2 de set de 2010

Professores reagem com greve e recebem apoio, solidariedade da sociedade pirambuense

Os professores de Pirambu decidiram paralisar as atividades até que uma audiência seja agendada e a situação resolvida
Por Claudomir Tavares * | claudomir@tribunadapraia.net

Educação em Pirambu tem sido tratada como um lixo pelo prefeito Zé Nilton e a secretária Lourinha

Inconformados com a falta de respeito com que tem sido tratados pela administração do prefeito José Nilton de Souza e sua secretária de Educação, Maria de Lourdes Cardoso Gouveia, os professores da rede municipal de ensino ocuparam as ruas na manhã desta quarta-feira, 01/09, protestando contra a desastrosa política educacional de Pirambu, que em 2009 foi considerada a pior em Sergipe, obtendo nota ZERO. Os professores de Pirambu decidiram paralisar as atividades até que uma audiência seja agendada e a situação resolvida.

Eles reivindicam, entre outros pontos de pauta constante do panfleto distribuído entre a população, a integralização do PISO SALARIAL (Pirambu paga apenas 2/3 do valor, R$ 950, quando este deveria ser de R$ 1.024,67, conforme prevê a Lei Federal Nº 11.738/2008). Em sua caminhada que percorreu ruas de vários bairros, entre o Terminal Rodoviário até a sede da secretaria de educação, os educadores receberam o apoio e a solidariedade que fez questão de manifestar-se, com palavras de incentivo e de repúdio contra a falta de compromisso com o magistério municipal, que continua mobilizado, na luta!

Faltam cursos de atualização para os educadores, material didático de qualidade, reformas nas escolas, além da garantia à alimentação e transporte escolar que não ofereça risco aos estudantes, caso dos veículos que hoje são utilizados. “As escolas estão passando por uma situação crítica, falta iluminação, segurança, condições dignas de trabalho. Nós já tentamos marcar audiência várias vezes, mas a prefeitura não nos deu resposta por isso estamos paralisando”, relata Veralucia Nunes, membro da comissão de negociação do SINTESE.

Na manhã de hoje uma comissão de professores visitará as escolas da sede do município e povoados tentando convencer os gatos pingados que insistem em permanecer nas salas de aulas, os chamados fura-greves, bem como levar as ruas aqueles que paralisaram as atividades mas permanecem em berço esplêndido, não participando da luta social. O município de Pirambu possui 116 professores efetivos, mas na manifestação de ontem, em seu pico máximo, contava com 47 professores, número considerado positivo se considerado a média de participação dos demais municípios sergipanos e principalmente da rede estadual.

Para esta sexta-feira, 03/09, está previsto um ato político a partir das 08h00min na feira da cidade, quando os professores pretendem continuar denunciando o caos que o prefeito Zé Nilton mergulhou a educação pública em Pirambu. Na segunda, os educadores voltam a se reunir para avaliar o movimento e encaminhar os próximos passos da luta. Uma proposta polêmica foi colocada para apreciação, que foi a ida de professores na próxima quarta-feira, 08/09, as galerias da Assembléia Legislativa, o que pode se caracterizar uso político do movimento, ou formação de claquete para a deputada Ana Lúcia, uma vez que estamos em um período eleitoral e este gesto precisa ser repensado pela categoria, ainda que a deputada seja, reconhecidamente, uma das mais destacadas personalidades a apoiar o movimento dos professores de Pirambu em momentos importantes de sua trajetória ao longo dos últimos três anos.

* Claudomir Tavares da Silva (42) é professor concursado da rede municipal de ensino em Pirambu (Com informações do site do SINTESE e do Boletim AGENDA 21)

Nenhum comentário:

TODAS AS NOTÍCIAS