7 de set de 2010

Professor é a segunda pessoa depois do cachorro

A cada dia que se passa sou um fã convicto dessa célebre frase, inteligente e verdadeira.
Por  Dgenal Gonçalves Rocha | dgenal_g_rocha@ibest.com.br

Uma vez um colega meu disse: "Professor é a segunda pessoa depois do cachorro". A cada dia que se passa sou um fã convicto dessa célebre frase, inteligente e verdadeira. O professor tem que submeter a tudo o que não presta: secretários mal preparados e interessados apenas no cargo que ocupam barganhando com o diabo, prefeitos que não estão nem aí para a classe, interesses eleitorais de líderes sindicalistas, perseguições, contrariedades na profissão, falta de respeito, colegas omissos...

Infelizmente é uma pena o que nós temos que aguentar. Vou ser pessimista (baseando-me no caso de Pirambu), os professores nunca serão fortes o bastante para conseguir o que eles mais pedem: a real justiça dada ao seu ofício. Árduo ofício.

Tenho a real certeza de que enquanto nomes despreparados, que inventam leis mirabolantes de cabeça, apenas interessados em assuntos particulares, ocuparem cadeiras importantes no direcionamento dos interesses do magistério, estiverem interferindo no destino da educação, podem ter certeza o cachorro terá mais valor.

Um comentário:

Agnaldo Cordelista disse...

É lastimável que a classe tenha que se submeter a essa situação... Realmente, quando gritamos é porque o calo está doendo e aí o que fazem? soltam os cachorros.
Agnaldo

TODAS AS NOTÍCIAS