13 de out de 2010

Manifestações artísticas e culturais celebram os 180 anos de Antônio Conselheiro

Atividade constou de peças teatrais, poesia, religiosidade  popular e muita música
Por Claudomir Tavares | claudomir@tribunadapraia.net
 
A cidade de Uauá, no sertão da Bahia, foi palco na noite de sexta-feira, 08/10, de manifestações artísticas e culturais. A programação foi parte integrante da XXVII Celebração Popular pelos Mártires de Canudos, em que comemorou os 180 anos de Antônio Conselheiro: semeando idéias, construindo identidades.

Teatro, exposições de fotografias, poesias, apresentações folclóricas, forró, banda de pífano e cantoria com Paulinho Jequié, Wilson Aragão, Rose, Tato Lemos, Dinho Oliveira e outros. As atividades aconteceram no Colégio Estadual “Antônio Conselheiro” (CEAC), onde ficaram hospedadas as delegações de Sergipe e Bahia, e integraram a programação da IV Semana Cultural daquela instituição de ensino.

As atividades do sábado, 09/10, tiveram início no povoado de Bendegó (Canudos), com uma homenagem póstuma a Doma Maria de Pedrão, falecida recentemente, em frente a residência onde a adorável e receptiva senhora residia. Falações, poesias, reza, cantoria e apresentação do Reisado de São José marcaram a atividade que foi mais um gesto de gratidão a quem recebia com tanta gentileza as delegações que há 26 anos (seria 27 se ela estivesse viva este ano) celebram os mártires de Canudos.

No final da manhã, sergipanos e baianos foram ao Mirante de Canudos, no Parque Estadual de Canudos (mantido pela Universidade Estadual da Bahia – UNEB). Em seguida as atividades aconteceram no Açude de Cocorobó, no povoado de Canudos Velho, no município de Nova Canudos. A tarde aconteceu a Alvorada do Bom Jesus: celebração popular, atividades artísticas e culturais – teatro, poesia, debate e cantoria. Na noite de sábado para domingo, a delegação de São José (Japaratuba) ficou hospedada na Escola Municipal Maçônica Acácia.
A programação da XXVII Celebração Popular pelos Mártires de Canudos prosseguiu no domingo, 10/10, na cidade de Monte Santo, com Subida ao Santuário da Santa Cruz (não tivemos coragem de fazê-lo) com parada no Centro de Lazer Amélia Andrade, local em que os participantes participaram de atividades artísticas: poesia, teatro, reisado (de São José), cantoria com Fábio Paes, Gereba, Joaquim Antônio, Wilson Aragão e outros. No local foi realizado o Bingo dos Amigos de Canudos, em prol Grupo de Teatro Canudos em Movimento

Luiz Alberto

O professor e antropólogo Luiz Alberto Santos (UFS), ex-secretário de estado da Cultura e atual responsável pelo setor de Patrimônio Cultural, está participando da XXVII Celebração Popular pelos Mártires de Canudos. Ele se integrou as atividades desde Uauá, esteve no Açude de Cocorobó e hoje estará em Monte Santo.

Mestre Marlene

Líder do Grupo Folclórico São João na Roça, a mestre Marilene Moura tem se apresentado da celebração com seu grupo de forma ininterrupta desde 2007. A cada ano, o grupo que se transforma em Reisado, encanta com seu místico cultural das mais diversas atividades. Este ano, além das homenagens a Dona Maia de Pedrão, o Reisado de São José se incorporou as apresentações da Alvorada do Bom Jesus, as margens do Açude de Cocorobó e no encerramento proporcionou um dos momentos mais significativos da celebração: uma homenagem ao grande mestre Josa, o Vaqueiro do Sertão, presente ao evento no Centro Amélia Andrade.

Reisado da Barra

O Reisado da Barra, cujos integrantes residem na fazenda do mesmo nome, no município de Monte Santo, esteve se apresentando na tarde de ontem da Alvorada do Bom Jesus. Segundo dona Rosa, líder do grupo, a tradição teve início com seu pai, e hoje o grupo se apresenta de forma ‘atrevida’ (de surpresa, em uma residência previamente escalada pelo grupo) e como convidada, quando solicitada por pessoas ou comunidades. Difere dos reisados conhecidos dos sergipanos, mas mantém o colorido e o belo que é a espontaneidade e extemporaneidade  cultural.

Joaquim Antônio

O músico Joaquim Antônio, que há mais de 10 anos participa da celebração de Canudos, esteve participando da cantoria de Cocorobó. O líder do grupo Casaca de Couro (forró, folclore e vaquejada), cuja parceria com o Reisado de Maribondo, selou definitivamente sua ligação com a cultura de Pirambu, foi o primeiro ‘cantador de Canudos’, e deu o tom do fundo musical da celebração de religiosidade popular,enquanto teatro, São João na Roça e caravana de Japaratuba se apresentava.

Estudantes presentes

Estudantes de escolas sergipanas estão participando da XXVII Celebração Popular pelos Mártires de Canudos. São 10 da Escola Municipal Vereador João Prado (povoado São José), 7 do Colégio Estadual José de Matos Teles (Japaratuba) e 1 do Colégio Estadual José Amaral Lemos (Pirambu). Além de estudantes, participam da celebração professores de ambos os municípios, entre os quais Luciano Acciole (Japaratuba) e Claudomir Tavares (Pirambu).

Carlos Liberato

Professor do Departamento de História da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Carlos Franco Liberato participou das atividades alusivas a XXVII Celebração Popular pelos Mártires de Canudos. Ele preserva assim a presença da nossa universidade que sempre disse sim ao Movimento Popular e Histórico de Canudos, através de José Paulino da Silva, Chico Buchinho, entre outros.

Nossa presença

A Tribuna da Praia participou pela terceira vez da Celebração. A primeira aconteceu em 1999 (16ª Celebração), a segunda em 2007 (24ª  Celebração)) e este ano retorna a terra da cenário da Guerra de Canudos nos 180 anos de nascimento do cearense Antônio Vicente Mendes Maciel, o Antônio Conselheiro.

Nenhum comentário:

TODAS AS NOTÍCIAS