26 de ago de 2010

SINTESE realiza Assembleia Geral em Pirambu

Reunião está marcada para as 15 horas no Clubinho da Tartaruga, e deve reunir dezenas de educadores da sede do município e seus respectivos povoados
 
Indignados com o não cumprimento dos sucessivos Termos de Ajustes de Condutas (TAC’s), fruto de inúmeras e inomináveis Audiências Públicas celebradas com a chancela do Ministério Público, com o não cumprimento da Lei 11.738 e com o caos que se instalou na educação pública em Pirambu já há alguns anos, professores da rede municipal de ensino de Pirambu estarão reunidos na tarde de hoje a partir das 15 horas no Clubinho da Tartaruga em Assembleia Geral Extraordinária. Na ocasião serão discutidos os seguintes pontos de pauta, conforme edital assinado pela professora Ângela Maria de Melo, presidente do SINTESE:

a) Informes, discussão e encaminhamentos da luta pela efetiva Integralização do PSPN (Piso Salarial Profissional Nacional) em Pirambu, conforme prevê a Lei Federal Nº 11.738/2008;
b) Informes e encaminhamentos da luta sobre a jornada de trabalho dos com carga horária de 160 h (cento e sessenta horas) ¹
c) Discussão e encaminhamento da luta sobre o pagamento da Gratificação de Titulação e a Mudança de Nível dos Profissionais do Magistério Público:
d) Eleição de 02 (dois) educadores, sendo 01 (um/a) Titular e 01 (um/a) Suplente, para representar o Magistério Público Municipal de Pirambu na Comissão de titulação; e
e)  O que ocorrer (aí entra o Movimento SOS Mário Trindade e o Desfile de 7 de Setembro de 2010).

¹ Perseguição Política – Será que desta vez o sindicato irá lembrar que o professor Claudomir Tavares, vítima de perseguição política e que teve sua carga horária reduzida de 200 para 160 horas (uma conquista que o profissional havia obtido há 10 anos) arbitrariamente pela administração municipal, vítima de um acordo ainda hoje mal esclarecido do próprio SINTESE (e nunca fruto de deliberação da categoria), terá sua luta encampada pelo SINTESE local, ou mais uma vez este prevaricará, como tem feito de forma injustificada há dois anos?
Esta questão foi levantada em uma Audiência Pública, realizada em 09 de março de 2010, depois de insistentes recursos do prejudicado, dado provimento pelo Ministério Público que fixou prazo para resolução da aberração, e até hoje nem a Secretaria Municipal de Educação nem o SINTESE encaminharam as determinações da Promotoria, da qual se aguarda uma resposta a este crime cometido pelo poder público, pois Claudomir teve sua carga horária reduzida em pleno Período eleitoral 2008, quando estava candidato a um cargo eletivo.

Claudomir Tavares, que não participa da Assembléia de Hoje por estar representando não só Pirambu bem como Propriá, cidades em que ministra aulas de Sociedade, Cultura e Artes Sergipana no I Fórum da Sergipanidade, que acontece no Centro de Convenções de Sergipe, descreve esta perseguição da prefeitura de Pirambu e o comportamento do SINTESE diante do episódio de domínio público, citando uma frase do dramaturgo alemão Bertolt Brecht (1898 – 1956), quando disse que “a omissão é o peso morto de História”! ESTAMOS DE OLHO!

Fonte: TRIBUNA DA PRAIA.net - Em: 26/08/2010

Nenhum comentário:

TODAS AS NOTÍCIAS