10 de set de 2010

Professores suspendem greve em Pirambu...

... mas podem retorná-la caso o município não cumpra com compromisso (... de novo) assumido em reunião
Por Claudomir Tavares | claudomir@tribunadapraia.net
Professores retornaram as aulas no dia de hoje, mas decidiram continuar em estado permanente de assembléia, podendo retornar paralisação caso município não assuma compromissos firmados
Aconteceu na manhã de ontem, 09/09, a audiência entre os representantes do SINTESE e a secretaria municipal de Educação. Apesar de insistência dos professores em antecipá-la, a secretária Lourdes Cardoso não viu motivos em realizá-la antes da data agendada, motivo da greve do magistério iniciada em 1º de Setembro e encerrada ontem, conforme deliberação de assembleia geral da categoria.
Na audiência de ontem ficou pactuado que na manhã de hoje o secretário municipal de Finanças, economista Alberto Buery disponibilizará para a representante do SINTESE, professora Nádia Almeida, cópia da Folha de Pagamento atualizada para que tanto a administração municipal, quando os representantes da categoria façam um estudo minucioso no sentido de viabilizar o pagamento do Piso Salarial Nacional Profissional do Magistério.
Ficou agendado para a próxima segunda-feira, 13 de Setembro, um novo encontro entre as partes, quando deverão ser cruzadas as propostas e encontrado um denominador comum. A categoria, que aguardou o andamento da audiência em frente à sede da Secretaria Municipal de Educação, na rua Otávio Aciole Sobral, volta a se reunir no dia 16 de Setembro, quando analisa a proposta e a contra proposta, e assim deliberar os novos caminhos da luta que parece ser um processo contínuo.
Ainda que reticentes, reunidos em Assembléia Geral realizada na Orla de Pirambu (Atalainha), os professores decidiram encerrar a greve, deliberando que permanecem em estado permanente de Assembléia, pois não é a primeira vez que a prefeitura de Pirambu compromete-se com a categoria, inclusive junto ao Ministério Público e não cumpre o que ficou acordado. Assim, caso não sejam encaminhados os termos da audiência de ontem, 09, a categoria não descarta o retorno a greve até que a situação se resolva.

Ainda ontem, lideranças do SINTESE e militantes da base sindical concederam entrevistas as emissoras de rádio da capital (Ilha FM) e da cidade de Carmópolis (Ouro Negro FM), onde concederam entrevista aos radialista Jailton Santana e George Magalhães, respectivamente, respondendo inclusive ao prefeito José Nilton de Souza (PMDB), que os chamou durante sua fala durante o desfile estudantil de 7 de Setembro, de desqualificados e que só pensam em seus próprios bolsos.

Informações de um aliado do prefeito dão conta que a virulência das suas palavras foi uma resposta a um dirigente sindical que no dia anterior o havia chamado de picareta. “O prefeito apenas pôs em prática a terceira Lei de Newton, onde toda ação provoca uma reação, no sentido oposto, na mesma intensidade”, justificou. Quanto as vaias dadas pela população que assistia ao desfile durante a fala do prefeito, “foi uma reação natural de um povo que estava ali para assistir ao desfile, não a discurso de político”, emendou.

Nenhum comentário:

TODAS AS NOTÍCIAS