6 de set de 2010

Sai faísca na assembléia do SINTESE em Pirambu

Cabo eleitoral de Ana e Iran, professor Francisco chamou Zé Nilton e André Moura de ‘picareta’s, o que motivou acirramento dos ânimos dos professores que tem mantido nível respeitoso em suas manifestações
Por Claudomir Tavares | claudomir@tribunadapraia.net

A assembléia geral dos professores da rede municipal de ensino teria tudo para ser mais uma prova de amadurecimento da categoria, que tem dado provas inequívocas de resistência ao longo destes quatro anos de organização. Reunidos na manhã de hoje, o magistério municipal decidiu permanecer mobilizado, dando sequência a manifestação da semana passada, quando promoveu uma passeata pelas ruas da cidade na quarta-feira, 01/09, e um ato público apesar da chuva, na última sexta-feira, 03/09, na feira de Pirambu.

Ficou deliberado que nesta terça-feira, os professores promovem irão se concentrar a partir das 14 horas no Terminal Rodoviário Jorge Almeida Lopes, na Praça Nª Sª do Carmo, de onde sairão em caminhada silenciosa logo após o encerramento do desfile estudantil promovido pela secretaria municipal de educação. “Os professores não são contra o desfile, mas a forma autoritária como tem sido gerenciada a educação pública de Pirambu, onde os profissionais do ensino não tem sido ouvidos”, denuncia a professora Vera Lúcia Santana, delegada sindical de base do SINTESE em Pirambu.

Este clima de unidade do magistério municipal começou a ser quebrado quando, mostrando-se bastante estressado, inflamado até, o professor José Francisco Andrade dos Santos (foto: SINTESE), diretor do Departamento para Assuntos das Bases Municipais da Direção Executiva do SINTESE, acusou o prefeito José Nilton de Souza e a professora Maria de Lourdes Cardoso Gouveia de autoritários. Prosseguiu dizendo que a secretária, o prefeito atual e o ex-prefeito André Moura eram todos picaretas.

Numa assembléia em que compareceram 42 professores, muitos deles (pelo menos 17, segundo levantamento preliminares) eleitores do ex-prefeito André Moura, atual deputado estadual e candidato a deputado federal, foi natural que estes se entreolhassem. O professor Pedro dos Santos, conhecido como Pedro da Cultura, pediu a palavra e utilizando o mesmo local e espaço que ocupara Francisco fez valer a terceira lei de (Isaac) Newton que diz “toda ação provoca uma reação, no sentido oposto, na mesma intensidade”. Extrapolando um pouco mais, Pedro ampliou o leque de ‘picaretas’, para além de Francisco.

“Picareta é você. Picareta é Iran Barbosa que quando era prefeito de Japaratuba o petista Padre Geraldo, este ignorou a luta do magistério naquele município. Picareta é Ana Lúcia que abandonou os professores da rede estadual para ser vir ao governo picareta de Marcelo Déda, um picareta que traiu sua história e os compromissos tanto dos professores de Aracaju, quando foi prefeito, quando de Sergipe na sua condição de governador”, disse Pedro da Cultura que incluiu outros nomes, a exemplo de Márcio Macedo, ex-presidente do PT em Sergipe.

Pedro disse que estranhou o fato de que “o magistério municipal começou a se organizar em 1997, quando era prefeito de Pirambu Juarez Batista, e tanto este, quando o interventor petista Moacir Santana, seguido por Antônio Santana terem sido poupados”, lembrou. Se era para lembrar dos ex-prefeitos, dos anteriores, por que não citou Silvia e Marcos Cruz, aliados do petista, assim como o é André Moura. “Será o fato de André Moura está disputando o mesmo espaço que o de Iran Barbosa, de quem é aliado o professor Francisco”, questiona.

Pedro disso estranhar o fato da omissão do site do SINTESE com relação a luta dos professores de Pirambu. Francisco disse “ah, então você lê o site do SINTESE?”. Pedro respondeu que lê para comprovar esta omissão e que a luta dos professores de Pirambu tem tido ressonância sim, no jornal online Tribuna da Praia e na Rádio Ouro Negro FM. Diante do bate-boca que se estabeleceu entre Chiquinho e Pedrinho (como são conhecidos pelos amigos de ambos), os professores começaram a esvaziar a assembléia. A Tribuna da Praia tentou via representantes do SINTESE local um contato com o professor Francisco Andrade, não conseguindo, esclarecendo que o mesmo está aberto para que caso necessite, o faça de forma democrática.

Diversos professores presentes a assembléia prestaram solidariedade ao colega Pedro, a exemplo da professora Vera Lúcia Santana, representante do SINTESE em Pirambu.

Convencidos a retornar, ainda que sob protestos, os professores retornaram alegando não admitir que o movimento autônomo dos educadores de Pirambu não devem ser utilizado politicamente pelos aliados de Ana Lúcia, Iran Barbosa, André Moura ou qualquer outro político. Assim, foi deliberado pela participação no desfile de amanhã, em forma de protesto, numa caminhada que segue ao encerramento do mesmo, sendo acompanhado da imprensa. Vamos aguardar novos desdobramentos deste movimento que tem sido marcado pela presença de propostas cuja intenção é transformar os professores em uma claque para políticos com mandatos e que disputam a continuidade nos parlamentos.

Nenhum comentário:

TODAS AS NOTÍCIAS