7 de set de 2010

Ana Lúcia abraça causa do Rio Japaratuba

Deputada fará pronunciamento municiado, em parte, por informações veiculadas em nosso site
Por Claudomir Tavares * | claudomir@tribunadapraia.net

Deputada Ana Lúcia fará pronunciamento denunciando agressão ambiental ao Rio Japaratuba, em Pirambu

Há exatos 23 anos, um crime ambiental da maior proporção tem sido cometido contra o Rio das Pedras, leito natural do Rio Japaratuba, em Pirambu. Trata-se da obstrução do rio, no ponto conhecido como Pedras, pelo senhor Carlos Barreto Barbosa, proprietário daquelas terras por onde passa o rio, cuja importância sócio-econômica é de tamanha relevância para cerca de 100º famílias dos povoados Aguilhadas, Bebedouro, São José, Maribondo e adjacências.

A primeira denúncia, ainda que em carater informal, fora feita pela Colônia de Pescadores, na gestão do então presidente Adelmo dos Santos, em 1990. A Tribuna da Praia, portal que tem pautado sua existência na defesa do meio ambiente e no combate as agressões ambientais, registrou o acontecimento e posicionou-se contrário, logo denunciando em edições impressas publicadas a parti daquele ano, três anos depois da explosão do maior conflito ambiental da História de Pirambu, cometido contra aquele que é indubitavelmente o maior patrimônio natural não só de Pirambu, mas de 20 municípios sergipanos.

Atores sociais – Há cinco anos tem se intensificado o cerco contra este crime que, apesar da pressão, tem sido marcado pela omissão paralela dos órgãos ambientais, tais como IBAMA e ADEMA. Vários atores sociais tem se manifestado contrário e exigido providências no sentido de que não só sejam identificados e punidos na forma da lei os agressores, como devolvido a condição natural anterior a 1987. Registrem-se posições neste sentido da SOS Rio Japaratuba, a Tribuna da Praia, a Colônia de Pescadores, a Câmara Municipal de Pirambu, as prefeituras de Carmópolis, Japaratuba e de Pirambu, dos vereadores Rui Brandão e Edgar de São José (Japaratuba), José Luiz de Andrade, Juarez de Deus Alves, Antônio Ferreira e Sandro José dos Santos (Pirambu), de partidos políticos como o PV, o PT e mais recentemente o PCB, entre outras personalidades como o produtor rural e ambientalista Ricardo Almeida, o ex-prefeito de Japaratuba Padre Gerard e outras instituições que ao não relacioná-las podemos estar incorrendo no pecado do esquecimento, o que pedimos antecipadamente desculpas caso isto possa ter ocorrido.

Sendo a deputada estadual com o maior volume de proposituras e pronunciamentos em defesa das questões ambientais na atual legislatura, a professora Ana Lúcia Menezes foi acionada a partir do ambientalista e produtor rural Ricardo Almeida, que relatou com riqueza minuciosa de detalhes aquele processo emblemático, incorporando-se de corpo e alma na questão. Ana Lúcia tentou intermediar a questão junto ao secretário de estado de Meio Ambiente, o senhor Genival Nunes e, após ter escalado seu assessor Elder Muniz para efetuar uma visita técnica ao loca, reunir documentos, estar preparando para os próximos dias um pronunciamento marcando assim efetivamente a participação do mandato na causa, levando ao parlamento estadual o clamor de algo em torno de 1000 famílias incrustadas em comunidades localizadas nos municípios de Pirambu, Japaratuba, Santo Amaro das Brotas e Barra dos Coqueiros, direta ou indiretamente impactadas pela diminuição da vazão do rio, falta de sinergia, perda da oxigenação e abrupta diminuição da população de peixe naquela área.

Guardiã do maior acervo de matérias publicadas sobre o Rio Japaratuba no geral e sobre aquele conflito ambiental em particular, a Tribuna da Praia está dando sua contribuição, republicando desde o dia 02 de setembro de 2010 as matérias veiculadas neste portal e armazenadas ou arquivadas em nosso blog pessoal (http://claudomirtavares.blogspot.com). De nossa parte, não daremos trégua a causa, por entender que uma agressão de tamanha magnitude não pode passar despercebida. Além de municiar a deputada, iremos nos empenhar no sentido de reunir o maior número de pessoas para ocupar as galerias da Assembléia Legislativa, dando eco e legitimando o pronunciamento, para que aquele poder possa posicionar-se de forma oficial, positivamente e efetivamente sobre a questão.

Além disso, dentro da IV Campanha “PRAIAS E RIOS: VAMOS LIMPAR E APRENDER A NÃO SUJAR”, que acontece em Outubro próximo, iremos promover em conjunto com as entidades parceiras, como SOS Rio Japaratuba, escolas, associações, Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Japaratuba, ONG’s, poder público, entre outros atores sociais, uma espécie de Audiência Pública sobre a temática, objetivando sensibilizar a sociedade e quem tem poder de decisão para que possamos encontrar uma solução para este caso que já se arrasta há mais de 20 anos.

* Claudomir Tavares da Silva (42), ex-Secretário Geral (2007/2008) e ex-Presidente (2008/2010) do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Japaratuba e atual presidente da SOS Rio Japaratuba (entidade fundada em 1998 como Sociedade de Cultura Aartista de Pirambu, transformada em Comitê Popular do Rio Japaratuba em 2005 e finalmente em SOS Rio Japaratuba em 2006)

Nenhum comentário:

TODAS AS NOTÍCIAS