24 de ago de 2010

Repertório Folcórico de Pirambu - Parte III

Riqueza e diversidade de um dos mais completos repertórios folclóricos de Sergipe
Por Claudomir Tavares da Silva * | claudomir@tribunadapraia.net

O Lariô de Tartaruga foi fundado em 2005, fruto de uma cisão com o Ilariô de Pirambu, fundado um ano antes

III - Lariô da Tartaruga

A região do Vale do Cotinguiba é um rico depositário das danças de rodas, do samba-de-coco, de grupos folclóricos que reúne elementos dos fazeres populares. O ilariô foi no passado uma das mais alegres brincadeiras que reunia crianças, mulheres e homens de todas as idades. Há dezesseis anos foi retomada a tradição folclórica do ilariô em nossa cidade.
 
O “Lariô da Tartaruga” 5 é um destes grupos criados com o propósito de manter uma das manifestações mais autênticas de nosso povo. Para efeito de história, o Lariô da Tartaruga reivindica a mesma data de fundação do Ilariô de Pirambu, uma vez que ambos foram fruto de uma iniciativa que puseram à frente os mesmos líderes, sendo os que fizeram opção por este grupo, seu Zé Maria, Dona Jaci, Seu João Castelo, Dona Elze entre outros. 
Após o processo de divisão, o grupo foi reorganizado, existindo desde 1995, sendo um dos mais representativos grupos do folclore pirambuense, com apresentações que o credenciaram em Sergipe e no Brasil.

O Lariô da Tartaruga “é um grupo que dança coco cantando, acompanhado por instrumentos de percussão. Pisam forte, batem palmas e vão desfilando seus versos de forma encadeada. Os versos tirados são complementados pelo coro dos brincantes, embora não se caracterize como refrão. O canto é repetitivo. Como um remanescente do batuque de origem africana, o coco se espalhou pelo Nordeste ganhando, entretanto vários nomes como: Coco Praieiro na Paraíba, Coco Zambé no Rio Grande do Norte, Coco de Roda em Pernambuco, Samba de Coco em Sergipe. Em Sergipe temos vários tipos de cocos: coco simples, coco de parelha, coco solto, coco de roda. O canto, nasalado vai buscando temas no mar, no amor, nos animais que habitam as florestas”. 6

Continua...

* Professor de Sociedade e Cultura Sergipana nas  redes públicas municipal em Pirambu, estadual em Propriá e de História no Pré-Universitário - Pré-UNI/SEED. Pesquisador da História e Cultura de Pirambu, autor de vários documentos sobre estas temáticas.

Referências Bibliográficas:

Acervo do professor Claudomir Tavares da Silva
Agenda Cultural – 2004. Pirambu: Departamento de Cultura
REISADO do Maribondo. Jornal da Cultura, jul. 2002. p. 1
Revista Sergipe Trade Tour – 2003/2004
Revista Sergipe – A Novidade do Nordeste.
Silva, Claudomir Tavares da. A volta triunfante da Ugia de Pirambu. Pirambu: Tribuna da Praia, 2007
............................................. Folclore debutante em Pirambu. Pirambu: Blog do Ilariô de Pirambu. 2009. Disponível em:
............................................. Poeirinha: 15 anos de resistência cultural em Pirambu. Pirambu: Tribuna da Praia, 2007

Notas: 

5 O nome Lariô foi adotado para diferenciar os dissidentes do Ilariô de Pirambu
6 Segundo a pesquisadora Aglaé Fontes de Alencar

Fonte: TRIBUNA DA PRAIA.net - Em: 24/08/2010

Nenhum comentário:

TODAS AS NOTÍCIAS