentindo um boneco da prefeitura, sem ação para nada. A Câmara sabota qualquer iniciativa e conquistas que a gente consegue para o povo”, queixa-se o prefeito de Neópolis, que irá apoiar o seu vice Carlos Guedes, o Carlinhos (PTB), na disputa contra Amintas Diniz (PDT).

Transcrito do Jornal da Cidade - Em: 15/06/2008

Nenhum comentário:

TODAS AS NOTÍCIAS