8 de fev de 2010

Homenagens ao Bom Jesus encerraram-se na manhã de ontem

Retirada dos mastros simbolizam os 15 dias de homenagem em Propriá

Os primeiros raios do Sol foram as luzes que iluminaram o voluntarioso trabalho de dezenas de homens que se reuniram em torno dos mastros fincados em quatro pontos as margens do rio São Francisco, em Propriá. Em dois deles, os da Avenida Prefeito Nelson Melo e da Poeira (e Matadouro), a tradição se faz como há quase sessenta anos, com a colocação no domingo anterior a procissão fluvial, que acontece sempre no último domingo do mês de janeiro e retirada uma semana depois, sempre acompanhado de muito simbolismo, de religiosidade popular. Em outros dois, os mastros da Quintino Bocaiúva e Banca do Peixe, seus organizadores optaram pela substituição do mastro de madeira por um de cimento, sendo estes fixos, apenas sendo colocadas e retiradas as bandeiras.

Um novo mastro – As populações residentes no entorno das ruas da frente foram acordados com os primeiros fogos, que com o passar das horas, tornaram-se cada vez mais fortes. Acompanhamos o descerramento do mastro da Avenida Prefeito Nelson Melo, por estar nas proximidades de nossa sucursal no baixo São Francisco e testemunhamos o comprometimento daquela comunidade com a preservação da tradição. Os organizadores informam que “neste ano será retirado e preparado um novo mastro, pois o atual já se encontra com início de consumo pela praga do cupim”, disse o senhor Pedro Neto, da coordenação do mastro da Nelson Melo. “Em 2011 estrearemos um novo mastro”, completa ele.

Homenagens – O mastro da Nelson Melo é famoso por homenagear alguns dos seus ex-participantes, e que estão em um outro plano, próximo do Senhor. São eles: Manoel Gaudêncio Santana (Gaudêncio), Raimundo B. Silva (Raimundo), Antônio O. Barreto (Totozão), Eliano Barreto (Camura), Tarciso Santana (Tarciso), Roldão Bomfim (Roldão), José Iêdo Costa (Iêdo), Antônio Vieira Feitosa (Antônio Cedreiro) e Agnaldo Felix da Silva (Guina).

Nenhum comentário:

TODAS AS NOTÍCIAS